Os artistas que partiram em 2018


Vamos relembrar os artistas e profissionais cinematográficos que faleceram no ano de 2018. Fizemos uma listagem com mais de 400 nomes, entre atores e técnicos, de diversos países. A seleção está de acordo com o mês em que os artistas faleceram.

A eles, o nosso muito obrigado!

JANEIRO

Em janeiro de 2018 perdemos grandes nomes do cinema, como Dorothy Malone, vencedora do Oscar por Palavras ao Vento (Written on the Wind, 1955), o galã Bradford Dillman, a estrela mirim Ann Gillis, a veterana Connie Sawyer (aos 105 anos), ao jovem Mark Selling, astro da série Glee; a atriz Jean Potter, uma das últimas pessoas da lista negra do MacChartismo que ainda estava entre nós, Robert Dowdell, astro da série Viagem ao Fundo do Mar, o comediante Jerry Van Dyke (irmão de Dick Van Dyke). No Brasil, dissemos adeus ao ator Henrique César, a chacrete Sandra Matrera, ao escritor e roteirista Carlos Heitor Cony e atriz Desiré Vignolli.


















































FEVEREIRO

Em fevereiro perdemos a jovem Emma Chambers, de Um Lugar Chamado Notthing Hill (Notthing Hill, 1999), John Gavin, de Psicose (Psycho, 1960), Joy Lane, uma das últimas integrantes do seriado Os Batutinhas; Lassie Lou Ahern, atriz ainda dos tempos do cinema mudo; a estrela dos musicais Nannette Fabray; a veterana bailarina Nini Theilade (aos 102 anos); o cantor a ator Vic Damone, e o brasileiro Oswaldo Loureiro.





























MARÇO

Em março o Brasil disse adeus a uma de suas maiores estrelas, Tônia Carrero. Entre as perdas sentidas também a brasileira Beyla Genauer, cuja morte passou despercebida pela grande imprensa brasileira. Também partiram David Ogden Stiers, da série MASH; a atriz mirim Donna Butterwood; Dorothy Barrett, uma das últimas integrantes do elenco de O Mágico de Oz (Wizard of OZ, 1939); Morgana King, a Mamma Corleonne; o físico Stephen Hawking (que se aventurou como ator algumas vezes); a graciosa Sue England e a estrela francesa Stéphane Audran.


























ABRIL

Em abril nos despedimos do comediante Agildo Ribeiro; da atriz Eudósia Acuña; da atriz e escritora Edla Van Steen; de Dona Ivone Lara (que também fez filmes); o diretor Nelson Pereira dos Santos e do dublador Waldyr Santana (o dublador do Homer Simpson). No mundo, sentimos as perdas do ator Dewey Martin; Eugene Francis (o último dos Bowery Boys); do diretor Miloš Forman; Kristin Nelson (viúva de Ricky Nelson e irmã de Mark Harmon); o cineasta italiano Vittorio Tavianni; o ator Verne Troyer (o Mini-Me de Austin Powers) e o diretor Michael Anderson, de A Volta ao Mundo em 80 Dias (Around the World in Eighty Days, 1956).





































MAIO

Partiram em maio de 2018: a eterna Lois Lane Margot Kidder; a estrela italiana Anna Maria Ferrero; Allyn Ann McLerie de Ardida Como Pimenta (Calamity Jane, 1953) e Os Pássaros Feridos (The Thorn Birds, 1985); a pioneira editora Anne V. Coates; o diretor italiano Ermano Olmi; o ator Clint Walker; a cantora e atriz Patricia Morison (aos 103 anos); o cantor Dick Williams (irmão de Andy Williams) e Jerry Maren, o último dos anões de O Mágico de Oz (Wizard of Oz, 1939). No Brasil, nos despedimos da incrível Eloísa Mafalda; da atriz Lígia de Paula; do diretor Roberto Farias; do jornalista (e roteirista) Alberto Dines e da atriz Cláudia Celeste.










































JUNHO

Entre os atros que perdemos em junho estão Louise Watson (atriz dos tempos do cinema mudo); Maria Rhom (musa de Jésus Franco); a bailarina francesa Liliane Montevecchi; William Phipps, o dublador do Principe Encantado em Cinderella (Idem, 1951); Eunice Gayson, a primeira Bond Girl; Deanna Lund de Terra de Gigantes (Land of the Giants); D. J. Fontana, o bateirista de Elvis Presley e o canadense Daniel Pilon, que recusou o papel de James Bond. No Brasil, partiram as atrizes Brigitte de Búzios; Cacilda Lanuza; Cidinha Milian e o ator Fábio Tomasini.































JULHO

Tab Hunter foi a maior perda sentida em julho. O mês também levou Jack C. Edwards, um dos últimos atores dos tempos do cinema mudo; Adrian Cronauer, o jornalista que inspirou Bom Dia, Vietnã (Goodmorning Vietnam, 1984); a contora mirim Doris Brian; o diretor e coreógrafo Alan Johnson; o cartunista Steven Ditko, co-criador do Homem Aranha; a bailarina e atriz Gillian Lynne; a cantora mexicana Dora Luz, de Você Já Foi à Bahia? (Three Caballeros, 1944); as veteranas atrizes Meg Randall e Mai Tai Sing; o diretor Stan Dragotti; a figurinista de Superman, O Filme (Superman, 1978), Yvonne Blake; o ator Robert Wolders (marido de Audrey Hepburn); Shinobu Hashimoto (roteirista de Kurosawa); Nancy Sinatra Barbato (primeira esposa de Frank Sinatra); e a estrela portuguesa Laura Soveral, que também atuou no Brasil.































AGOSTO

A rainha da soul music Aretha Franklin disse adeus em agosto. No mês, a música ainda perdeu Celeste Rodrigues, a irmã de Amália Rodrigues. Perdemos também a atriz Charlotte Rae, de Arnold; a atriz Barbara Harris; o músico Jack Constanzo; a dançarina Miriam Nelson; a atriz Susan Miller; Gloria Jean, uma das últimas atrizes que contracenaram com Carmen Miranda; o modelo Rick Genest ( o zombie boy); a atriz Vanessa Marquez (morta em um confronto com a polícia); a veterana Mary Carlisle, que atuou no cinema mudo e estava com 104 anos; o dramaturgo Neil Simon, autor de Um Estranho Casal (The Odd Couple, 1968), e a atriz Carole Shelley, do mesmo filme. No Brasil, perdemos o compositor Guilherme Lamournier; o radialista Zé Bettio, o ator e dublador José Parisi Jr:; o ator e diretor Henrique Martins e o folclorista gaúcho Paixão Cortês.





































SETEMBRO

No triste setembro perdemos o astro Burt ReynoldsBill Daily o Major Healey de Jeannie é Um Gênio; a cantora e atriz italiana Katyna Ranieri (que cantou no Brasil na TV Excelsior); Lydia Clarke, a viúva de Charlton Heston; Zienia Merton, da série Espaço 99 (Space 99); Al Matthews, do filme Aliens (1979); a estrela dos filmes B Laurie Mitchell; Roxana Darín (mãe do argentino Ricardo Darín) e Christoper Lawford, filho do astro Peter Lawford. No Brasil, nos despedimos do jovem Leonardo Machado; do cantor Tito Madi; do ator Jairo Arco e Flexa; de Beatriz Segall; do ator João Paulo Adaour e da Rainha do Rádio Ângela Maria.






































OUTUBRO

Morreram em outubro: a cantora espanhola MontserratCaballé e o cantor francês Charles Aznavour. O mês ainda levou a Audrey Wells, diretora de Sob o Céu de Toscana (Under the Toscana Sun, 2003); a atriz Celeste Yarnall; o ator Scott Wilson (de The Walking Dead); Diana Sowle de A Fantástica Fábrica de Chocolates (Willy Wonka and the Chocolate Factor, 1971) e os brasileiros Maximira Figueiredo, e o jornalista (que também fez filmes) Gil Gomes.























NOVEMBRO

Novembro foi um mês com muitas perdas. Partiram Stephen Hillenburg, o criador do Bob Esponja; Douglas Rain, a voz do Hall 9000 de 2001 Uma Odisséia no Espaço (2001, 1968); a atriz Sondra Locke; o cineasta italiano Bernardo Bertolucci; Stan Lee, o gênio dos quadrinhos; o cantor chileno Lucho Gatica; Ed Evanko, o ator que virou padre; o diretor Nicolas Roeg; a atriz Michele Carey; o roteirista William Goldman; a roteirista de Star Wars Gloria Katz; o compositor Francis Lai; e a atriz Katherine MacGregor. No Brasil, partiram nomes como a atriz e dubladora Gessy Fonseca, uma veterana do rádio e o ator Joel Barcelos.






































DEZEMBRO

Fechando o ano, 2018 levou embora o ator Ken Berry; a atriz e socialite francesa (radicada no Brasil) Odile Rodin Rubirosa; cantora e atriz Nancy Wilson; a atriz Patricia Marshall; a bailarina oriental Sono Osato; o animador da Disney Don Lusk (aos 105 anos de idade); a atriz June Whitfield; o ator italiano Luigi Giuliani; a atriz suéca Agneta Eckemyr; Robert Kerman, ator de Holocausto Canibal (Canniball Holocaust, 1980); a diretora Penny Marshall; a atriz mexicana Rosenda Monteros e sua colega do elenco de Terra Violenta (Savage Pampa, 1965) Laya Raki; o italiano Stelvio Rosi (também chamado Stan Cooper), que veio morar no Brasil. Por aqui, perdemos o diretor Alfredo Sternheim; a apresentadora e atriz Meire Nogueira; e a grande atriz Etty Fraser, que partiu no último dia do ano.







































Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil