Relembrando o ator Stephen Boyd, o Messala de Ben-Hur (1959)


Stephen Boyd chegou a ser um dos atores mais requisitados de Hollywood, e ficou eternizado no papel de Messala, o amigo de infância que acaba condenando Judah Ben-Hur, e seus familiares, a escravidão, mesmo sabendo que eles estão sendo condenados por um acidente, no clássico Ben-Hur (Idem, 1959), um dos filmes mais premiados da história do cinema.


Stephen Boyd e Charlton Heston em Ben-Hur

Stephen Boyd era o nome artístico de William Millar, um ator irlandês, nascido em 04 de julho de 1931. Ele era um dos 11 filhos de uma família humilde, cujo pai era caminhoneiro. Ainda muito cedo, ele trabalhou em diversos tipos de emprego, para ajudar nas despesas domésticas, e enquanto vendia seguros, estudava atuação após o expediente.

Ele eventualmente conseguia alguns papéis no teatro, e em programas radiofônicos, e acabou deixando Belfast, na Irlanda, para tentar a vida nos palcos londrinos, mas em 1952, ele ficou gravemente doente após quase morrer na epidemia de gripe que assolou a cidade.

Trabalhando como bilheteiro de um cinema, ele acabou sendo descoberto pelo ator Michael Redgrave (pai de Vanessa Redgrave), que o levou para atuar na companhia The Arts Midland Theatre Company. Foi então que sua carreira de ator começou a decolar.

Ele começou a atuar em alguns programas de televisão da BBC, e estreou no cinema, em um papel não creditado, em The Limping Man (1953).


O jovem Stephen Boyd

O ator levou dois anos para conseguir seu primeiro papel de destaque no cinema, quando interpretou Albert O'Shannon em A Costela do Diabo (An Aligator Named Daisy, 1955), uma comédia estrelada por Diana Dors, conhecida como "a Marilyn Monroe inglesa".


Diana Dors e Stephen Boyd em A Costela do Diabo

No ano seguinte, acabou assinado um contrato de 7 anos para atuar em Hollywood, passando a ser um dos atores do elenco da Fox. Seu primeiro papel norte-americano foi como um espião em O Homem que Nunca Existiu (The Man Who Never Was, 1956).


Stephen Boyd em O Homem que Nunca Existiu 

O diretor William Wyler ficou tão impressionado com o seu trabalho, que pediu que a Fox o emprestasse para a MGM, para ser o antagonista de sua ambiciosa produção Ben-Hur (Idem, 1959), um dos filmes mais carros da história do cinema

A produção caprichada de Ben-Hur demorou muitos anos entre a confecção de cenários, figurinos e filmagens, realizadas na Itália. E antes do lançamento do filme, Boyd ainda atuou em filmes como Barco Sem Rumo (Seven Waves Away, 1957), Ilha nos Trópicos (Island in the Sun, 1957), Fugindo à Tempestade (Seven Thunders, 1957), Estigma da Crueldade (The Bravados, 1958), Meu Coração Tem Dois Amores (Woman Obsessed, 1959) e Sob o Signo do Sexo (The Best of Everthing, 1959).

Ele também fez o filme francês Vingança de Mulher (Les Bijoutiers du Clair de Lune, 1958), dirigido por Roger Vadin, e co-estrelado por Brigitte Bardot.


Joan Collins e Stephen Boyd em Ilha nos Trópicos


Stephen Boyd em  Estigma da Crueldade


Stephen Boyd e Brigitte Bardot em Vingança de Mulher 


Quando Ben-Hur finalmente estreou, em 1959, Boyd atingiu o ápice de sua fama, devido ao enorme sucesso de bilheterias da produção. Ele foi indicado ao Globo de Ouro, e sua não indicação ao Oscar causou a revolta de alguns críticos de cinema, que acreditavam que seu desempenho deveria ter sido reconhecido.

Vencedor de 11 Oscars, e um dos maiores recordistas de bilheteria da história do cinema, Ben-Hur (Idem, 1959), tornou-se um importante clássico da sétima arte.


Stephen Boyd em Ben-Hur


Posteriormente, o ator faria A Grande Cartada (The Big Gamble, 1961), O Inspetor (The Inspector, 1962), onde contracenava com Dolores Hart (uma estrela que abandonou Hollywood para se tornar freira), e A Mais Querida do Mundo (Billy Rose's Jumbo, 1962), ao lado de Doris Day.

A Mais Querida do Mundo lhe rendeu sua segunda indicação ao Globo de Ouro. Em 1962 lhe foi oferecido o papel de James Bond em O Satânico Dr. No (Doctor No, 1962), mas recusou o papel, que acabou consagrando Sean Connery.


Stephen Boyd e Dolores Hart em O Inspetor


Stephen Boyd e Doris Day em A Mais Querida do Mundo



Stephen Boyd então começou a trabalhar em outro filme épico com um orçamento milionário, assumindo o papel de Marco Antônio em Cleópatra (Cleopatra, 1963). Porém, a atriz Elizabeth Taylor adoeceu durante das filmagens, atrasado o projeto em vários meses, e o ator acabou pedindo seu desligamento do filme, deixando o papel para Richard Burton.

Boyd havia gravado algumas das cenas de Cleópatra, que precisaram ser refilmadas.


Stephen Boyd em Cleópatra



O ator foi para à Itália, onde fez Vênus Imperial (Venere Imperiale, 1962), com Claudia Cardinale e fez outra super produção, o épico A Queda do Império Romano (The Fall of the Roman Empire, 1964), que acabou sendo um grande fracasso de bilheterias, e deu um enorme prejuízo financeiro para o estúdio.

O fracasso da produção abalou os rumos de sua carreira.

Stephen Boyd e Sophia Loren em  A Queda do Império Romano


Stephen Boyd então fez Verdade Oculta (The Third Secret, 1964), Confidências de Hollywood (The Oscar, 1966) e O Ópio Também é Uma Flor (Poppies Are Also Flowers, 1966), e ainda participou de outros épicos, como Genghis Khan (Idem, 1965), A Bíblia (The Bible: In the Beginning..., 1966).


Stephen Boyd em Genghis Khan


Stephen Boyd ainda teve um papel notável em Viagem Fantástica (Fantastic Voyage, 1966), que fez muito sucesso na época, mas aos poucos sua carreira em Hollywood começou a decair.



Stephen Boyd e Rachel Welch em Viagem Fantástica


Em Hollywood, ele ainda faria o pouco expressivo Carnaval de Ladrões (The Vaper of the Golden Bulls, 1967), e depois rumou para à Europa, onde fez a maior parte de seus trabalhos seguintes.

Na Inglaterra, ele atuou em Missão Secreta K (Assignment K, 1968), e ao lado de Sean Connery e Brigitte Bardot, fez Shakalo (Idem, 1968), que fez muito sucesso.


Stephenn Boyd e Brigitte Bardot em Shakalo


Boyd fez filmes na Itália, Espanha, Inglaterra e Alemanha, e parecia estar mais interessado em roteiros desafiadores do que em projetos que o mantivessem em evidência. Como consequência, os convites foram diminuindo, e ele acabou fazendo algumas obras de gosto duvidoso, como os filmes de terror Lady Dracula (1977), feito na Alemanha. Mas também atuou em Abominável Extorsão (The Squeeze, 1977).


Stephen Boyd em Lady Dracula


Stephen Boyd em Abominável Extorsão


De volta aos Estados Unidos, atuou em Terror nas Profundezas (The Treasure of Jamaica Reef, 1974). Ele também gravou uma participação na série norte-americana Havaí 5.0 (Hawaii Five-O), em 1977. 


Stephen Boyd em Terror nas Profundezas


Jack Lord e Stephen Boyd em Havaí 5.0



Stephen Boyd não chegou a ver a estreia do programa na TV, pois faleceu antes do mesmo ir ao ar. Em 02 de junho de 1977 ele sofreu um ataque cardíaco fulminante enquanto jogava golfe, morrendo com apenas 45 anos de idade.



Charlton Heston e Stephen Boyd se divertindo nos bastidores de filmagens de Ben-Hur



0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil