Os Artistas e Profissionais Cinematográficos que Morreram Queimados



Kate Lester (1857–1924)



Kate Lester era uma veterana atriz dos palcos ingleses. Ela ingressou no cinema em 1916 e fez 80 filmes em menos de dez anos, geralmente em papéis coadjuvantes de mulheres aristocráticas. Kate morreu em um acidente em seu camarim nos estúdios da Universal, enquanto filmava The Meddler (1925).

Em um intervalo de gravações, ela foi para seu camarim descansar. O aquecedor a gás estava com vazamento, e o local explodiu após a atriz acender a luz do camarim. Ela foi levada viva para o hospital, mas faleceu devido as graves queimaduras, em 12 de outubro de 1924.


Sunny Harnett (1924-1987)


Sunny Harnett por Richard Avedon

Favorita do fotógrafo Richard Avedon, foi uma das modelos americanas mais famosas da década de 1950 nos Estados Unidos. Ao lado de Dovima e Suzy Parker, outras duas super modelos da década de 1950, fez seu único filme, Cinderela em Paris (Funny Face, 1957).

Sunny morreu em um incêndio em seu apartamento, aos 63 anos de idade.


Dovima, Suzy Parker e Sunny Harnett em Cinderela em Paris


Duncan Gibbins (1952-1993)


Diretor inglês, radicado nos Estados Unidos. Ficou famoso ao dirigir clipes musicais para George Michael e a banda Bananarama. Dirigiu filmes como Brincando com Fogo (Fire With Fire, 1986) e foi roteirista de A Sorte Pelo Avesso (Third Degree Burn, 1989). Curiosamente, seus trabalhos mais famosos no cinema tem relação com fogo em seus títulos (Third Degree Burn, na tradução para o português significa queimadura de terceiro grau.

Em 03 de novembro de 1993 um incêndio atingiu a floresta das colinas da Califórnia, onde o diretor morava. Sua casa foi atingida pelo fogo, mas o diretor conseguiu escapar das chamas. Mas ele voltou para a propriedade para salvar seu gato, e acabou sendo queimado no incêndio.

Burns pulou na piscina da casa, e ainda chegou a ser resgatado com vida, mas com o 95% do corpo queimado. Suas últimas palavras foram perguntando sobre seu gato de estimação, que sobreviveu ao fogo permanecendo sobre o corpo de Gibbins que flutuava na piscina.

Gloria Dickson (1916–1945)



Gloria Dickeson faleceu em 10 de abril de 1945, com apenas 28 anos de idade. Ela estreou no cinema em 1937, e em sua breve vida fez 23 filmes. Ela foi contratada da Warner e da MGM e chegou a ser apelidada pela imprensa como "A Garota Mais Sortuda de Hollywood".

Mas a atriz não teve tanta sorte, quando descartou um cigarro que achou que estivesse apagado em um cinzeiro, e subiu para o segundo andar de sua casa para dormir. A bituca ainda acessa botou fogo no material contido no cinzeiro, e o fogo logo atingiu uma poltrona, e espalhou-se pela casa.

O corpo da atriz foi encontrado no banheiro da casa, abraçado a seu cachorro de estimação, que também morreu na tragédia.

Alice Eyton (1875–1929)


A jornalista e dramaturga nasceu na Nova Zelândia. Ela foi para Hollywood em 1919, onde escreveu muitos roteiros cinematográficos, e era irmã do ator e produtor Charles Eyton. Morreu queimada após um cigarro encostar na roupa que usava durante uma festa a fantasia na Califórnia.


Cartaz de Experimental Marriage (1919), com roteiro de Eyton

Caryll Ann Ekelund (1935–1939)



A mais jovem vítima das tragédias com fogo, Caryll Ann Ekelund tinha apenas quatro anos de idade quando morreu, de forma semelhante a Alice Eyton. Sua fantasia para pedir doces no dia das bruxas encostou em uma vela dentro de uma abóbora que decorava uma casa.

Ela atuou em um único filme, O Pássaro Azul (The Blue Bird, 1940), estrelado por Shirley Temple. O filme foi lançado após a sua morte.

Virginia de Noronha (1919-1967)


Cantora de fados e vedete, Virginia nunca fez cinema, mas atuou no teatro tanto no Brasil como em Portugal. Ela mudou-se para o Brasil em 1948 e brilhou no teatro de revista. Na televisão, atuava com Dercy Gonçalves no programa Dercy de Verdade (1966-1967), na Rede Globo.

Em 06 de fevereiro de 1967 estava dando entrevista em frente ao Teatro Municipal do Rio de Janeiro, antes de entrar para os festejos de carnaval, quando um cigarro encostou em sua fantasia. Seu vestido de Nylon pegou fogo rapidamente. O produtor de TV Wilton Franco até tentou, em vão, apagar as chamas, usando o casaco de seu paletó.


Clifton Young (1917-1951)


Clifton Young começou a trabalhar com 5 anos de idade. Ele fez parte do elenco de Os Batutinhas (Pur Gang), onde fez 19 filmes. O ator conseguiu fazer a transição para a fase adulta, mas morreu com apenas 33 anos de idade.

Ele adormeceu enquanto fumava em um quarto de hotel, que pegou fogo.

Peter Reynolds (1921-1975)



Peter Reynolds foi um ator coadjuvante popular nas décadas de 1940 e 1950. Na década de 1970, sem muitos convites para atuar em Hollywood, mudou-se para a Austrália, onde passou a fazer comerciais para a marca de cigarros.

Ironicamente, sua casa pegou fogo quando adormeceu enquanto fumava.


Maria Ouspenskaya (1876-1949)


Atriz russa que fez carreira como coadjuvante em Hollywood. Normalmente interpretava feiticeiras ou ciganas, ou mulheres exóticas e misteriosas. Foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Fogo de Outono (Dodsworth, 1936) e Duas Vidas (Love Affair, 1939).



Maria também foi vítima do cigarro. Ela também adormeceu enquanto fumava, e sua casa pegou fogo. Ela chegou a ser resgatada com vida, mas morreu poucos dias depois no hospital.


Arthur Fields (1888–1953)



Cantor e compositor muito popular nas décadas de 1920 e 1930, Fields é o compositor da música Aba Daba Honeymoon, primeira trilha sonora a ultrapassar um milhão de discos vendidos.

Se aposentou na década de 1940, e em 1953 sofreu um derrame. Precisando de cuidados especiais, sua esposa o internou em uma casa de repouso para receber assistência. Porém o local pegou fogo pouco tempo depois, matando vários residentes.


Buck Jones (1891-1942)




Buck Jones foi um astro dos filmes de faroeste, e chegou a ter sua própria história em quadrinhos. Em 30 de novembro de 1942 ele estava sendo homenageado em uma famosa casa noturna nova iorquina, quando o local pegou fogo. A tragédia da boate Cocoanut Groove matou 198 pessoas.

Jones chegou a sair do local com vida, mas voltou para salvar um amigo, e acabou sendo gravemente ferido. Seu amigo sobreviveu, mas Jones morreu no hospital dias depois. Leia mais sobre Buck Jones e a tragédia na boate aqui.


Elena Mayorova (1958–1997)





Elena Moroyova foi uma popular atriz do cinema russo, tendo atuado em mais de 30 filmes. Em 23 de agosto de 1997 a atriz teve 85% do corpo queimado, quando o seu vestido pegou fogo nas escadarias de sua casa. Sua morte nunca foi esclarecida, mas os legistas disseram que pelas circunstâncias encontradas, a atriz possivelmente ateou fogo em suas roupas propositalmente.


Habiba Msika (1903-1930)





Nascida na Tunísia, Habiba Msika foi uma atriz, cantora e dançarina que fez muito sucesso na década de 1920. Ela faz parte do time de artistas exóticas que se tornaram símbolos sexuais mundiais nos anos 20, e era amiga de Pablo Picasso e Coco Chanel.

Em 20 de fevereiro de 1930 um antigo namorado invadiu o seu apartamento, e ateou fogo na artista, por não aceitar o termino do relacionamento. Ela faleceu no dia seguinte, devido aos graves ferimentos.


Else Højgaard (1906–1979)





Famosa bailarina dinamarquesa, foi membro da companhia de Nini Theilade, e estrelou 9 filmes em seu país. Morreu aos 73 anos, após um curto circuito provocar um incêndio em sua casa.


Strongheart (1918-1929)



O pastor alemão Strongheart foi o primeiro astro canino de Hollywood, ainda nos tempos do cinema mudo. Ele surgiu nas telas antes do famoso Rin Tin Tin, e estrelou 6 filmes.

Durante uma filmagem, o cachorro ator encostou em um refletor de luz, e o calor incendiou seus pelos. Lightning, outro cão ator do cinema, era seu neto.

Marion Harris (1896–1944)


Marion Harris fez muito sucesso como cantora na década de 1920. Aproveitando seu sucesso, a MGM a contratou para atuar no musical O Bem Amado (Devil-May-care, 1929). Mas a artista não repetiu nas telas o sucesso feito no rádio, e foi esquecida pelos estúdios de cinema após atuar em três filmes.

Harris morreu queimada aos 44 anos de idade, após um cigarro incendiar um quarto de hotel em que ela estava.

Ramon Novarro e Marion Harris




Emory Johnson (1894–1960)




Emory Johnson fez muito sucesso como ator e diretor nos tempos do cinema mudo. Em 1960, já sem trabalho e esquecido, morava em um pequeno quarto alugado, e vivia da assistência social.

Um fósforo mal apagado, que caiu em cima de um jornal, causou o incêndio que o matou.


Gwili Andre (1908–1959)





Gwili Andre foi uma das mais famosas modelos da Dinamarca. Em 1932, encantados com sua beleza, a RKO lhe ofereceu um contrato, e tentou fazer dela "a nova Greta Garbo", mas após 7 filmes, sua carreira não emplacou.

Gwili atuou até 1942, e após tornar-se alcóolatra, desapareceu da mídia. A uma lenda que diz que ela cometeu suicido em 1959, quando botou fogo nas suas antigas fotografias e álbuns de recortes, e o fogo teria consumido a casa onde vivia. Mas isto não é verdade, o incêndio começou enquanto ela dormia, e a atriz morreu pela inalação da fumaça. Os bombeiros encontraram seu álbum de recortes intactos, e foi somente com isto que perceberam estar na residência de uma atriz outrora famosa.

Butterfly McQueen (1911–1995)




Mais lembrada como a criada Prissy em ...E O Vento Levou (... Gone With the Wind, 1939), a atriz Butterfly McQueen morreu aos 84 anos de idade, quando em 22 de dezembro de 1995 acendeu um aquecedor de queresone para se aquecer, após ter a eletricidade cortada. Acidentalmente, o fogo alcançou suas roupas, ela ainda correu para a calçada, mas não resistiu aos ferimentos que queimaram 70% do seu corpo. Os bombeiros só perceberam estar na casa de uma famosa quando encontraram seu prêmio Emmy derretido nos escombros. Leia mais sobre Butterfly aqui.

Zezé Fonseca (1915-1962)



Zezé Fonseca foi uma popular cantora do rádio brasileiro nas décadas de 1930 e 1940. Depois ela migrou para a atuação, atuando em novelas radiofônicas.

Deprimida, a atriz colocou fogo em seus recortes de jornais e fotografias de sua carreira, e o fogo acabou se alastrando para o seu apartamento, matando a atriz aos 47 anos de idade. Acredita-se que ela tenha cometido suicídio, pois antes do fogo colocou seus três cachorros para fora do apartamento.


Robert Emmett O'Connor (1885–1962)




O ator estreou no cinema ainda no cinema mudo, e atuou em mais de 200 produções. Normalmente, fazia papéis de policiais, juízes ou detetives. Morreu aos 77 anos de idade, em um incêndio em sua residência.


Beverly Wills (1933–1963)





Filha do ator Si Wills e da estrela Joan Davis, Beverly estreou no cinema em 1945, aos 11 anos de idade. Ela não teve uma grande carreira, e é mais lembrada como a Dolores, uma das integrantes da banda feminina em Quanto Mais Quente Melhor (Some Like I Hote, 1959) e pela sua atuação na série de TV I Married Joan (1953-1955).

Em 24 de outubro de 1963 ela visitava a sua avó, acompanhada de seus dois filhos, Guy (de 7 anos) e Larry (de 4 anos).  Beverly adormeceu enquanto dormia, e acabou provocando um incêndio na casa. A atriz, sua avó e seus filhos morreram na tragédia.

Luiz Carlos Arutin (1933-1996)





Ator brasileiro, presente no cinema e televisão. O ator morreu aos 62 anos de idade, durante um incêndio em seu apartamento. O fogo começou devido a uma vela acessa em um altar religioso. 


Martha Mansfield (1899–1923)





Martha Mansfield foi uma grande estrela do cinema nos tempos do cinema mudo, e talvez tenha sido uma das primeiras artistas a morrer em um set de filmagem. Durante a gravação de The Warrens of Virginia (1924), ela foi descansar dentro deu um carro. Um membro da equipe que passava por perto acendeu um cigarro, e jogou o fósforo usado ainda acesso para longe. O fósforo caiu sobre o longo vestido que a atriz usava, e ela acabou morrendo devido aos graves queimaduras, com apenas 24 anos de idade.

Jack Cassidy (1927–1976)




O ator e comediante Jack Cassidy é pai do astro David Cassidy, de A Família Dó Ré Mi (The Partridge Family), e morreu ao esquecer um cigarro acesso em um sofá vinifico, após uma noite de bebedeiras. Leia mais sobre Jack Cassidy aqui.


Teresa Graves (1948–2002)




Na década de 1970 Teresa Graves foi uma das primeiras atrizes negras a estrelar uma série de televisão policial, exibida no horário nobre. A atriz morreu em 10 de outubro de 2002, quando um defeito em um aquecedor causou um incêndio em sua casa.


Dennis Patrick (1918–2002)




Três dias após a morte de Teresa Graves, o veterano Dennis Patrick também morreu queimado em um incêndio em sua residência. Ele tinha 84 anos de idade.


Royce D. Applegate (1939–2003)





Dez semanas após a morte de Dennis Patrick, o ator Royce D. Applegate também morreu durante um incêndio em sua casa.

Reg Evans (1928–2009)





Em fevereiro de 2009 um grave incêndio florestal devastou o estádio de Victoria, na Austrália. 173 pessoas morreram e 414 pessoas ficaram feridas. O ator Reg Evans e sua esposa Anela Brunton morreram queimados quando o fogo atingiu a casa onde o casal residia.


Linda Darnell (1923-1964)



Em abril de 1965 Linda Darnell foi com sua filha Charlotte para a casa de uma antiga secretária. A televisão iria exibir Estrela Luminosa (Star Dust, 1940), primeiro filme protagonizado pela artista.

Após o filme, Linda e a filha foram dormir num quarto de hóspedes. Enquanto dormiam, um curto circuito provocou um incêndio na casa. A filha de Linda e sua amiga conseguiram pular por uma janela do segundo andar, mas Linda Darnell não conseguiu chegar a tempo no quarto não atingido pelo fogo. Ela tentou abrir a porta, mas a maçaneta estava quente demais, e ela queimou as mãos. Em seguida, desmaiou por causa da fumaça.

Os bombeiros a resgataram a atriz ainda com vida, mas com 90% do corpo queimado. A atriz chegou a ser internada no hospital, mas faleceu poucos dias depois, devido aos ferimentos. Leia mais sobre Linda Darnell aqui.

Um comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil