Cantora Angela Maria morre aos 89 anos

 
A cantora Angela Maria, uma das maiores cantoras brasileiras, faleceu na noite do dia 29.
 
Abelim Maria da Cunha, seu nome de batismo, nasceu em Conceição de Macabu, Rio de Janeiro, em 13 de maio de 1929, na época, distrito de Macaé. Nascida em uma família humilde, Angela começou a trabalhar muito cedo para ajudar nas despesas de sua casa. Foi funcionária em uma fábrica de lâmpadas e de uma tecelagem, e também trabalhou como doméstica.
 
Em 1947, contrariando sua família, começou a cantar a noite, após sair do trabalho.  Ângela ia de rádio em rádio em rádio fazer inscrições para sorteios, até que conseguiu ser premiada e se apresentou aos jurados em uma rádio, e passou no teste. Com isso, começou a apresentar-se como cantora no "Pescando Estrelas", um programa de calouros. Adotou o nome de Angela Maria, para não ser reconhecida por sua mãe, que era evangélica e queria que a filha casasse e formasse uma família, e era contra a vida de artista.
 
 
Ângela então começou a se apresentar famoso Dancing Avenida e depois na rádio Mayrink Veiga. Em 1951, com a família já sabendo de tudo e mesmo a contragosto, acabaram aceitando a vontade da filha, Angela gravou o primeiro disco. Veio assim os sucessos que a consagraram.
 
Entre seus maiores sucessos musicais, em uma carreira que durou mais de 50 anos, estão as canções Babalu, Gente Humilde, Cinderela, Orgulho, Não Tenho Você, Moça Bonita, Vá, mas Volte, Garota Solitária, Falhaste coração, Canto paraguaio, A noite e a despedida, Lábios de mel, etc.
 
Com grande sucesso no Brasil, passou a viajar o mundo com canções belíssimas em sua voz considerada muito harmônica. Além de cantora, fez cursos de teatro, e apareceu em diversos filmes. Angela Maria estreou no cinema no filme Rua Sem Sol (1954). Normalmente aparecia nos filmes como cantora convidada, interpretando algum grande sucesso seu. Angela apareceu em mais de 20 filmes, incluindo O Rei do Movimento (1955) Fuzileiro do Amor (1956), Com Água na Boca (1956), O Feijão é Nosso (1956), Rio, Zona Norte (1957), O Samba da Vila (1957), Rio Fantasia (1957), Quem Roubou Meu Samba (1959), Dorinha no Socity (1959), 007 1/2 no Carnaval (1966), Carnaval Barra Limpa (1967) e Portugal... Minha Saudade (1973). Em Caminho da Esperança (Rumbo a Brasilia, 1961), uma produção mexicana, Angela demonstrou suas qualidades de atriz, protagonizando a obra, ao invés de aparecer apenas cantando.

Angela Maria no filme O Rei do Movimento (1955)

  
 Apelidada de Sapoti pelo presidente Getúlio Vargas, Angela foi eleita Rainha do Rádio em 1955.

Angela Maria, Carmen Miranda e Almirante na Rádio Nacional, em 1955
 
Angela Maria e Marlene Dietrich em 1957
          
A cantora casou-se seis vezes, e teve relacionamentos conturbados, sendo muitas vezes roubada pela maioria dos seus maridos. Ela nunca teve filhos devido a problemas uterinos, descobertos ainda na adolescência.
 
Angela Maria e o cantor Cauby Peixoto, que ela considerava seu melhor amigo
  
Angela Maria estava internada há pouco mais de um mês, e não resistiu a uma infecção bacteriana. A cantora faleceu em 29 de setembro de 2018, aos 89 anos de idade.
 
 
 
Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil