Dick Sargent, o segundo James Stephens, de A Feiticeira


Em 1969 o ator Dick York deixou o elenco do seriado A Feiticeira (Bewitched), uma das séries mais populares da história da televisão. O ator Dick Sargent então foi contratado para substituir York, permanecendo no papel de James Stephens (Darrin, no original, em inglês) até a série ser cancelada, em 1972.


Richard Stanford Cox, seu nome de batismo, nasceu em 19 de abril de 1930, na cidade de Carmel, na Califórnia. Filho da antiga atriz do cinema mudo Ruth Powell e do Coronel Elmer Cox, um veterano da Primeira Guerra Mundial que se tornou gerente comercial de Hollywood (tendo como clientes astros como Douglas Fairbanks e Erich von Stroheim). Dick frequentou a Academia Militar San Rafael, antes de se formar em teatro na Universidade de Stanford.


Dick estreou na televisão em 1954, mesmo ano em que desempenhou um pequeno papel no filme de guerra Prisioneiro de Guerra (Prisoner of War, 1954), estrelado por Ronald Regan.

Ainda usando o nome de Richard Sargent, ele fez figuração e pequenos papéis em filmes como A Besta de Um Milhão de Olhos (The Beast with a Million Eyes, 1955), Têmpera de Bravos (The Great Locomotive Chase, 1956) e Ama-me Com Ternura (Love Me Tender, 1956), um dos maiores sucessos cinematográficos de Elvis Presley.

Após fazer alguns trabalhos na televisão, ele conseguiu um papel pequeno, mas importante, no filme As Noites de Mardi Gras (Mardi Gras, 1958), estrelado por Pat Boone.

Tommy Sands, Sheree North, Gary Crosby e Dick Sargent em As Noites de Mardi Gras

 O ator seguiu atuando em papéis de apoio, geralmente em comédias. Ele apareceu em Anáguas Abordo (Operation Petticoat, 1959), O Grande Impostor (The Great Impostor, 1960), Carícias de Luxo (That Touch of Mink, 1962), Por amor ou por dinheiro (For Love or Money, 1963), Pavilhão 7 (Captain Newman, M.D., 1963), O Leão Está Solto (Fluffy, 1965), Uma Loirinha Adorável (1965), O Fantasma e o Covarde (The Ghost and Mr. Chicken, 1966), O Marujo Tremendão (The Private Navy of Sgt. O'Farrell, 1968), Os Jovens Fugitivos (The Young Runaways, 1968) e Viva um Pouquinho, Ame um Pouquinho (Live a Little, Love a Little, 1968), novamente ao lado de Elvis Presley.

 Dick Sargent, Michele Carey e Elvis Presley em Viva um Pouquinho, Ame um Pouquinho

Em 1964 Dick Sargent e Tammy Grimes foram as primeiras escolhas para protagonizarem o seriado A Feiticeira (Bewitched). Mas Grimes recusou o papel, e Sargent estava sob contrato com a Universal, que não aceitou liberar o ator para o projeto. O papel de James Stephens ainda foi oferecido para Richard Crenna, que também o recusou, até que este foi oferecido para o ator Dick York.

Sargent não era um astro, mas era um rosto conhecido. Ele também havia feito muitas participações em séries de televisão como Caravana (Wagon Train) e até em Jeannie é Um Gênio (I Dream of Jeannie), a maior rival televisiva de A Feiticeira.

Dick Sargent e Larry Hagman em Jeannie é Um Gênio

Em 1966 ele chegou a estrelar a série The Tammy Grimes Show, ao lado da atriz Tammy Grimes, os primeiros artistas escolhidos para protagonizaram A Feiticeira. Mas a série não foi bem sucedida, e foi cancelada após alguns episódios. Na série, a personagem de Grimes chamava-se Thamanta.
Dick Sargent e Tammy Grimes em The Tammy Grimes Show

Em 1969 Dick York precisou deixar o elenco de A Feiticeira, devido a sérios problemas de saúde (leia mais sobre Dick York aqui). A série ainda fazia sucesso, e os produtores chamaram Sargent para substituir o ator, interpretando o mesmo personagem.

Elizabeth Montgomery, Dick Sargent, Erin Murphy e David-Mandel Bloch em A Feiticeira

Dick Sargent, assumiu o personagem  a partir da sexta temporada, sem que nenhuma explicação fosse dada ao para o público, embora muitos nem tenham notado a diferença dos atores. Ele permaneceu no elenco até 1972, quando a série foi cancelada após Elizabeth Montgomery se recusar assinar o contrato para uma próxima temporada.

Em 1973 os dois atores que interpretaram James na série, York e Sargent, participaram do programa de perguntas e respostas Jeopardy, onde fãs respondiam sobre a série que tornou ambos famosos.

Com o fim da série, ele seguiu atuando como ator convidado em séries como Here's Lucy, O Homem de Seis Milhões de Dólares (The Six Million Dollar Man), Um é Pouco, Dois é Bom e Três é Demais 
(Three's Company), Barretta, O Barco do Amor (Love Boat), As Panteras (Charlie's Angels), O Poderoso Benson (Benson) e Arnold.

 Dick Sargent e Suzanne Somers em Um é Pouco, Dois é Bom e Três é Demais 

 No cinema, fez poucos filmes, a maioria deles produções pouco importantes, como Hardcore: No Submundo do Sexo (Hardcore, 1979), Romance ou Pesadelo (The Clonus Horror, 1979), The Eleventh Commandment (1986), Espectro do Pavor (Rock-A-Die Baby, 1989), O Poder Mágico (Teen Witch, 1990), O Outro Lado de Lisa Brandon (Twenty Dollar Star, 1990), O Próximo Assassinato (Murder by Numbers, 1990) e Xerife Baker (Frame Up, 1991).

 George C. Scott e Dick Sargent em Hardcore: No Submundo do Sexo 

Dick Sargent em O Poder Mágico

Em 1989 ele foi diagnosticado com câncer de próstata. Lutando com a doença por anos, em 1991 Sargent, que estava desenganado, assumiu ao mundo que era homossexual. O ator, que havia vivido por anos com um companheiro (que morreu vítima de um derrame cerebral em 1979), foi bastante críticado por isto, e a imprensa afirmava que naverdade ele estava com AIDS.

Sargent, após se assumir, tornou-se um ícone para o movimento LGBT, que o acolheu com carinho e respeito. Em 1992 ele foi homenageado na Parada Gay de Los Angeles. A atriz Elizabeth Montgomey, a Samantha de A Feiticeira, pediu a organização do evento para desfilar ao seu lado no carro aberto, para apoiar o velho amigo.

Dick Sargent e Elizabeth Montgomery desfilando na Parada Gay de 1992

Seu último trabalho como ator foi no filme Rosas Não Falam (Acting on Impulse, 1993). Em 08 de julho de 1994 o ator não resistiu a doença, falecendo aos 64 anos de idade.






Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil