A trajetória de Jackie Coogan, de astro infantil em O Garoto (1921) ao Tio Chico de A Família Addams (1964-1966)

Em 1921 Jackie Coogan emocionou o mundo no clássico atemporal O Garoto (The Kid, 1921), estrelado por Charles Chaplin. A comovente história do menino órfão, adotado pelo vagabundo Carlitos fez de Coogan um dos primeiros e maiores astros mirins de Hollywood.

Mas uma vida de problemas e abusos paternais acabou com a carreira do menino ator, que precisou batalhar por anos até conseguir uma nova grande chance, muitos anos depois, na série de televisão A Família Addams (The Addams Family, 1964-1966). Na série Coogan interpretava o Tio Chico (Uncle Fester, no original, em inglês).



John Leslie Coogan nasceu em 26 de outubro de 1914, em Los Angeles, Califórnia. Filho dos artistas de vaudeville (que atuaram eventualmente no cinema) Jackie Coogan Sr. e Lillian Coogan, o pequeno Jackie Coogan estreou nos palcos ainda bebê, atuando em espetáculos de seus pais.

Jackie Coogan com os pais, também atores

Com menos de três anos de idade, estreou no cinema no filme Skinner's Baby (1917). Charles Chaplin assistiu um espetáculo com o menino, e ficou encantado com sua presença nos palcos, e disse aos seus pais que gostaria de atuar ao lado do garoto prodígio.


O primeiro filme de Coogan com Chaplin foi o curta Um Dia Bem Passado (A Day's Pleasure, 1919). O astro do cinema mudo gostou do resultado, e produziu O Garoto (The Kid, 1921), para novamente trabalhar com ele.

O filme fez um enorme sucesso, e a emocionante atuação do menino fez dele um astro da noite para o dia. 



Jackie Coogan em O Garoto

Coogan começou a trabalhar exaustivamente, protagonizando diversos filmes e fazendo turnês nacionais nos palcos, ao lado de seu pai. No cinema, foi astro de filmes como Oliver Twist (1922) e Little Robinson Crusue (1924). Na época, ele era um dos artistas mais bem pagos na indústria do cinema.


Ele também foi uma das primeiras celebridades a ter diversos tipos de produtos franqueados, utilizando seu nome. Brinquedos, sabonetes, doces, livros, e todo tipo de objetos colecionáveis foram vendidos com a imagem do jovem astro mirim.




Em 1923 a MGM ofereceu uma fortuna para o menino deixar a First National e ingressar no elenco de seus contratos. Em termos de hoje, o contrato equivaleria a mais de um milhão de dólares por filme. 

Seu primeiro filme na Metro Goldwyn Mayer foi Daddy (1923), cujo roteiro foi escrito por sua mãe. No estúdio atuou em filmes como Roupa Velha (Old Clothes, 1925), O Jóquei (Johnny Get Your Hair Cut, 1927), O Corneteiro (The Bugle Call, 1927) e Meu Comandante (Buttons, 1927).

Jackie Coogan e Joan Crawford em Roupa Velha

Mas em 1927, aos treze anos de idade, o ator já não era mais tão gracioso como antes. Além disto, a chegada do cinema falado afetou a sua carreira, pois o ator estava na puberdade, e passando pela transição vocal.

Ele somente retornou ao cinema em Aventuras de Tom Sawyver (Tom Sawyer, 1930), estrelado por Junior Durkin, um astro novo astro mirim que chegava em Hollywood. Junior Durkin e Coogan se reencontrariam novamente nas telas em Mocidade Feliz (Huckleberry Finn, 1931).

Ambos se tornaram grandes amigos.

Jackie Coogan, Mitzi Green e Junior Durkin em Aventuras de Tom Sawyer

Depois o ator só voltaria ao cinema em 1935, no filme Perigo à Frente (Home on the Range, 1935). Seu irmão mais novo, Robert Coogan (1924-1978), também fez alguns trabalhos como ator mirim na década de 1930, atuando em filmes como Skippy (1931) e Sooky (1931).

Robert Coogan

Uma grande tragédia ocorreria na vida de Jackie Coogan pouco tempo depois. Em seu aniversário de vinte anos de idade, ele convidou o amigo Junior Durkin para passar uns dias em seu rancho, nas proximidades de San Diego. 

Coogan havia ganho um carro de presente de aniversário, e convidou uns amigos para dar uma volta no veículo. Seu pai, Jackie Coogan Sr. era o motorista, e recisou desviar de um carro que vinha na contra-mão. Ele acabou perdendo o controle, capotando sete vezes antes de cair em um barranco. Morreram no acidente Jackie Coogan Sr.Junior Durkin, o roteirista Robert J. Horner e o capataz do rancho, Charles Jones. (Já contamos a história de Junior Durkin aqui).

Apenas Jackie Coogan sobreviveu ao acidente, sendo o único passageiro que permaneceu dentro do carro. Ele ficou gravemente ferido, ficando meses internado em um hospital.

Enquanto ainda estava internado, sua mãe se casou novamente, com o então empresário de Jackie Coogan. Ao ter alta, ele descobriu que sua mãe não havia pago nem as despesas hospitalares, e decidiu pedir uma prestação de contas de sua fortuna, acumulada na década de 1920.

Jackie Coogan descobriu que ela e o novo marido haviam sumido com seu patrimônio, de cerca de quatro milhões de dólares.

Sabendo que o ator estava em dificuldades financeiras, foi Charles Chaplin quem o amparou neste momento difícil.

Charles Chaplin e Jackie Coogan, se reencontrando

Coogan começou a beber, e tornou-se alcoólatra. Ele processou a mãe em uma longa batalha judicial. Após anos de processo, conseguiu recuperar 126 mil dólares, tudo que havia restado de seu patrimônio.

A repercussão do processo resultou na criação de uma lei para proteger o patrimônio adquirido por crianças que trabalhavam, que foi chamada de Lei Coogan. Mas somente no ano 2000 que a lei norte-americana garantiu que todos os ganhos ficassem com a criança, sem os pais ter direito algum sobre o patrimônio. A decisão judicial usou como argumento o caso do ator Macaulay Culkin, muitos anos mais tarde.

Em 1937 ele se casou pela primeira vez, com a atriz Betty Grable. E foi ao lado da esposa que ele retornou ao cinema, atuando em Jazz Academia (College Swing, 1938) e Ela Prefere os Atletas (Millin Dollar Legs, 1939).

Betty Grable e Jackie Coogan

O casamento acabou em 1940, mesmo ano em que ele foi convocado para servir ao Exército, durante a Segunda Guerra Mundial. Isto interrompeu novamente sua carreira, já decadente.

Somente em 1947 ele fez um novo filme, pouco expressivo. Nos anos seguintes sua carreira quase não teria expressão, e Coogan chegou a fazer figuração em filmes como Papai Não Quer (The Actress, 1953) e À Borda da Morte (The Pround Ones, 1956).

Na televisão, teve melhores oportunidades, como na série Cowboy G-Men (1952-1953), onde tinha um papel regular. 

No final da década de 1950, o antigo astro juvenil atuou em alguns filmes menores, sobre delinquência juvenil, muito em moda na época após o fenômeno James Dean. Coogan atuou em obras como Judy, A Adolescente Perdida (Eighteen and Anxious, 1957) e Escola do Vício (High School Confidential!, 1958). Nesta época, sua calvície já era evidente.

Jackie Coogan em Escola do Vício

Em 1964 ele foi escalado para viver o hilário Tio Chico na série A Família Addams (The Addams Family, 1964-1966). Quando ganhou o papel ele chegou a declarar que estava completamente falido, e este trabalho seria sua salvação financeira.



A Família Addams não só o livrou das dívidas, como deu um novo rumo a sua carreira. Após a série, o ator nunca mais ficou sem trabalho, e enquanto ainda gravava episódios dela, chegou a atuar em Louco Por Garotas (Girl Happy, 1965), estrelado por Elvis Presley.

Jackie Coogan, vestido de policial, em Louco Por Garotas

Coogan faria poucos filmes nos anos seguintes, como Sublime Loucura (A Fine Madness, 1966), Cahill, o Xerife do Oeste (Cahill U.S. Marshall, 1973) e Won Ton Ton, O Cachorro que Salvou Hollywood (Won Ton Ton: The Dog Who Saved Hollywood, 1976). Mas atuaria em diversas séries de televisão, como astro convidado.

Jackie Coogan e Barbara Eden em Jeannie é Um Gênio

Em 1973 ele também dublou o personagem Tio Chico na animação A Familía Addams (Addams Family, 1973), e em alguns episódios de Scooby Doo, e repetiria o papel em frente as câmeras no filme Halloween With the New Addams Family (1977).


Halloween With the New Addams Family


Jackie Coogan ainda atuou em Experiências Humanas (Human Experiments, 1979), Experiência Fatal (Dr. Heckyl and Mr. Hype, 1980), O Pequeno Mágico (The Escape Artist, 1982) e O Depredador (The Prey, 1983).

Jackie Coogan em O Pequeno Mágico

Com a saúde debilitada devido excesso de cigarros e bebidas durante a juventude, o ator sofria de diversas doenças renais e cardíacas, precisando a se submeter a sessões de hemodiálise. E após sofrer vários derrames, Jackie Coogan precisou ser levado para o hospital em 01 de março de 1984, onde faleceu depois de sofrer uma parada cardíaca. Ele tinha 69 anos de idade.

Na época ele era casado, desde 1952, com Dorothea Odetta Hanson, com quem teve dois filhos. Ele também foi casado com a atriz Ann McCormack (entre 194 e 1951), com quem teve um filho, e com a atriz Flower Parry (entre 1941 e 1943), com quem também teve um filho. 

Seu neto, Keith Coogan, também é ator. Ele é mais lembrado por seus papéis em filmes como Uma Noite de Aventuras (Adventures in Babysitting, 1987) e Viva! A Babá Morreu (Don't Tell Mom the Babysitte's Dead, 1991).

Keith Coogan






Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil