Relembrado o breve e talentoso ator Rodolfo Bottino

Rodolfo Bottino e Isabela Garcia

Na década de 1980 Rodolfo Bottino foi um galã das telenovelas brasileiras. Jovem, bonito, talentoso e com um jeito descontraído e despretensioso, ele encantou uma legião de fãs em sua breve mas marcante carreira. Após parar de atuar, investiu em uma nova e bem sucedida carreira de culinarista.


Descendente de italianos, Rodolfo Bottino Júnior nasceu no Rio de Janeiro, em 11 de fevereiro de 1959. Rodolfo Bottino formou-se em engenharia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mas nunca exerceu a profissão, pois ainda na faculdade começou a atuar em produções universitárias, e acabou profissionalizando-se, estreando nos palcos profissionalmente na peça O Cordão Umbilical (1981).

Em 1984, após frequentar a escola de atores da Rede Globo, ele estreou na televisão, atuando na novela Livre Para Voar (1984), de Walter Negrão.

Elias Gleizer e Rodolfo Bottino em Livre Para Voar

Nos anos seguintes, participou de Ti Ti Ti (1985) e Roda de Fogo (1986), mas ficou famoso após atuar na bem sucedida minissérie Anos Dourados (1986).

José de Abreu e Rodolfo Bottino em Anos Dourados

Nos anos seguintes emendou diversos trabalhos na televisão, atuando em Bambolê (1987), Bebê a Bordo (1988), O Sexo dos Anjos (1989), Lua Cheia de Amor (1990), A, E, I, O... Urca (1990), O Sorriso do Lagarto (1991), Agosto (1993), Pátria Minha (1994), e Fim do Mundo (1996). Além de novelas e minisséries, também atuou em diversos programas Você Decide, e fez participações em programas e especiais para a televisão.

Bianca Bygton e Rodolfo Bottino em O Sexo dos Anjos

Em 1993 estreou no cinema no filme Menino de Engenho, e no final da década de 1990 deixou a televisão, passando a atuar somente no cinema, onde fez Tiradentes (1999), Benjamin (2003), Gregório de Mattos (2003) e O Homem do Futuro (2011). Também foi o apresentador do documentário Pampulha ou a invenção do mar de Minas, de Oswaldo Caldeira, lançado em 2005.

Rodolfo Bottino em Benjamin

Rodolfo Bottino em Gregório de Mattos

Mas apesar de ter abandonado as telenovelas, Rodolfo Bottino nunca abandonou a televisão. Inspirado pelo pai, ele descobriu a paixão pela cozinha aos cinco anos de idade, e nos tempos de teatro adorava cozinhar para os colegas de elenco.

Enquanto ainda fazia novelas, o ator foi para à França, estudar gastronomia na tradicional escola Le Cordon Bléu, e entre 1986 e 1994 teve um restaurante no Rio de Janeiro, chamado Madrugada.


Após parar de atuar em novelas, passou a apresentar um programa que misturava culinária e entrevistas na televisão, exibido pelo canal Shoptime. Também dava aulas de culinária e escreveu livros sobre o assunto. No teatro, misturou a paixão por cozinhar e atuar em peças como Risotto (2000) e Medida Por Medida (2009).

Em 2005 esboçou um breve retorno atuando na televisão, ao participar de um episódio da série Mandrake, produzida pela HBO.


Em 2009, durante uma entrevista ao jornal O Globo, revelou que era bissexual, e contraiu AIDS em algum momento durante o início dos anos de 1990. Também revelou que na juventude lutou contra a anorexia nervosa, e que havia lutado contra um câncer de pulmão entre 2000 e 2006.

Morando em Salvador, Rodolfo Bottino faleceu vítima de uma embolia pulmonar, enquanto se preparava para uma cirurgia no quadril e no fêmur. O ator e chef de cozinha tinha apenas 52 anos de idade quando morreu, em 11 de dezembro de 2011.

Rodolfo Bottino era primo do também ator Alexandre Lippiani, que morreu em um acidente de carro em 1997.


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil