O galã Bradford Dillman


Bradford Dillman nasceu em 14 de abril de 1933, em São Francisco, Califórnia (EUA). Ainda na escola, Bradford (seu nome verdadeiro) começou a atuar em peças escolares, que despertaram seu interesse em tornar-se ator. Ao terminar os estudos primários, ele foi aceito na Universidade de Yale, onde estudou teatro e drama, mas deixou os estudos para alistar-se na Marinha em 1948.

Ele ingressou no corpo dos fuzileiros navais em 1951 e lutou na Guerra do Coréia até 1953. Mas, ao dar baixa das forças armadas, ingressou no famoso Actor's Studio, em Nova York. Em 1956, ele protagonizou Longa Jornada Noite Adentro (Long Day's Journey in Night), de Eugene O'Neill, fazendo muito sucesso e ganhando diversos prêmios.

Jason Robards e Bradford Dillman em Long Day's Journey in Night (1956).

Na televisão, Dillman já atuava desde 1953, fazendo papéis na série de televisão Kraft Television Theatre, que exibia episódios de teleteatro. Em sua peça de estréia, Keep Our Honor Bright, atuou ao lado do também iniciante James Dean.

Em 1958, ele estreou no cinema, contratado pela 20th Century Fox. Dillman fez par romântico com Christine Carère no filme Um Certo Sorriso (A Certain Smile, 1958), estrelado por Rossano Brazzi e Joan Fontaine. Por este papel, ele ganhou o Globo de Ouro de ator revelação do ano.

Christine Carère e Bradford Dillman em Um Certo Sorriso (A Certain Smile, 1958).

Em seguida, a Fox o escalou para atuar em Três Encontros com o Destino (In Love and War, 1958), ao lado de dois outros jovens promissores astros, Robert Wagner e Jeffrey Hunter. 

No ano seguinte, ele atuou em Estranha Compulsão (Compulsion, 1959), que lhe rendeu o prêmio de Melhor Ator em Cannes (divido com os colegas de elenco Orson Welles e Dean Stockwell). Ainda na Fox, atuou em Tragédia num Espelho (Crack in the Mirror, 1960), Círculo de Decepção (A Circle of Deception, 1960) e Santuário (Sanctuary, 1961).

Bradford Dillman e Dean Stockwell em Estranha Compulsão


Em 1961, ele protagonizou São Francisco de Assis (Francis of Assisi, 1961), ao lado de Dolores Hart, a atriz que abandonou Hollywood para se tornar freira. Foi seu último trabalho na Fox.

Bradford Dillman e Dolores Hart

Ao deixar a Fox o ator passou a dedicar-se mais à televisão, atuando em séries como Carava e Ben Casey. Ele também fez parte do elenco fixo da série O Jovem Dr. Kildare (Dr. Kildare), interpretando o revendendo Andrew Webb. No cinema, ele faria ainda filmes como Obsessão de Amar (A Rage to Live, 1965), Respondendo à Bala (The Plainsman, 1966), A Noite Convida ao Crime (Jigsaw, 1968), Fuga do Planeta dos Macacos (Escape from the Planet of the Apes, 1971), Nosso Amor de Ontem (The Way We Were, 1973). e Piranha (Idem, 1978), entre outros. Neste último, atuou com a atriz Heather Menzies, de A Noviça Rebelde.

Bradford Dillman e Suzane Pleschette em Obsessão de Amar

Bradford Dillman e Robert Redford em Nosso Amor de Ontem

Kim Hunter, Bradford Dillman e Roddy McDowall em Fuga do Planeta dos Macacos

Em 1995, Bradford Dillman se aposentou da carreira de ator. Seu último trabalho foram participações regulares na série Assassinato Por Escrito (Muder She Wrote), estrelada por Angela Lansbury. Em 1963, ele se casou com a atriz e modelo Suzy Parker, que ele conheceu nas filmagens de Círculo de Decepção (A Circle of Deception, 1960). Eles permaneceram casados até a morte dela em 2003.

Bradford Dillman e Suzy Parker em Cículo da Decepção (A Circle of Deception, 1960).

Fã de baseball, ele lançou um livro sobre o time dos Giants, além de uma autobiografia contando sua carreira. Nos últimos anos, dedicou seu tempo a arrecadar dinheiro para pesquisas médicas, em especial para doenças renais, causa da morte de sua esposa.

Bradford Dillman morreu em sua casa, em consequência de uma pneumonia, nessa terça-feira, dia 16 de janeiro de 2018, aos 87 anos.


Leia também: Chana Eden, a atriz que disse não a Hollywood

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil