Os 70 Anos da TV Tupi do Rio de Janeiro, Canal 06


Em 18 de setembro de 1950 a televisão chegou ao Brasil, na cidade de São Paulo. Inaugurada por Assis Chateubriand, a PRF-3 TV Tupi foi a primeira emissora da América Latina, e uma das primeiras a ter programação diárias no mundo.

Na época, não haviam transmissões em rede, devido a limitações técnicas, e portanto, cada estado precisava ter sua programação autônoma, e em 20 de janeiro de 1951 a televisão chegou ao Rio de Janeiro, com a inauguração da PRG3 Tupi, no canal 6.

Incialmente a Tupi carioca transmitia do Edifício dos Diários Associados, na Rua Venezuela, onde também ficaram as rádios Tupi e Tamoio, e em 1955 a TV mudou-se para o luxuoso prédio do antigo Cassino da Urca.


A emissora, que ficou no ar até 1980, foi a segunda emissora do país, e manteve a hegemonia entre as emissoras cariocas até 1955, quando foi inaugurada a TV Rio, Canal 13.

Assis Chateubriand já negociava trazer a televisão para o Brasil desde 1948, e chegou-se a anunciar que o Rio de Janeiro seria a primeira cidade a receber uma emissora de TV, mas problemas com a instalação dos equipamentos no Morro do Pão de Açúcar, problemas técnicos com a frequência dos equipamentos e problemas políticos (como a liberação de licenças), além do atraso na entrega de equipamentos, acabaram fazendo de São Paulo a cidade pioneira.

Assim como em São Paulo, antes de ir ao ar definitivamente, a Tupi carioca fez testes inaugurais internos (sem transmissão pelo ar), em abril de 1950. A partir de outubro essas transmissões tornaram-se frequentes, com ares de programação oficial.

Tônia Carrero, Nely Rodrigues, Aimeé, Virginia Lane e Alma Flora, nos testes inaugurais da TV Tupi, do Rio de Janeiro

E como em São Paulo, fez uma transmissão experimental com o Frei José Mojica, antigo galã latino de Hollywood, que se tornou padre. No Rio, Frei José Mojica foi dirigido por Victor Berbara, no dia 29 de julho de 1950.


Victor Berbara cumprimentando o Frei Mojica

Foram feitas várias transmissões não oficiais, para testar os equipamentos. Eram exibidos filmes, séries (Hoppalop Cassidy foi a primeira), teleteatros, e até jogos de futebol, sendo que Flamengo X Olaria foi a primeira partida televisionada, ainda na fase experimental.


Enfim, após os testes iniciais, a televisão chegou ao Rio de Janeiro, então Capital Federal. As 20:30 do dia 20 de janeiro de 1951 entrava no ar a TV Tupi do Rio de Janeiro, com programação ininterrupta. O primeiro rosto exibido foi da atriz Haydée Miranda, em uma fotografia estática, usada para calibrar as câmeras, depois Haydée, acompanhada de Luiz Jatobá fizeram a apresentação oficial.


Após a dupla apresentar a televisão, começou um show de Severino Araujo e a Orquestra Tabajara. Depois foi transmitido o programa Calouros em Desfile, de Ary Barroso, que já era um sucesso no rádio, seguido por um show com diversos cantores de grande prestígio na época, apresentador por Antônio Maria: Dorival Caymmi, Dircinha Baptista, Linda BaptistaAracy de Almeida, Jorge Veiga, Trio de Ouro, Alvarenga e Ranchinho e Jupira e Suas Cabrochas. Neste show também tomaram parte os comediantes José Vasconcelos,  e Mazzaropi, único artista presente também na inauguração da TV Tupi de São Paulo. Ghyta Lamblousky e seu balé cigano também completaram o time do espetáculo. Houve ainda a apresentação de um documentário sobre a inauguração, e um jornal, com notícias apresentadas por Luiz Jatobá.

O lutador Hélio Gracie encerrou o show, lutando com convidados que o haviam desafiado.

Linda Batista e Jupira e Suas Cabrochas cantando no programa inaugural

O Trio de Ouro e Jupira e Suas Cabrochas

Hélio Gracie e os desafiados do dia


Técnicos operando os equipamentos da transmissão inaugural da Tupi carioca


Todas as fotos da inauguração, foram retiradas da revista O Cruzeiro (publicação pertencente ao conglomerado de mídia dos Diários Associados, pertencente a Assis Chateubriand). Reparem que na última foto há uma cena de um beijo entre um casal, o que levanta questões a respeito do primeiro beijo da televisão brasileira. Oficialmente, ele ocorreu no último capítulo da novela Sua Vida Me Pertence (1951), e foi protagonizado por Vida Alves e Walter Forster.

Recentemente, pesquisadores levantaram duvidas sobre a história do famoso primeiro beijo, após encontrarem um registro de um beijo ocorrido entre Carlos Frias e Aimée, em uma transmissão teste feita em maio de 1950.

Mas é preciso atentar a alguns fatos, o beijo entre Frias e Aimée realmente aconteceu, mas foi visto por quem? Ele ocorreu em uma transmissão experimental, vista apenas por poucas pessoas, na sede dos diários associados. É claro, não deixa e ser um registro importante para a história da nossa televisão, mas não anula o pioneirismo de Vida e Forster.


Olhando ainda as fotos desta matéria, retiradas da revista O Cruzeiro, vemos que na foto de página dupla há outro beijo. Desta vez em um monitor.

Conversamos com Elmo Francfort, especialista na memória televisiva, e que por muitos anos trabalhou ao lado de Vida Alves na Prótv (Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira). Apesar da pouca idade, Elmo já escreveu dez livros sobre a história da TV brasileira, e atualmente é coordenador do Memória ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão).

Em 2020, durante os festejos dos 70 anos da televisão brasileira, Elmo lançou três livros sobre a TV Tupi, escritos em parceria com o pesquisador Mauricio Viel. Segundo Elmo, durante a confecção do livro "muitos dados foram descobertos por conta do cruzamento de informações e a descentralização da história apenas por São Paulo, levando em conta a trajetória da Rede Tupi regional e nacionalmente". Conforme o autor, "a internet e a digitalização de publicações antigas favorece hoje que revisitemos com maior facilidade e apuração mais rápida a história. Isso não só da TV, como da história mundial como um todo. Dados serão contestados e devemos repensar até como analisarmos. A história da TV, por exemplo, em sua primeira fase, precisa ser recontada apurando regionalmente todos os dados, ou melhor, a história da comunicação como um todo. De tal forma, sempre lidar com respeito a todos os profissionais que fizeram e que tinham como verdade a história antes de tal cruzamento. A apuração é vital. Por exemplo, mesmo com foto, devemos nos atentar aos pequenos detalhes. Se o beijo demonstrado é real, numa fase ao vivo, como o fotógrafo estaria na linha de visão do câmera de TV? Foi para divulgação, uma simulação, reproduzindo o que aconteceu? Ou naquele momento o beijo era focalizado por uma segunda câmera, cuja imagem estava selecionada no switcher da TV Tupi? Ao mesmo tempo, quando olhamos a imagem do beijo dentro do televisor, a qualidade da foto é perfeita e sem ruídos eletrônicos - como o traço escuro, a luminosidade diferente, o que nesse caso prova-se ser uma montagem na Revista O Cruzeiro. Algumas dúvidas sobre a fase ao vivo infelizmente ficarão do limbo, por falta de provas, mas o cruzamento de novos dados podem garantir tal veracidade - o que isso se vê, na fase experimental, no beijo entre Carlos Frias e Aimée. É um verdadeiro trabalho investigativo. Ainda assim, o mérito do primeiro beijo em telenovelas continua sendo mérito de Walter Forster e Vida Alves. É um momento importante para cruzamento de dados jamais desmerecendo a memória oral, que precisa ser preservada, tanto dos profissionais, como dos espectadores. Importante notar algumas semelhanças, como é relatado no volume 1 de "TV Tupi: Do Tamanho do Brasil" (pág. 266) na formatação dos shows inaugurais das duas Tupis. Além da presença de Mazzaropi em ambos, "A Tupi e a Televisão", com apresentação de vários artistas e temas, lembrava muito o estilo do "TV na Taba", da emissora paulistana."

A pesquisa de Francfort e Viel deu origem ao livro TV Tupi: Do Tamanho do Brasil, obra em três volumes, que pode ser consultada e baixada gratuitamente aqui.

Vida Alves e Walter Forster, em Sua Vida Me Pertence

Sobre a imagem do casal se beijando em frente a câmera, é preciso destacar outro fato. Ela foi feita no dia da inauguração, mas é claramente posada. Vale destacar que no dia da estreia da Tupi carioca não houve nenhum tipo de programa com dramaturgia, e portanto um beijo não teria motivo para ser apresentado.

A mulher segurando uma folha de papel, que observa o casal  que se beija é Lucia Benedetti. Lucia havia sido contratada pela Tupi para escrever teleteatros, alguns deles exibidos ainda na fase experimental. Oficialmente, o primeiro teleteatro exibido no Rio ocorreu em 23 de janeiro, três dias depois da inauguração da emissora, e tinha Fernanda Montenegro como protagonista.


Fernanda Montenegro, na TV Tupi

A Tupi do Rio, apesar de ter um forte departamento de teleteatros em seus anos iniciais, só investiria em telenovelas (não diárias) a partir da segunda metade da década de 1950. Assim como em São Paulo, algumas de suas primeiras telenovelas foram inspiradas em livros ou filmes clássicos, e duravam poucos capítulos, exibidos na faixa "Teatro de Novelas Coty"(Coty era a nome do patrocinador).

É preciso ainda uma pesquisa profunda para saber quem foi o primeiro casal "beijoqueiro" em uma telenovela carioca. Em entrevista, certa vez, Aracy Cardoso declarou que acreditava ter sido Yoná Magalhães, que ingressou na Tupi em 1954.

Aracy Cardoso e Ribeiro Fortes na novela A Canção de Bernadette (1958), inspirada no famoso filme, estrelado por Jennifer Jones

Inaugurada no começo de 1951, a Tupi carioca fez história, e teve sua personalidade própria. E chegou a tempo de transmitir o seu primeiro carnaval, ocorrido poucas semanas depois, sendo a primeira emissora a transmitir os festejos de Momo.



As Atrações Internacionais

Em março de 1951 a Tupi do Rio de Janeiro levou em seus estúdios a atriz francesa Nicole Courcel, que estava de passagem pelo Brasil devido a um festival de cinema na Argentina. Em abril, a atriz Evelyn Keyes, que havia interpretado a irmã mais nova de Scarlet O'Hara em ...E o Vento Levou (...Gone With the Wind, 1939), também foi uma atração internacional exibida pelas câmeras da emissora. Ela até se aventurou a cantar ao lado de Dorival Caymmi, durante o programa que participou.

Evelyn Keyes e Dorival Caymmi, na TV Tupi

A emissora também promoveu shows com cantores internacionais, como Ortiz Tirado e Gregório Barrios, mas o primeiro grande astro da música mundial a se apresentar na Tupi foi o maestro Tommy Dorsey, que inaugurou o novo auditório da Tupi em dezembro de 1951, acompanhado da Orquestra Tabajara.

Tommy Dorsey na Tupi


E embora hoje a TV Record seja mais lembrada por apresentar grandes cartazes internacionais na sua programação, a Tupi também apresentou grandes nomes ao vivo em seus programas. Muitos dos artistas que cantaram na Record, em São Paulo, cantaram na Tupi carioca, como Marlene Dietrich, por exemplo.

Pela Tupi passaram nomes como Eatha Kitt, Della Reese, Maurice Chevalier, Pablito Calvo, Juliétte Grecco, Julie London, Les Paul, Vic Damone e até Michael Jackson, com os Jackson Five.

The Platters na TV Tupi, em 1957

Primeiro logo da TV Tupi do Rio



2 comentários:

  1. Boa Noite. Excelente postagem mostrando o início da era da TV em nosso país. São fatos e pessoas que mereciam maior destaque na história da Teledramaturgia e Entretenimento. Parabéns pelo trabalho de pesquisa e a acervo.

    ResponderExcluir
  2. Agradeço por terem mostrado uma foto de Aracy Cardoso caracterizada como Santa Bernadette Soubirous, procuro isso há anos.

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil