Por Onde Anda? A atriz Dorinha Duval


Embora já fosse uma veterana, foi na década de 70 e começo dos anos 80 que Dorinha Duval ganhou mais projeção. Depois de atuar em muitas novelas, Dorinha foi escalada para interpretar a Cuca no Sítio do Pica-Pau Amarelo, em 1977 (na Rede Globo). Em 1980, sua carreira foi interrompida bruscamente quando a atriz foi presa por assassinar o marido, o cineasta Paulo Sérgio Alcântara.

Dorah Teixeira, mais conhecida como Dorinha Duval, nasceu em 21 de janeiro de 1929, em São Paulo. Ingressou no mundo artístico como cantora, nos anos 1940, acompanhando o pianista Moacir Peixoto (irmão do cantor Cauby Peixoto) na extinta boate Oasis. No mesmo local, também se apresentou ao lado da orquestra do maestro, pianista e compositor Robledo, cantando e tocando maracas – instrumento que lhe valeu, na época, o apelido de Dorah Maraca.

Ainda adolescente, entrou para o grupo de bailarinas do diretor Carlos Lisboa, fazendo apresentações em cassinos do interior de São Paulo. Ao mesmo tempo, começou a se encantar pelo teatro. Descoberta pelos atores Mary e Juan Daniel, pais do diretor Daniel Filho, ingressou no teatro de revista. Em 1947, usando o apelido de Chininha, devido a seus olhos puxados, foi uma das girls de Um Milhão de Mulheres, uma revista revolucionária, estrelada pelas vedetes Salomé Parísio e Virgínia Lane.
Dorinha Duval, vedete

O sucesso nas revistas levou a atriz para a televisão. Dorinha estreou na TV Tupi de São Paulo, participando de programas como TV de Comédia, a partir de 1957. Nesta época, a atriz casou-se com o diretor de TV Mário Pomponet Júnior.

Em 1958 ele fez parte do sitcom Chica Boa, também na Tupi. No elenco do seriado, Amândio Silva Filho, Vida Alves, Geni Prado, Casarré, Marisa Sanchez, Flávio Pedroso e Eduardo Abbas. A direção era de Geraldo Vietri.

 Dorinha Duval, de óculos, em Chica Boa

Em 1962 Dorinha se casou com o ator Daniel Filho, filho de Mary e Juan Daniel. Juntos eles trabalharam na TV Rio e TV Excelsior, o no programa Times Square.

Dorinha Duval e Daniel Filho


O casal permaneceu juntos até 1972, e em 1965 Dorinha deu à luz a atriz Carla Daniel, sua única filha. Paralelamente à carreira na televisão, Dorinha Duval atuava no cinema. Em 1952, fez seu primeiro filme, Veneno (1952), estrelado por Leonora Amar, uma brasileira que fez muito sucesso no México. Nos anos seguintes, atuou em Vou te Contá (1958), de Alfredo Palácios, As Aventuras de Pedro Malasartes (1960), dirigido por Amácio Mazzaropi, e O Homem que Roubou a Copa do Mundo (1961), de Victor Lima, entre outros.

Dorinha Duval começou a trabalhar na Rede Globo em 1969, no elenco da novela Verão Vermelho, de Dias Gomes. No início dos anos 1970, esteve no elenco de três das novelas de maior sucesso da teledramaturgia brasileira, todas dirigidas por Daniel Filho: Irmãos Coragem (1970), de Janete Clair, Minha Doce Namorada (1970), de Vicente Sesso, e Selva de Pedra (1972), também de Janete Clair.

Em 1973 ela interpretou uma das irmãs Cajazeiras na novela O Bem-Amado (1973), também de Dias Gomes. 

Dirce Migliaccio, Dorinha Duval e Ida Gomes em O Bem Amado

Dorinha ainda atuou em novelas como O Espigão (1974), O Feijão e o Sonho (1976), Sinal de Alerta (1978), e dos programas Plantão de Polícia e Azambuja & Cia. Em 1977 Dorinha interpretou a bruxa Cuca em O Sítio do Pica Pau Amarelo.

Dorinha Duval vestindo a roupa de Cuca

Em 1980, durante uma discussão, Dorinha Duval matou o seu terceiro marido, o produtor publicitário e cineasta Paulo Sérgio Garcia Alcântara. Dorinha, 16 anos mais velha que o marido, era constantemente vítima de abusos verbais por parte dele, que a chamava de velha, flácida, e dizia que queria mulheres mais novas. Na é epoca, a atriz tinha 51 anos de idade. Um dia, Dorinha nao aguentou as inúmeras ofensas e humilhações, e num momento de raiva deu três tiros no marido.

A atriz foi presa, e cumpriu seis anos de prisão. Ao receber liberdade, afastou-se da vida pública. Em 2002 lançou uma auto biografia, onde contava sobre os momentos difíceis de sua vida. Ela foi estuprada aos 15 anos de idade e chegou a se prostituir para poder sobreviver. Também fala da tentativa de suicídio e sobre a morte de Paulo.

Dorinha Duval em 2002
  
Em 2006 ela foi homenageada no capítulo final da novela Belíssima (2006), onde foi homenageada ao lado de outras vedetes como Virginia Lane e Carmen Verônica.

Atualmente Dorinha Duval faz parte do time dos aposentados da Globo, um grupo de artístas ainda contratado, mas que não trabalha mais. Entre outras coisas, o salário garante assistência médica aos veteranos. Ela dedica-se o seu tempo entre o esoterismo, além de ter se tornado pintora e escultora.

 Dorinha Duval, a primeira a esquerda, em 2018, junto com os veteranos Pedro Farah, Berta Loran, Ana Maria Sagres, Ruth de Souza e o comediante Nelson Freitas.


Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentário:

  1. Não consigo acreditar que esta saudosa artista tenha completado 90 anos. É mais velha que meu pai, que tem 86. Esta veterana teve uma vida muito dura, mas sobreviveu a tudo isto.

    Salve, Dorinha!

    ResponderEliminar

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil