Morreu Louise Watson, uma das últimas atrizes do cinema mudo


Morreu no dia 05 de junho a atriz Louise Watson, antiga atriz mirim dos tempos do cinema mudo, aos 98 anos de idade. Louise fazia parta da pequena lista de atores dos filmes silenciosos que ainda estavam entre nós. Com a morte de Lassie Lou Ahern (em fevereiro de 2018) e de Louise, restam apenas 14 artistas deste tempo ainda entre nós (ao menos, que se tem notícias).

Louise Watson fazia parte da "Watson Family" considerada a primeira "família de Hollywood". Seu pai, Coy Watson Sr. havia trabalhado no vaudeville e foi um dos Keystone Cops originais. Ele e sua esposava moravam em uma sítio, há 300 metros dos estúdios de Mack Sennet, em Endedale, uma região que mais tarde ainda iria se chamar Hollywood.

Com sua esposa Golda, teve oito filhos, e todos eles tornaram-se atores. Sempre que Mack Sennett precisava de uma criança, havia um Watson de qualquer idade e tamanho, pronto para rir, chorar ou receber uma torna na cara, tão comum nos filmes daqueles tempos.


Louise era a quarta filha, nascida em 22 de novembro de 1919. Os outros Watson eram: Coy Watson Jr. (1912-2009), Vivian Watson (1915-1994), Gloria Watson (1917-1997), Harry Watson (1921-2001), Billy Watson (1923), Delmar Watson (1926-2008), Garry Watson (1928) e Bobs Watson (1930-1999).

Bobs, Garry, Delmar, Billy, Harry, Louise, Gloria, Vivian, Coy Jr e a mãe das crianças

Billy foi o primeiro a estrear no cinema, e Delmar e Bobs foram os que tiveram a carreira mais bem sucedida. Louise estreou no cinema em The Greenhorn (1925), e atuou em filmes como O Passo da Morte (Riders of the Purple Sage, 1925), e O Táxi Nº 13 (Taxi 13, 1928). Neste último, ela interpretava uma dos muitos filhos do ator Chester Conklin. Quase todas as as demais crianças eram interpretadas por seus irmãos.





No cinema sonoro Louise ainda apareceu com os irmãos em Dr. Bull (Doctor Bull, 1933) e A Vida Começa aos 40 (Life Begins at 40, 1935), ambos estrelados por Will Rogers e Rochelle Hudson. Oficialmente, os registros cinematográficos só creditam a menina nestas obras. Possivelmente, ela tenha atuado em outros filmes, sem créditos, como era comum neste tempo.

Louise Watson foi uma das crianças que não quis seguir a carreira, e seus pais nunca os pressionaram, alegando que nunca venderiam seus filhos, e que sabiam o que passavam astros mirins como Mickey Rooney e Judy Garland. 

Ela terminou os estudos, casou-se e trabalhou em empregos normais na cidade de Burbank. Em 1999 a "família Watson" foi homenageada com uma estrela na calçada da fama. 

Apenas Garry e Billy Watson ainda vivem.


Leia mais sobre os artistas do cinema mudo ainda vivos aqui!

Louise em Greenhorn

A Vida Começa aos 40 (Life Begins at 40, 1935)

Louise Watson na década de 60


Harry, Louise, Delmar e Garry




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil