Por Onde Anda? a atriz Bianca Byington



Bianca Byigton nasceu no Rio de Janeiro em 23 de outubro de 1966. Ela é bisneta da filantropa Pérola Byington, que dá nome a um hospital de São Paulo, e é irmã da cantora Olivia Byington e tia do ator Gregório Duvivier.

Mais lembrada pelo grande público por suas atuações na televisão, Bianca foi a protagonista de Garota Dourada (1984) e se tornou uma espécie de musa jovem do cinema brasileiro da década de 1980.



Bianca Byington começou a atuar aos 11anos de idade, como membro infantil do coro da primeira montagem do musical Os Saltimbancos, de Chico Buarque, e dois anos mais tarde foi protagonista do longa metragem Tormenta (1980) de Umberto Molo.

Esta atuação lhe rendeu o Kikito de melhor atriz coadjuvante no Festival de Cinema de Gramado, que foi dividido com as atrizes Carla Camurati e Ruthinéia de Moraes.



Nesta época Bianca foi eleita Musa do Verão Carioca, e foi convidada pelo diretor Antônio Calmon para protagonizar o filme Garota Dourada (1984), uma espécie de continuação do sucesso Menino do Rio (1982).



A produção também foi muito bem sucedida (e a trilha sonora é até hoje executada nas rádios brasileiras) e rendeu a jovem atriz revelação diversos convites para o cinema na década de 1980. Bianca Byington ainda atuou em Amor Voraz (1984), A Mulher Fatal Encontra o Homem Ideal (1987) e Ratos da Lei (1989).

Em 1986 ela também fez sua estreia na televisão, vivendo uma sereia em um episódio da série Armação Ilimitada, estrelada por André de Biasi, seu colega de elenco de Garota Dourada.

No mesmo ano fez parte do elenco da minissérie Anos Dourados (1986), interpretando Marina, uma das amigas de Maria de Lourdes, papel vivido por Malu Mader. Sem nunca ter assinado um contrato com uma emissora (a atriz sempre trabalhou por obra), Bianca só retornou à TV na novela O Sexo dos Anjos (1989).


Humberto Martins e Bianca Byington em O Sexo dos Anjos


Em 1992 ela foi convidada pelo autor Carlos Lombardi para viver a Téia, uma "perua rica" na novela Perigosas Peruas (1992), que foi um divisor de águas em sua carreira. A partir de então ela passou a fazer papéis de madames, geralmente com uma veia cômica.

Originalmente sua personagem iria aparecerem apenas alguns capítulos, mas como caiu no gosto do público, acabou crescendo na trama.


Romulo Arantes e Bianca Byington em Perigosas Peruas


Bianca repetiu o estilo "perua rica" em Quatro Por Quatro (1994) e em Malhação (1996), onde interpretou a Dóris Simões de de Andrade. Ela também atuou nas novelas O Mapa da Mina (1993), Corpo Dourado (1998), que foi dirigida por Antônio Calmon, A Padroeira (2001), e Como Uma Onda (2004), além de fazer diversas participações em programas e especiais da Rede Globo.



No cinema, atuou ainda em For All - O Trampolim da Vitoria (1997), Amar (curta-metragem, 1997), O barato é Ser Careta (2000), Deus Jr. (2000), A Dona Da História (2004) e Trair e Coçar É Só Começar (2006). Em 2006 ela foi convidada pelo diretor José Fonseca e Costa para protagonizar o longa Viúva Rica Soleira Não Fica (2006), um filme Português. No ano seguinte ainda atuou em A Última Juventude (2007).



De volta ao Brasil, o autor Carlos Lombardi, que sempre escreveu papéis para Byington, a convidou para fazer uma participação especial na novela Bang Bang (2006). Ainda na Globo, Bianca atuou na temporada de Malhação de 2007 (fazendo outra personagem) e atuou na novela Três Irmãs (2008).

Ela ainda apareceria em alguns especiais da emissora e em 2011 fez uma participação especial em Insensato Coração (2011).


Bianca Byington em Insensato Coração


Giulia Gam, Bianca Byington e Xuxa no especial As Brasileiras (2012)



Em 2013 a atriz assinou com a TV Record para atuar na novela Pecado Mortal (2013), escrita por seu amigo Carlos Lombardi. Na trama, ela vivia novamente um "perua rica".

Desde então, a atriz não atuou mais em novelas, mas eventualmente fez participações em séries feitas pela televisão, exibidas por canais como Globo, GNT, Multishow e HBO. Sua série mais recente é Boca a Boca (2020), produzida pela Netflix.

A atriz também retornou ao teatro, atuando na peça Dogville (2018). Desde 2015 ela também apareceu em diversos episódios do Porta dos Fundos, canal do Youtube, onde contracenou diversas vezes com o sobrinho Gregório Duvivier.


Bianca Byington e Fábio Assunção em Dogville


Bianca Byington no Porta dos Fundos



Bianca Byigton também continuou bastante  ativa no cinema brasileiro, atuando em Eu Não Faço a Menor Ideia do Que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida (2012), Noite de Reis (2012), Minha Família (2021) e Homem Onça (2021), que lhe valeu seu segundo Kikito de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Cinema de Gramado.

Discreta, a atriz não faz muitas aparições públicas e mantém suas redes sociais privadas apenas para amigos e familiares. Desde 2004 Bianca Byington é casada com o artista plástico Daniel Senise.


Bianca Byington nos intervalos de filmagem de O Homem Onça

Bianca Byington e o sobrinho Gregório Duvivier, em 2021


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil