William Haines, o astro que trocou Hollywood pelo amor


Hoje um pouco esquecido, Wiliam Haines foi um grande astroentre os anos 20 e começo da década de 30. Considerado um dos dez atores mais queridos pelo público da época, ele foi campeão de bilheterias entre 1928 e 1932. Também foi o primeiro artista a protagonizar um filme falado na MGM.

Mas William Haines também foi um dos primeiros atores assumidademente homosseuxuais, o que incomodou muito os estúdios, que o pressionaram a deixar o seu amado Jimmie Shields, com quem ele viveu por quase 50 anos. Joan Crawford constumava a se referir aos dois como "o casal mais feliz de Hollywood".


Charles William Haines nasceu em Stauton, Virginia, em 02 de janeiro de 1900. Terceiro de sete filhos, William Haines teve uma infância difícil, sua família era muito pobre, e dois de seus irmãos morreram ainda muito jovens. Sua família frequentava a Igreja Episcopal, onde ele, ainda menino começou a cantar no coral.

Foi o suficiente para despertar nele o desejo em se tornar um artista, igual aos astros que ele via nas telas do cinema, ainda mudo. Aos 14 anos de idade William Haines fugiu de casa com um namorado, e arrumou um emprego em uma fábrica na cidade de Hopewell, onde havia uma comunidade gay expressiva, e era, portanto considerada uma "cidade imoral".

Seus pais botaram a polícia atrás do filho, e quando o encontraram, não o quiseram de volta, apenas exigiram que ele enviasse parte de seu salário para ajudar nas despesas da casa, assim ele passou a ser o principal responsável pelo sustendo da mesma. Mas em 1915 a cidade de Hopewell foi praticamente destruída por um incêndio, e ele mudou-se para Nova York.

Em 1916 seu pai sofreu um colapso, e no ano seguinte ele voltou para casa, para cuidar da mãe. Com o pai recuperado, ele retornou a Nova York em 1919, onde conseguiu um emprego como modelo.

Em 1922 ele venceu o concurso New Faces, promovido pelo estúdio Goldwyn Pictures (que mais tarde viria a ser a MGM), recebendo um contrato de 40 dólares por semana como ator (menos que ele recebia na fábrica em 1915). Junto com a vencedora feminina, a atriz Eleanor Boardman, ele então se mudou para Hollywood.

William Haines e Eleanor Boardman

Ele iniciou a carreira de ator fazendo figuração no estúdio, e teve seu primeiro papel com certo destaque em Três Doidos com Juízo (Three Wise Fools, 1923), justamente ao lado de Eleanor Boardman. Apesar de ser um papel pequeno, ele recebeu boas críticas, e o estúdio finalmente resolveu investir em sua carreira, mas ainda relegando-o a pequenos papéis secundários.

Foi emprestado a outro estúdio, a Fox, que ele teve sua primeira grande chance, no filme The Desert Outlaw (1924). Novamente emprestado, agora para a Columbia, ele estrelou seu primeiro filme, O Expresso da Meia-Noite (The Midnight Express, 1924). O filme fez um enorme sucesso, e a Columbia se ofereceu para comprar seu contrato, mas a oferta não foi aceita.

 Elaine Hammerstein e William Haines em O Expresso da Meia Noite


Mas apesar de terem recusado abrir mão do ator, a Goldwyn só lhe deu uma grande oportunidade dois anos depois, como o protagonista de Mocidade Esportiva (Brown of Harvard, 1926), ao lado de Mary Brian e Jack Pickford (irmão de Mary Pickford).

No filme, Haines interpretava um estudante de Harvard, um aristocrata arrogante e convencido, que acabava humilhado no final. O filme fez um grande sucesso, e o ator repetiu esta fórmula em praticamente todos os seus próximos trabalhos.

 Mary Brian e William Haines em Mocidade Esportiva

O filme fez tanto sucesso que o ator viajou por todo os Estados Unidos para promover suas exibições. O estúdio o descrevia como "o exemplo de masculinidade e virilidade norte-americana". Mas durante esta turnê, ele conheceu James "Jimmie" Shields, e eles se apaixonaram.

Haines o convenceu a voltar com ele para Hollywood, e o casal passou a frequentar as festas promovidas por seus colegas artistas. Ambos eram muito queridos e aceitos nos bastidores, e constantemente frequentavam eventos sociais de mãos dadas ou trocando carinhos. Mas tinham que manter segredo para o público.

Jimmie Shields e William Haines, identificados na foto

Entre os maiores sucessos de sua carreira estão Sua Vida Pelo Seu Amor (Little Annie Rooney, 1925), ao lado de Mary Pickford e Fazendo Fita (Show People, 1928), com Marion Davies. Em 1928 ele fez seu primeiro filme parcialmente falado, Um Larápio Encantador (Alias Jimmy Valentine, 1928).

 William Haines e Marion Davies em Fazendo Fita

E ao lado de Anita Page estrelou Turunas da Marinha (Navy Blues, 1929), o primeiro filme totalmente falado da MGM.

Muitos astros do cinema mudo não conseguiram fazer a transição para o cinema sonoro, mas William Haines adaptou-se perfeitamente. No ano seguinte, ele estrelou Cowboy a Muque (Way Out West, 1930), um dos maiores campeões de bilheria daquele ano. Entre 1928 e 1932, William Haines encabeçou a lista dos cinco atores mais lucrativos do cinema.

Mas em 1930 entrou em vigor em Hollywood o Código Hays, que impunha uma série de condutas em nome da "moral e bons constumes", que além de deixar o cinema mais puritano, passou a vigiar a vida pessoal dos atores. Louis B. Mayer, então presidente do estúdio, era homofóbico declarado, e chegou a criar um prostibulo para testar a masculindade de seus contratados, obrigando-os a frequentar o estabelecimento ao menos uma vez por semana. O bordel de luxo também servia para oferecer favores a investidores e distribuidores cinematográficos.

Mayer não gostava de Haines, e tentou forçar um casamento de fachada para o ator, que sempre recusou. Mas em 1933 William Haines foi preso por imoralidade, ao ser flagrado com Shields pela polícia. O todo poderoso do estúdio então deu um ultimato, ou ele largava Jimmie Shields, ou seria demitido.

Naquele dia, William Haines esvaziou seu camarim, e voltou para a casa ao lado de seu companheiro, com quem já estava junto há sete anos. Ele ainda faria mais dois filmes no pequeno estúdio Mascot Pictures, Jovens e Formosas (Young and Beautiful, 1934) e Aí Vêm os Navais (The Marines Are Coming, 1934), mas depois, deseludido, abandonou definitavamente o cinema.

Ao ser perguntado por um jornalista porque deixava sua bem sucedida carreira ele respondeu: "eu tive de escolher entre o dinheiro e o amor."

Juntos Shields e Haines montaram um antiquário e uma empresa de decoração de interiores, e tiveram como primeiros clientes algumas estrelas de Hollywood, amigos do casal, como Joan Crawford, Gloria Swanson, Carole Lombard, Marion Davies, Cary Grant, Jack Warner e até Ronald Regan

Jimmie Shields (de pé, a esquerda) ao lado de William Haines,
na foto ainda os atores Jean Harlow e William Powell

William Haines, Jimmie Shields, Joan Crawford e seu segundo marido

Em 1936 um vizinho acusou o casal de assediar seu filho, e como consequência eles foram arrancados de sua casa por 100 homens membros do grupo Supremacia Branca, que os espancaram quase até a morte. Posteriormente foi comprovado que a acusação era falsa, mas nunca foi movida nenhuma ação contra os agressores.

E apesar de declarar se publicamente homossexual, William Haines recebeu inúmeros convites para retornar ao cinema ao longo dos anos. Mas ele sempre recusou. O ator dizia amar ver os filmes, "pois neles podia rever seus velhos amigos, mas sem precisar frequentar o lado feio de um estúdio".

Em 1950 Billy Wilder o queria no elenco de Crepúsculo dos Deuses (Sunstet Boulevard, 1950), e chegou a incumbir sua amiga Gloria Swanson para tentar convencê-lo a retomar a carreira de ator, mas ele educamente recusou o convite.

William Haines morreu vítima e câncer de pulmão, em 26 de dezembro de 1973. Poucos dias depois, Jimmie Shields vestiu o pijama dele e tomou uma overdose de pílulas para dormir. Sua nota de suicídio dizia: "Adeus a todos vocês que se esforçaram tanto para me consolar em minha perda de William Haines, com quem tenho estado desde 1926. Agora acho impossível seguir sozinho, estou muito solitário."

 William Haines, em 1926

Após viverem juntos or 47 anos, os dois foram enterrados lado a lado no Cemitério Woodlawn Memorial, em Santa Mônica.
A companhia William Haines Designs continua em operação nos dias de hoje, com sedes em West Hollywood, e filiais em Nova Iorque, Denver e Dallas, nos Estados Unidos.

Em 2001 foi lançado o documentário Out of the Closet, Off the Screen: The Life of William Haines, sobre a vida do ator.




Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube



0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil