Barbara Harris, de Nashville e Trama Macabra morre aos 83 anos


Morreu aos 83 anos de idade, a atriz Barbara Harris. Ela foi indicada ao Oscar por seu papel em Coitadinho do Papai, Mamãe Pendurou Você no Armário e Eu Estou Muito Triste (Oh Dad, Poor Dad, Mamma's Hung You in the Closet and I'm Feelin' So Sad, 1967) e atou em Trama Macabra (Family Plot, 1976), último filme de Alfred Hitchcock.




Barbara Harris nasceu em 25 de julho de 1935, em Evaston, Illinois. Ela inicou-se na carreira de atriz ainda adolescente, quando ingressou no Playwrights Theatre, em Chicago. Entre seus colegas de companhia estavam Ed Asner, Elaine May e Mike Nichols.

Em 1961 ela mudou-se para Nova York, onde estreou na Broadway em 1961. Em 1962 foi indicada ao prêmio Tony de Melhor Atriz. Nesta época, fez aulas de interpretação no lendário Actor's Studio.

Barbara tornou-se uma estrela na Broadway, e ganhou o Theatre World Award por seu desempenho em Oh Dad, Poor Dad, Mamma's Hung You in the Closet and I'm Feelin' So Sad. Em 1966 foi novamente indicada a um Tony. Em 1967 ela finalmente foi agraciada com o prêmio, por sua atuação em uma peça dirigida pelo antigo colega Mike Nicholson.

Harris estreou na televisão como atriz convidada em um episódio da série Alfred Hitchcok Apresenta (Alfred Hitchcock Present), em 1961. Após participar de algumas séries de TV, ela fez sua estreia no cinema em Mil Palhaços (A Thousand Clows, 1965), ao lado de Jason Robards.

Ela interpretava uma assistente social que enfrenta e auxilia Jason Robards na luta pela guarda de seu sobrinho.

Jason Robards e Barbara Harris em Mil Palhaços

Por sua atuação, recebeu sua primeira indicação ao Globo de Ouro.

Seu filme seguinte foi a comédia de humor negro Coitadinho do Papai, Mamãe Pendurou Você no Armário e Eu Estou Muito Triste (Oh Dad, Poor Dad, Mamma's Hung You in the Closet and I'm Feelin' So Sad, 1967). Barbara fazia a macabra mãe de Robert Morse, uma mulher que levava o corpo do marido, empalhado, em suas viagens. Por este papel, que ela já havia feito na Broadway, foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.
Com Robert Morse em
Coitadinho do Papai, Mamãe Pendurou Você no Armário e Eu Estou Muito Triste 

No cinema, ainda destacou-se em filmes como Hotel das Ilusões (Plaza Suíte, 1971), O Inimigo Oculto (Who Is Harry Kellerman and Why Is He Saying Those Terrible Things About Me?, 1971) e Guerra Entre Homens e Mulheres (The War Between Men and Women, 1972).

Em 1975 atuou em um de seus papéis mais memoráveis em Nashville (Idem, 1975), de Robert Altman. O filme ainda tinha no elenco Shelley Duvall e Geraldine Chaplin. Barbara Harris e o cineasta se desentenderam durante a realização da obra, o que impediu uma sequência do filme como era planejado, mas mesmo assim ela considerava Altman um grande gênio.

Em Nashville

Seu filme seguinte foi Trama Macabra (Family Plot, 1976), de Alfred Hitchcok. O mestre do suspense já havia trabalhado com ela anos antes, e insistiu que ela interpretasse a falsa espírita que junto com o namorado, procura o paradeiro de um herdeiro desaparecido. O diretor teceu inúmeros elogios a atriz, que ganhou uma nova indicação ao Globo de Ouro por este papel.

Com Bruce Dern em Trama Macabra

Em Um Dia Muito Louco (Freaky Friday, 1976), também lançado no Brasil como "Se eu Fosse a Minha Mãe", interpretou uma mãe que troca de lugar com sua filha, interpretada por Jodie Foster. O filme era uma produção dos Estúdios Disney.

Com Jodie Foster em Um Dia Muito Louco

Posteriormente, atuou em filmes como As Malucas da Avenida (The North Avenue Irregulars, 1979), A Vida Íntima de um Político (The Seduction of Joe Tynan, 1979) e Corações em Segunda Mão (Second-Hands Hearts, 1981). Em Peggy Sue, Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got Married, 1986), interpretou a mãe de Katlheen Turner.

Barbara Harris, Don Murray, Kathleen Turner e Sophia Coppola em 
Peggy Sue, Seu Passado a Espera 

Barbara ainda apareceria nos filmes Garotas Boazinhas Não Explodem (Nice Girls Don't Explode, 1987), Os Safados (Dirty Rotten Scoundrels, 1988) e Matador em Conflito (Grosse Pointe Blank, 1997), que foi seu último trabalho no cinema.

Afastada das telas e palcos desde então, dava aulas de interpretação e tinha um programa de rádio desde 2005.

Barbara Harris em foto recente


Barbara Harris faleceu em 21 de agosto de 2018, aos 83 anos de idade.

Com Alfred Hitchcock

Leia também: O galã Bradford Dillman

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil