O ator e dublador Flávio Galvão completa 75 anos de idade


Ator, dublador e apresentador, Flávio Galvão brilhou nos palcos, cinema e televisão, e foi um dos maiores galãs brasileiros das décadas de 1970 e 1980.



Flávio José Galvão de França nasceu em São Paulo, em 30 e julho de 1947. Apesar de ter se formado em psicologia, Flávio começou sua carreira artística trabalhando no teatro, e em 1966 começou a trabalhar como dublador nos estúdios da AIC, onde seu primo, o ator Sérgio Galvão já fazia trabalhos de dublagem.

Talvez poucos lembrem, mas Flávio Galvão dublou personagens clássicos da televisão, como o Major Nelson em Jeannie é Um Gênio; Maguila, o Gorila, e Larry Fine em Os Três Patetas, além de ser narrados de diversos comerciais.


Flávio Galvão dublando Maguila, o Gorila



Personagens dublados por Flávio Galvão


Em 1970 ele ingressou na TV Tupi, onde faria diversos trabalhos nos anos seguintes. Na emissora, sua primeira novela foi Simplesmente Maria (1970), e no ano seguinte trabalhou em Hospital (1971), onde contracenava com a atriz Elaine Cristina, com quem se casou em 1972 (eles se separaram em 2011).


Na Tupi, também faria O Preço de Um Homem (1971).


Flávio Galvão e grande elenco em O Hospital


Flávio Galvão e Elaine Cristina


Adriano Reys e Flávio Galvão em O Preço de Um Homem


Em 1972 Flávio foi para a Rede Globo, onde atuou em Vila Sésamo, um clássico dos programas infantis da televisão brasileira (baseado em um programa norte-americano), ao lado de Aracy Balabanian, Laerte Morrone (Garibaldo), Armando Bógus e da jovem Sônia Braga.



Manoel Inocêncio, Armando Bógus, Sônia Braga, Aracy Balabanian e Flávio Galvão em Vila Sésamo


De volta à Tupi, atuou em diversas produções em sequência, fazendo parte do elenco de A Volta de Beto Rockfeller (1973), As Divinas... e Maravilhosas (1973), Mulheres de Areia (1973), O Machão (1974), Meu Rico Português (1975), Um Dia, O Amor (1975), Éramos Seis (1977), Salário Mínimo (1978) e Dinheiro Vivo (1979). Depois, o ator deixou a emissora, que já estava em crise.



Liza Vieira e Flávio Galvão e O Machão


Marisa Sanchez, Gilmara Sanchez (que era sua cunhada, irmã de Elaine Cristina) e Flávio Galvão em Meu Rico Português


Flávio Galvão e Carlos Alberto Ricelli em Éramos Seis



Depois o ator foi para a Bandeirantes, onde atuou em O Todo Poderoso (1979). Na emissora, também atuaria em Sabor de Mel (1983). Já na TV Cultura, atuou em O Fiel e a Pedra (1981), O Resto é Silêncio (1981), O Vento do Mar Aberto (1981) e Partidas Dobradas (1981).

Também atuou em Destino (1982), uma das primeiras telenovelas do SBT.


Flávio Galvão e Ana Rosa em Destino


Ainda na década de 1970 o ator estreou no cinema. Seu primeiro filme foi Senhora (1976), dirigido por Geraldo Vietri, um dos grandes diretores da TV Tupi. Novamente Flávio contracenava com sua então esposa Elaine Cristina.

No mesmo ano também esteve no longa Excitação (1976).


Elizabeth Hartman, Elaine Cristina e Flávio Galvão em Senhora


Zilda Mayo e Flávio Galvão em Excitação


Ele também teve grandes papéis cinematográficos no começo da década de 1980, interpretando Oswald de Andrade em O Homem do Pau-Brasil (1982) e vivendo o Mundinho Falcão em Gabriela (1983). Além de ter atuado em Faca de Dois Gumes (1989).



Ítala Nandi, Etty Frazer e Flávio Galvão em O Homem do Pau Brasil


Flávio Galvão na versão cinematográfica de Gabriela


Depois o ator emplacou uma bem sucedida carreira na Globo, atuando em Amor Com Amor Se Paga (1984), Corpo a Corpo (1984), Cambalacho (1986), O Outro (1987), Olho Por Olho (1988), Tieta (1989) e Araponga (1990).



Flávio Galvão e Natália do Valle em Cambalacho

Flávio Galvão e Stênio Garcia em Corpo a Corpo


Wanda Stefânia e Flávio Galvão em Amor Com Amor Se Paga


Cláudia Alencar e Flávio Galvão em Tieta


Em 1990 Flávio Galvão atuou na minissérie Escrava Anastácia (1990), na TV Manchete, e no ano seguinte foi protagonista do sitcom Grande Pai (1991), no SBT.



Flávio Galvão e Debora Duarte em Grande Pai


De volta a Globo, atuou em Sonho Meu (1993), Irmãos Coragem (1995), Quem É Você? (1996), A Indomada (1997), Corpo Dourado (1998), Força de Um Desejo (1999), Esplendor (2000), Porto dos Milagres (2001) e O Quinto dos Infernos (2002).

Muito popular também em Portugal, onde as novelas brasileiras fazem sucesso desde a década de 1970, o ator atuou na novela portuguesa Lusitana Paixão (2002), produzida pela RTP (Rádio e Televisão Portuguesa). No canal, mais tarde, também faria Nome de Código RTP: Sintra (2007) e O Mistério da Estrada de Sintra (2007).


Priscilla Camargo, Flávio Galvão e Lídia Mattos em Quem é Você?


Flávio Galvão na novela portuguesa Lusitana Paixão


De volta ao Brasil fez Senhora do Destino (2004), na Globo. No SBT fez Os Ricos Também Choram (2005) e Revelação (2007), e na Band fez Paixões Proibidas (2006), além de apresentar o programa É Verdade ou É Mentira (2007).

E também foi o Reginaldo Santos em Império (2014), além de trabalhar como comentarista no Jornal da Cultura, em 2016.


Flávio Galvão e Nanda Costa em Império


Na década de 2000 o ator retornou ao cinema, atuando então em Sonhos Tropicais (2002), Gosto de Fel (2012), O Caso Letícia (2013), O Candidato Honesto (2014) e Receita de Amor (2019).






Separado de Elaine Cristina em 2011, o ator também voltou ao teatro, atuando em As Pontes de Madison, com Mayara Magri, com quem teve um relacionamento.


Mayara Magri e Flávio Galvão em As Pontes de Madison


Em 2017 o ator assinou contrato com a TV Record, onde tem trabalhado desde então. Ele esteve nas novelas Apocalipse (2017) e Jezabel (2019), e voltou a trabalhar com a voz, como no começo de sua carreira, fazendo a voz de Deus em Gênesis (2021), A Bíblia (2021) e Reis (2022).


Flávio Galvão em Apocalipse



Flávio Galvão é pai do ator e dublador Flávio de França, filho da atriz Elaine Cristina.


Flávio Galvão atualmente, com seu filho



0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil