Relembrando o breve e talentoso Chiquinho Brandão


Um dos mais talentosos e versáteis atores de sua geração, Chiquinho Brandão era ator e músico. Exímio flautista, ele chegou a gravar com a lendária Elis Regina. Infelizmente, ele nos deixou muito cedo, com apenas 39 anos de idade.




Francisco de Paula Brandão Bisneto nasceu em Jaú, interior de São Paulo, em 20 de abril de 1952, e era primo do ator Stephan Nercessian.

Ele começou a estudar flauta ainda criança, e logo tornou-se um exímio músico, tanto que sua estreia na televisão foi como flautista no programa Concertos Para a Juventude, em 1964. E foi na década de 1970 que ele começou a atuar, fazendo comerciais para a televisão. 




Em 1977 ele ingressou no elenco do programa infantil Bambalalão (1977-1990), um clássico da televisão brasileira, exibido pela TV Cultura. Ele interpretava o cientista Professor Parapopó, e também manipulava os bonecos João Balão e Bambaleão.


Chiquinho Brandão no programa Bambalalão

Em 1980, como flautista, acompanhou Elis Regina na turnê Saudades do Brasil, o último espetáculo da cantora. Além de tocar flauta, fez alguns arranjos para o show e o disco originado dele.

Chiquinho também brilhou no teatro, no Grupo Ornitorrinco, de Cacá Rosset. Nos palcos, também destacou-se ao dar vida ao personagem O Amigo da Onça (1988-1989), criado por Péricles Leal na década de 1940. Amigo da Onça teve direção de Paulo Betti


Christiane Tricerri, Chiquinho Brandão, Cacá Rosset, Rosi Campos, entre outros


Chiquinho Brandão como O Amigo da Onça


Em 1982 ele estreou no cinema, atuando em Noites Paraguaias. Na década de 1980 ainda fez os filmes A Marvada Carne (1985), Cidade Oculta (1986) e Anjos da Noite (1987), que lhe rendeu o prêmio Governador do Estado de Melhor Ator Coadjuvante.

Também fez Lua Cheia (1989) e Ratos da Lei (1989).


Chiquinho Brandão em Anjos da Noite


Em 1987 o ator fez sua primeira novela, atuando em Helena (1987), na TV Manchete. Depois, foi para a Globo, onde fez Bebê a Bordo (1988), Top Model (1989) e a minissérie Riacho Doce (1990).



Yara Amaral e Chiquinho Brandão em Helena



Chiquinho Brandão em Top Model



Chiquinho Brandão em Riacho Doce


Em 1990 ele protagonizou o filme Beijo 2348/72 (1990), que lhe rendeu o prêmio de melhor ator no Festival de Brasília. Chiquinho ainda faria Real Desejo (1990) e o infantil Inspetor Faustão e o Mallandro (1991), protagonizado por Fausto Silva e Sérgio Mallandro.




Chiquinho Brandão e Maythe Proença em  Beijo 2348/72 



Chiquinho Brandão (sentado de costas) em O Inspetor Faustão e o Mallandro


Chiquinho Brandão ainda atuou em O Farol (1991) na TV Manchete, e começou a interpretar o personagem Chico Bagre na minissérie O Sorriso do Lagarto (1991), na Rede Globo. Mas o ator não viu o lançamento deste trabalho, pois faleceu antes de sua finalização. A série foi dedicada a sua memória, e o seu primo Stephan Nercessian assumiu seu papel.

O filme argentino El Viaje (1992), também foi lançado postumamente.


Chiquinho Brandão em O Sorriso do Lagarto


Em 04 de junho de 1991, quando voltava justamente de uma gravação de O Sorriso do Lagarto, Chiquinho Brandão sofreu um acidente de carro na Lagoa Rodrigo de Freitas, falecendo com apenas 39 anos de idade.

Em sua homenagem, o Teatro Casa da Gávea nomeou a "Sala Chiquinho Brandão" em sua memória.


Chiquinho foi casado com Enierre Rachel Guimarães Silva (entre 1980 e 1982), e é pai do ator e cantor Diogo Brandão.










0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil