Morreu o ator Fábio Tomasini, aos 68 anos


Fábio Tomasini em Belíssima

Morreu no dia 15 de junho o ator paulista Fábio Tomasini, aos 68 anos de idade. 

Nascido Paulo Fábio Roberto, em 25 de novembro de 1949, Paulo Tomasini estreou como ator ainda criança, na antiga TV Tupi. 

Em 1961, quando cursava a quinta série, um professor pediu autorização de seu pai para escrevê-lo no programa de televisão Sabatinas Maisena, onde o apresentador Heitor de Andrade fazia perguntas sobre conhecimento gerais (no caso de Fábio foi sobre geografia). Ao sair do programa, uma pessoa da produção do infantil Sítio do Pica-Pau Amarelo (a primeira versão, com Lúcia Lambertini) abordou Fábio e seus pais, perguntando se o menino loiro de cabelos encaracolados não queria participar do programa, interpretando o personagem Anjinho. Fábio ficou no programa até 1962.

Nos tempos do Sítio do Pica Pau Amarelo

Em 1964 ele atuou nos primeiros capítulos da lendária novela O Direito de Nascer (1964), interpretando o personagem Albertinho Limonta quanto criança. Embora não fosse contratado pela Tupi, tinha um bom relacionamento com a equipe, que sempre o convidava para novos trabalhos.

Aos 16 anos foi chamado para atuar no programa TV de Vanguarda, na peça Desejo Sobre os Olmos (1966), ao lado de Laura Cardoso, Lima Duarte e Juca de Oliveira. Mas as gravações eram a noite, o que sua mãe jamais permitiria. Fábio então fugiu de casa, e foi até os estúdios da Tupi no Sumaré. O programa era uma das primeiras experiências com o video-tape, e as gravações duraram até as 5 horas da manhã. Quando ele enfim retornou, seus pais o esperavam com a polícia. Após ser repreendido, sua mãe disse que ali terminava sua carreira de artista.

Mas não era verdade. No mesmo ano ele fez sua primeira novela, Somos Todos Irmãos (1966).  No ano seguinte estreou no teatro, atuando em Ontem e Hoje, Pelo Amanhã (1967). Nos palcos, fez cerca de 20 espetáculos ao longo dos anos.

Com Zayra Zordan na peça Cheiro de Chuva que Amanheceu

Depois, ainda atuou na novela Nino, o Italianinho (1969), e fez sua estreia no cinema no filme Vozes do Medo (1972), de Roberto Santos. Afastou temporariamente da vida de ator para estudar, formando-se em Propaganda e Marketing pela USP em 1973.

O contato com a publicidade abriu as portas para uma nova carreira, a de modelo publicitário. Fábio Tomasini então estrelou diversos comerciais de marcar importantes, e também possou para vários editoriais de moda.

Nos tempos de modelo

Ele retornou a televisão, atuando na novela O Todo Poderoso (1979), da Rede Bandeirantes de Televisão. Em seguida, na mesma emissora atuou ainda em Pé de Vento (1980) e Um Homem Muito Especial (1980). Neste mesmo ano atuou no seriado Malu Mulher (1980), na Rede Globo.

Ainda atuou nas novelas Avenida Paulista (1982), A Força do Amor (1982), A Leoa (1982), Nem Rebelde, Nem Fiéis (1982), Cortina de Vidro (1989) e Seus Olhos (2004). Também atuou em programas humorísticos como Dercy aos Domingos (1982) e Humor Orquestra Show (1986). E fez participações em novelas com Da Cor do Pecado (2004), Belíssima (2007) e Pé na Jaca (2007). 

Na novela A Leoa

No cinema atuou em filmes como Gaijin: Os Caminhos da Liberdade (1980), Pixote, a Lei do Mais Fraco(1981), Os Olhos de Vampa (1996) e O Diário de Um Exorcista - Zero (2016).

Fábio Tomasini no cartaz de O Diário de Um Exorcista - Zero

Dublador, emprestou sua voz a diversos personagens de filmes e séries, mas será mais lembrado por dublar o Cavaleiro de Cristal no desenho Cavaleiros do Zodíaco.

Fábio Tomasini estava internado desde maio na Santa Casa de São Paulo, após sofrer um AVC. Ele faleceu em 15 de junho de 2018, aos 68 anos de idade.




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil