Relembrando o breve e talentoso Buza Ferraz


Um dos galãs mais queridos das décadas de 1970 e 1980, Buza Ferraz teve uma carreira marcada pelo teatro, cinema e televisão. Infelizmente, ele nos deixou cedo, com apenas 59 anos de idade.




Alberto Paulo Ferraz nasceu no Rio de Janeiro, em 03 de maio de 1950. Ele era filho de Paulo Ferraz, dono de um estaleiro, e que foi um dos homens mais ricos do Brasil. Seu avô, Hélio Silva, era médico e historiador, e foi membro da Academia Brasileira de Letras, e seu irmão Hélio Ferraz é produtor cinematográfico.

Buza Ferraz formou-se em jornalismo, mas acabou seguindo a carreira de ator. Ele começou a atuar no teatro na década de 1960, ainda adolescente, e estreou na televisão em 1965, imitando Charles Chaplin no programa Didi e Dedé, na TV Excelsior.

Mas sua consagração nos palcos ocorreu quando atuou na lendária montagem brasileira de Hair (1970). Dois anos depois, ainda exibindo uma longa cabeleira, estreou nas telenovelas atuando em Selva de Pedra (1972).


Buza Ferraz em Selva de Pedra

Entre 1974 e 1975 ele interpretou o garotão Cauê na polêmica novela O Rebu. A trama da novela se passava em torno de "quem matou Silvia?", personagem de Bete Mendes, morta no primeiro capítulo. Silvia era namora da Cauê, um rapaz protegido pelo milionário Conrad Mahler (vivido por Ziembiski).

O Rebu foi a primeira novela a abordar a homossexualidade, ainda que velada, na televisão brasileira. A obra sofreu censura da ditadura militar, que obrigou que o personagem Cauê fosse filho adotivo de Conrad, uma forma de disfarçar a relação entre os dois.


Buza Ferraz e Ziembinski em O Rebu

Mas apesar do sucesso do personagem, o ator ficaria alguns anos afastado das novelas para se dedicar ao teatro, embora tenha feito participações especiais em séries e outras produções de dramaturgia na na Rede Globo.

Ele retornou a TV em O Amor é Nosso (1981) e no mesmo ano atuou em Brilhante (1981), onde novamente fazia um personagem homossexual, mas que não pode ser desenvolvido novamente pela censura sofrida pela novela. 


Buza Ferraz, Renata Sorrah e Denis Carvalho em Brilhante

Em 1982 ele atuou na série mini série Quem Ama Não Mata (1982), ainda na Globo, onde também atuou em Final Feliz (1982) e Louco Amor (1983).


Irving São Paulo, Miriam Pires e Buzza Ferraz em Final Feliz


Buza Ferraz em Quem Ama Não Mata

Em 1984 o ator foi para a TV Manchete, onde fez Santa Marta Fabril S.A. (1984) e Marquesa de Santos (1984). Sem contrato fixo, atuou na Globo em De Quina Pra Lua (1985) e nas mini séries Abolição (1988) e República (1989).

Na Manchete, ainda fez Helena (1987) e dois grandes sucessos da emissora: Kananga do Japão (1989) e Pantanal (1990).


Christiane Couto e Buza Ferraz em Helena

Buza Ferraz em Kananga do Japão


Buza Ferraz e Paulo Gorgulho em Pantanal


Em 1984 o ator também estreou no cinema, atuando em Patriamada (1984). Na década de 1980 também atuou em O País dos Tenentes (1987).


Buza Ferraz em Patriamada

A partir da década de 1990 o ator faria poucos trabalhos na televisão, geralmente fazendo participações especiais. Buza Ferraz atuou na mini série Meu Marido (1991), e fez a primeira fase na novela Pedra Sobre Pedra (1992).

Ele ainda participou de Despedida de Solteiro (1992-1993), História de Amor (1995-1996), Labirinto (1998), Páginas da Vida (2006), Malhação (2007) e do programa Casos e Acasos (2008).



E com a retomada do cinema nacional, dirigiu ao lado de Luiz Carlos Lacerda o filme For All - O Trampolim da Vitória (1997), no qual também atuou. O filme mostrava uma base norte-americana no nordeste brasileiro, durante a Segunda Guerra Mundial, e rendeu aos diretores diversos prêmios.


Buza Ferraz em For All - O Trampolim da Vitória




Ele ainda atuou nos filmes Vox Populi (1998), Brava Gente Brasileira (2000), Viva Sapato! (2002), Vestido de Noiva (2006) e Elvis & Madona (2010).

Grande agitador cultural, foi sócio fundador e diretor do Centro Cultural Espaço Telezoom (criado em 2008).  

Buza Ferraz lutava contra a leucemia desde o ano 2000, e em 03 de abril de 2010 faleceu após sofrer três paradas respiratórias no Hospital Samaritano do Rio de Janeiro, com apenas 59 anos de idade.

O ator foi casado com as atrizes Analú Prestes e Gilda Guilhon, e estava casado com Denise Monteiro Maio, quando faleceu. Ele deixou cinco filhos, entre eles o ator e produtor Antônio Bento Ferraz.


Gilda Gilhon e Buza Ferraz






0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil