Bruna Lombardi Completa 70 Anos de idade


Considerada uma das atrizes mais bonitas do Brasil, Bruna Lombardi provou ser mais que uma bela mulher. Inteligente, ela além de atriz é diretora, produtora, apresentadora e poetisa.



Bruna Patrizia Romilda Maria Teresa Lombardi nasceu no Rio de Janeiro em 01 de agosto de 1952. Bruna é filha do diretor de fotografia e cineasta italiano Ugo Lombardi, que veio para o Brasil para trabalhar na Companhia Cinematográfica Vera Cruz. Sua mãe era a atriz Yvonne Sandner.


Yvonne Sandner e a pequena Bruna Lombardi


Muito bela, ela Bruna Lombardi começou a trabalhar como modelo ainda na adolescência, e no começo dos anos de 1970 já era uma das modelos fotográficas mais bem pagas do país, anunciando de shampoo, sabonetes e até ações da bolsa de valores.


Bruna Lombardi como modelo

Além de ser uma das modelos mais requisitadas do Brasil, ela também publicou seu primeiro livro de poesias, antes de estrear na carreira de atriz. Ao longo dos anos, ela publicou diversos livros, a maioria deles de poesias.


Bruna Lombardi e o poeta Mário Quintana

Foi somente em 1977 que ela iria ingressas na televisão, quando atuou na novela Sem Lenço, Sem Documento (1977), na Rede Globo.


Bruna Lombardi em Sem Lenço, Sem Documento

Depois a atriz foi contratada pela TV Tupi, onde foi a estrela de Aritana (1978), onde conheceu o ator Carlos Alberto Riccelli, com quem se casou ainda em 1978. Com o marido, ela também atuou em Drácula, Uma História de Amor (1980), uma novela que não teve final, pois a Tupi acabou encerrando suas atividades.

A mesma novela, com outro nome, então foi produzida pela TV Bandeirantes, com o nome de Um Homem Muito Especial.


Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli em Aritana


Carlos Alberto Riccello, Bruna Lombardi e Rubens de Falco em Drácula, Uma História de Amor 

Após uma breve passagem pela TV Cultura, onde apresentou o Telecurso 2º Grau, ela retornou a rede Globo, onde atuou na minissérie Avenida Paulista (1982). Na emissora, apareceu em diversos programas da casa, como os especiais Caso Verdade, antes de fazer sua primeira novela no canal, Louco Amor (1983), de Gilberto Braga.


Fábio Júnior e Bruna Lombardi em Louco Amor

Em 1985 Bruna atuou naquele que talvez seja seu trabalho mais famoso, a minissérie Grandes Sertões: Veredas, baseada na obra de Guimarães Rosa. Bruna vivia Diadorim, que se vestia de homem para sobreviver a vida dura do sertão.


Bruna Lombardi e Tony Ramos em Grandes Sertões: Veredas

No ano seguinte, ela apareceu com cabelos negros e curtos em outra minissérie, Memórias de Um Gigolô (1986), e depois interpretou a Lúcia Brandão na novela Roda de Fogo (1986).


Bruna Lombardi em Memórias de um Gigolô

Bruna Lombardi havia estreado no cinema no filme A Noite dos Duros (1978), mas todas as suas cenas foram cortadas na edição final. A primeira vez que o público teve oportunidade de ver a atriz nas telonas foi em O Cangaceiro Trapalhão (1983), um filme protagonizado pelo quarteto Os Trapalhões.

Ela interpretava uma feiticeira.


Bruna Lombardi em O Cangaceiro Trapalhão

Em 1989, após estrelar com o marido o especial de fim de ano Bruna e Ricelli (1989), ela deixou a Globo, indo morar com o marido e seu único filho, Kim Riccelli (nascido em 1981), nos Estados Unidos.

Nos EUA, Bruna passou a apresentar e produzir o programa Gente de Expressão (1991-1999), que era gravado em Los Angeles, e exibido pela TV Manchete. Em seu programa, ela entrevistou tanto nomes de destaque no cenário nacional, como estrelas internacionais, como o diretor Oliver Stone, o ator e diretor Mel Brooks, a cantora Mariah Carrey, e os atores Dustin Hoffman e Jean-Claude Van Damme. Bruna Lombardi também entrevistou o cantor Bon Jovi, cuja entrevista tornou-se icônica.


Bruna Lombardi e Oliver Stone




Eventualmente, ela voltaria ao Brasil para atuar em projetos curtos, como uma participação especial em De Corpo e Alma (1992) e na novela O Fim do Mundo (1996), que só tinha 35 capítulos.


José Wilker e Bruna Lombardi em O Fim do Mundo


Novamente atuando com o marido, Bruna Lombardi participou do filme norte-americano A Melhor Vingança (The Best Revenge, 1996), que tinha no elenco o ator Robert Pine, da série C.H.I.P.s.




Ela ainda participaria de alguns capítulos de Andando nas Nuvens (1999) e na minissérie O Quinto dos Infernos (2002).


Bruna Lombardi e Humberto Martins em O Quinto dos Infernos


Em 2002 ela retornou ao cinema brasileiro, atuando em O Príncipe (2002), de Ugo Giorgetti. Depois, atuou no filme Stress, Orgasms, and Salvation (2005), uma produção norte-americana, dirigida por Carlos Alberto Riccelli, que tinha roteiro e produção de Lombardi.

Também dirigida pelo marido, e assinando o roteiro e a produção, a atriz também atuou em O Signo da Cidade (2007). Esta mesma parceria também foi repetida em Onde Está a Felicidade? (2011) e Amor em Sampa (2016), que ainda tinha co-direção de seu filho, Kim Riccelli.





Ela ainda foi dirigida por Helena Ignez em Luz nas Trevas - A Volta do Bandido da Luz Vermelha (2012), e por Nelson Pereira dos Santos em Brasília 18% (2006).

Na TV, ela também apareceu na série Mandrake (2007), da HBO e entre 2017 e 2019, protagonizou com Carlos Alberto Riccelli a série A Vida Secreta dos Casais, sob direção de seu filho, Kim Riccelli.



Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli em A Vida Secreta dos Casais


Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli atualmente

Bruna Lombardi, Kim Ricelli e Carlos Alberto Ricelli


Bruna Lombardi atualmente

Carlos Alberto Riccelli, Bruna Lombardi e Kim Riccelli

Bruna Lombardi em 2022


Bruna Lombardi quando entrevistou a atriz pornô Cicciolina

A diretora Bruna Lombardi

Bruna Lombardi e o ator italiano Ugo Tognazzi


A jovem Bruna Lombardi, nos tempos de modelo


Um comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil