Por Onde Anda? Ilva Niño, a Coadjuvante de Ouro


Ilva Niño é um daqueles casos onde o rosto do ator é mais conhecido que seu próprio nome. Com uma longa carreira no cinema, teatro e televisão, a talentosa Ilva é uma figurinha carimbada nas produções da TV brasileira desde a década de 1970, infelizmente relegada a pequenos papéis, geralmente de empregadas. Que não se lembra da Filismina, a fiel escudeira da Viúva Porcina em Roque Santeiro? Como esquecer Regina Duarte gritando o famoso bordão "Miiiiiiiiinaaaaa!"?






Ilva Niño nasceu em Floresta, Pernambuco, em 15 de novembro de 1934. Ela iniciou sua carreira no teatro como atriz e assistente de direção no começo da década de 1950, ainda em Pernambuco.

Com uma longa trajetória nos palcos, ela ganhou destaque como o volúvel mulher do padeiro na primeira montagem de O Auto da Compadecida (1956), de Ariano Suassuna. O papel valeu a Ilva o prêmio de Melhor Atriz no 1º Festival de Amadores Nacionais, e projetou seu nome no cenário artístico brasileiro.

Elenco da primeira montagem de O Auto da Compadecida, Ilva Ninõ destacada na imagem


Ela faria o mesmo papel em diversas montagens do texto, até o final da década de 1960. A partir de 1964 ela se mudou para o Rio de Janeiro, passando a atuar nos palcos cariocas, tendo inclusive substituído Glória Menezes na versão teatral de O Pagador de Promessas, em 1965.

Nesta época, ela já estava casada com o ator e diretor Luiz Mendonça, união esta que durou de 1963 a 1995.


Leonardo Villar e Ilva Niño em O Pagador de Promessas


Já morando no Rio de Janeiro, a atriz deu à luz ao seu filho Luiz Carlos Niño, que foi ator mirim na década de 1970. Luiz morreu com apenas 40 anos de idade, vítima de cirrose.


Luiz Carlos Niño e Jacira Sampaio em Sítio do Pica Pau Amarelo


Em 1966 Ilva Niño estreou na televisão, atuando em um episódio da série 22-2000 Cidade Aberta (1966), exibido pela TV Globo, emissora onde a atriz faria praticamente todos os seus trabalhos televisivos. Ela também chegou a ser garota propaganda de uma marca de papel higiênicos, no final da década de 1960.

Mas foi somente em 1971 que ela conseguiu um papel fixo na TV, quando interpretou a retirante nordestina Santa na novela Bandeira 2 (1971), de Dias Gomes.


Ilva Niño, Sebastião Vasconcelos e Marília Pêra em Bandeira 2


Foi também em 1971 que a atriz estreou no cinema, interpretando uma prostituta em André, a Cara e a Coragem (1971). No mesmo ano atuou em Como Ganhar na Loteria Sem Perder a Esportiva (1971), e atuou bastante nas telonas brasileiras na década de 1970, aparecendo nos filmes Cassy Jones, o Magnífico Sedutor (1972), Aladim e Lâmpada Maravilhosa (1973), Com Um Grilo na Mão (1973), Uma Mulata Para Todos (1975) e Crueldade Mortal (1976).


Ilva Niño em André, a Cara e a Coragem 


A atriz só retornaria a televisão em 1973, quando atuou na novela Corrida do Ouro (1973). Depois, foi a empregada Filomena no sucesso Gabriela (1975), e interpretou a mãe de Betty Faria em outra novela bem sucedida, Pecado Capital (1975).


Francisco Cuoco, Ilva Niño e Germano Filho em Pecado Capital


Em 1977 Ilva teve um de seus maiores papéis na TV quando viveu a Cotinha, uma das quatro irmãs empregadas domésticas na novela Sem Lenço, Sem Documento (1977). Cotinha era irmã das personagens vividas por Ana Maria Braga (irmã da atriz Sônia Braga, e não a apresentadora do Mais Você), Arlette Salles e Isabel Ribeiro. Cotinha era uma mulher divertida, apaixonada pela voz de um locutor de rádio.


Ana Maria Braga, Ilva Niño, Isabel Ribeiro e Arlette Salles em Sem Lenço, Sem Documento


Ela também teve destaque na pele da fofoqueira Iara em Partido Alto (1984), mas foi como a Inesquecível Mina, a empregada sempre disposta a atender a Viúva Porcina (Regina Duarte) em Roque Santeiro (1985), que Ilva Niño ganhou projeção nacional.



Ilva Niño e Regina Duarte em Roque Santeiro



Na Rede Globo a atriz acumulou diversos papéis em novelas como Feijão Maravilha (1979), Água Viva (1980), Jogo da Vida (1981), Partido Alto (1984), Bebê a Bordo (1988), O Outro (1988), O Sexo dos Anjos (1989), Pedra Sobre Pedra (1992), Tropicaliente (1994), História de Amor (1995), O Rei do Gado (1996), Por Amor (1997) entre outras, além de participar de diversos programas e especiais na emissora.

Em 1999 ela emendou duas novela das nove, uma atrás da outra, quando atuou em Suave Veneno (1999) e fez uma participação em Terra Nostra (1999), quando viveu a freira Teresa. No ano seguinte, esteve em Malhação (2000), e fez em seguida Porto dos Milagres (2001), retornando ao elenco de Malhação em 2002.


Ilva ainda fez uma participação em Sítio do Pica Pau Amarelo (2004), e atuou nas novelas Senhora do Destino (2004) e Alma Gêmea (2005). E fez seu primeiro trabalho na TV fora da Rede Globo quando atuou na série Um Menino Muito Maluquinho (2006), na TVE do Rio de Janeiro.

Depois voltou as novelas fazendo Pé na Jaca (2006), Sete Pecados (2007), Duas Caras (2007) e começou a aparecer ocasionalmente em programas de humor, como Tomá Lá, Dá Cá, do Multishow.

Em 2009 viveu a empregada Ernestina Tibiriçá em Cama de Gato (2009) e ganhou um papel de destaque como a cangaceira Cândida Araújo em Cordel Encantado (2011).



Ilva Ninõ em Cama de Gato


Ilva Niño em Cordel Encantado



Ilva ainda atuou em Cheias de Charme (2012) e Saramandaia (2013), quando se afastou das telas para tratar um câncer de intestino. 


Recuperada, ela voltou a atuar em um episódio da série Mister Brow, em 2016, e no mesmo ano foi escalada para viver a avó da protagonista na nova temporada de Malhação: Pro Dia Nascer Feliz (2016).




Ilva Niño em Malhação, 2016



Depois ainda atuou na série Planeta B (2017) do Multishow, e fez a novela O Outro Lado do Paraíso (2018), Ela também viveu a Dona Santinha na série Os Roni, entre 2019 e 2020, programa de humor do Multishow, protagonizado pelo digital influencer Winderson Nunes.




Ilva Niño e Winderson Nunes


Na TV, seu último trabalho até o momento foi na série Rua do Sobe e Desce, Número que Desaparece (2020), produzida pelo Canal Brasil.

No cinema, ainda atuou em O Escolhido de Iemanjá (1980), Piranha de Véu e Grinalda (1982), Insônia (1982), Com Licença, Eu Vou à Luta (1986), Ópera do Malandro (1986), Vento Sul (1986), Leila Diniz (1987), Fronteiras das Almas (1987), Stelinha (1990), Assalto ao Banco Central (2011), Minha Mãe é Uma Peça 2 (2016) e Hotel Delire (2018). E em 2021 foi tema do documentário Ilva!, que narra sua trajetória artística.





Ilva Niño em Ilva! (2021)


Assista o documentário Ilva! aqui



Desde 2003 a atriz é diretora e professa da escola de teatro Niño de Artes Luiz Mendonça, e é também professora de teatro da EPSJV-FIOCRUZ, no Rio de Janeiro.






Ilva Niño é tia da atriz Lina Niño El-Hani, que atuou na novela A Gata Comeu (1985).



2 comentários:

  1. Eu a vi várias vezes pegando ônibus na rodoviária de Nova Iguaçu, RJ. Simples, como qualquer pessoa do povo...

    ResponderExcluir
  2. Avi na rua do Catete, super simples.

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil