Mijanou Bardot, a irmã de Brigitte


Em 1956 Brigitte Bardot tornou-se uma estrela mundial após estrelar E Deus Criou a Mulher (Et Dieu... créa la femme, 1956), de Roger Vadin. Imediatamente todos os estúdios queriam a atriz francesa, mas nem todos podiam contratá-la.

Logo surgiram convites até para sua irmã mais nova, a atriz Mijanou Bardot.


Brigitte e Mijanou Bardot

Quatro anos mais nova que a irmã famosa, Marie-Jeanne Bardot nasceu em Paris, em 05 de maio de 1938. 

Sua estreia no cinema ocorreu no filme Clube das Mulheres (Club de Femmes, 1956), numa tentativa de aproveitar seu sobrenome famoso para obter bilheterias. A produção ainda tinha a brasileira Vanja Orico no elenco.


Vanja Orico (com o violão) e Mijanou Bardot segurando um gato em Clube das Mulheres


Seu filme seguinte, foi Jusqu'au Dernier (1957), ao lado de Jeanne Moreau e Rita Cadillac (a francesa). Ela ainda atuaria em C'est La faute D'Adam (1958), e no italiano Il Pirata Dello Sparviero Nero (1958).



Mas logo os produtores se decepcionaram com a jovem atriz. Brigitte Bardot era uma explosão de sensualidade e volúpia, mas Mijanou era uma moça tímida, recada, e que se recusava a fazer papéis sensuais ou aparecer usando roupas provocantes, e só seu sobrenome, não atraia tanta bilheteria.

Ela ainda faria Pecados Pagos Com Sangue (Une Balle dans Le Canon, 1958) e Ramuntcho (1959). E em 1959, fez algo que sua irmã nunca aceitou, foi para Hollywood filmar uma produção americana.




Ao lado de Tuesday Weld e Mamie Van Doren, Mijanou Bardot estrelou Sex Kittens Go to College (1959). Nesta época, Mamie Van Doren estava no seu auge, e o produtor dos seus filmes contratava parentes de astros do cinema para ver se conseguia mais publicidade, como Harold Lloy Jr. (filho de Harold Lloyd), Cathy Crosby (sobrinha de Bing Crosby), James Mitchum (filho de Robert Mitchum)  e Charles Chaplin Jr (filho do lendário Charles Chaplin).

Mijanou não falava inglês, e foi Chaplin Jr, que morreria pouco tempo depois, ainda muito novo, quem lhe ensinou o idioma. Mas mesmo assim, Mijanou acabou sendo dublada por Rhoda Williams, a dubladora oficial de sua irmã nos Estados Unidos.


Tuesday Weld, Mijanou Bardot e Mamie Van Doren

Depois, frustrada com a carreira, ela abandonou o cinema, embora tenha retornado 7 anos depois para estrelar A Colecionadora (La Collectionneuse, 1967), de Éric Rohmer. O filme foi premiado no Festival de Cinema de Berlim, e tinha roteiro co-escrito pelo ator Patrick Bauchau, com quem Mijanou havia se casado em 1962.


Patrick Bauchau e Mijanou Bardot em A Colecionadora

Como o marido, que além de ator, era roteirista, ela escreveu alguns roteiros, e escreveu Después del Diluvio (1968), que foi filmado na Espanha em 1968. Foi seu último trabalho nas telas.

Mijanou Bardot depois tornou-se artística plástica, e teve uma filha com Bauchau, com quem está casada até os dias de hoje. O casal mora atualmente em Los Angeles, onde Patrick ainda atua.


Patrick Bauchau e Mijanou Bardot


Patrick Bauchau e Mijanou Bardot

0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil