Morre a atriz Evelise Olivier, musa e ex-eposa de David Cardoso


Morreu no dia 27 de maio de 2022 a atriz e modelo Evelise Olivier, que foi casada com o ator e diretor David Cardoso, e atuou em diversos filmes ao lado do marido. Evelise tinha 74 anos de idade, lutava contra o Mal de Alzheimer há alguns anos.

Foi David Cardoso quem noticiou a morte, em suas redes sociais. A atriz era mãe de James, do também ator David Cardoso Junior e Tallyta, todos frutos de seu relacionamento com David.



Evelise de Oliveira nasceu em São Paulo, em 16 de abril de 1948. Muito bonita, ela começou a trabalhar como modelo, e na década de 1960 passou a fazer alguns trabalhos na televisão, estreando no humorístico TV Stuart (1964), apresentado por Walter Stuart, na TV Excelsior.

Na TV Record, foi uma das dançarinas do programa Jovem Guarda, repetindo o mesmo feito em Ternurinha e Tremendão, na TV Rio. Evelise Olivier se casou com David Cardoso em 1966, mas se divorciaram em 1971. Porém, voltaram a se casar em 1973, ficando juntos por mais três anos após o segundo matrimônio.

Na TV, ainda atuou em programas como Meu Adorável Mendigo (1972) e Os Insociáveis (1972), na TV Record. Nesta época, namorou e foi noiva de Silvio Santos, seu colega de emissora.



Em 1970 ela estreou no cinema, atuando no filme A Herança (1970) de Ozualdo Candeias. Nos anos seguintes dedicou-se apenas ao cinema, contracenando com David Cardoso na maioria de seus filmes.

Carlos Hugo Christensen a dirigiu no western brasileiro Caingangue: A Portaria do Diabo (1973), que fez um grande sucesso.


Evelise Olivier e David Cardoso em Caingangue: A Portaria do Diabo

Com Fauzi Mansur, fez Sedução: Qualquer Coisa a Respeito do Amor (1974) e novamente com Candeias, atuou em Caçada Sangrenta (1974). Também esteve no elenco de Armadas e Violentadas (1976), de Jean Garet e Corpo Devasso (1981), de Alfredo Sternheimen.

Em 1976 também fez Marcados Para Viver, de Maria do Rosário, um dos raros filmes em que atuou sem a presença de David Cardoso no elenco. Também sem Cardoso, fez Mulher Tentação (1982), de Ody Fraga, que também a dirigiu em A Noite das Taras II (1982).

Novamente sob a batuta de Candeias, fez A Freira e a Tortura (1983) e despediu-se das telas com Tentação na Cama (1984), de Ody Fraga.

Sua última aparição nas telas foi no documentário Estou Com Aids (1986), dirigido por seu ex-marido David Cardoso.





David Cardoso, o cantor Roberto Carlos, James Cardoso e Evelise Olivier







Veja Também: A História de Zequinha e Quinzinho. Quinzinho também é conhecido como "O Anão dos Trapalhões"



Um comentário:

  1. É um rosto que com certeza vi nos tempos de Cinema Novo, Cinema Marginal Brasileiro e as pornochanchadas

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil