A morte brutal de Danny Lockin, de Hello, Dolly


O ator e dançarino Danny Locklin encantou Hollywood com seu carisma no papel de Barnaby Tucker, o ajudante de Cornelius Hackl (Michael Crawford) no clássico Alô, Dolly! (Hello, Dolly!, 1967), musical estrelado por Barbra Streisand e dirigido pelo lendário Gene Kelly.

Infelizmente, o jovem ator morreu tragicamente, com apenas 34 anos de idade.


Michael Crawford e Danny Locklin em Alô, Dolly!



Filho de uma professora de dança, Daniel Joseph Lockin, nascido no Havaí, em 13 de julho de 1943, começou a dançar muito cedo, e aos oito anos de idade já se apresentava profissionalmente. Nesta época, ele formou dupla com o menino Neal Reynolds, com quem sapateava e fazia pequenas cenas de humor em feiras e eventos da região.


Danny Lockin e Neal Reynolds

Durante o ensino médio, sua família se mudou para a Califórnia, e após terminar o colégio, Danny começou a trabalhar em produções regionais de teatro, atuando em espetáculos como Gyspsy, Tom Sawyer e The Music Man.







Em 1962, aos 18 anos de idade, ele estreou no cinema fazendo um pequeno papel no filme Em Busca de Um Sonho (Gypsy, 1962). Ele também atuou em Vênus à Venda (The Stripper, 1963), e apareceu também em algumas séries de televisão como O Tenente (The Lieutenant). Dr. Kildare e Meus 3 Filhos (My Three Sons).

Em 1964 ele foi um dos muitos atores a fazerem um teste para atuar em A Noviça Rebelde (The Sound of Music, 1964). Danny fez teste para o papel de Rolf, o namorado de Liesl von Trapp, mas não passou na seleção. Curiosamente, ele fez o teste ao lado da jovem Sharon Tate, que assim como Danny, seria brutalmente assassinada.


Danny Lockin e Sharon Tate fazendo teste para A Noviça Rebelde



Com uma carreira cinematográfica que não deslanchava, Danny dedicou-se ao teatro, estreando na Broadway na montagem de West Side Story de 1964. E em 1965 ingressou para o elenco da produção itinerante de Hello, Dolly!, fazendo o papel de Barnaby Tucker.

Enquanto Hello, Dolly! era um sucesso na Broadway, e um elenco diferente viajava pelo país levando o musical para outras cidades. Nestes shows, Dolly Levi foi interpretada por atrizes como Betty Grable, Ginger Rogers, Eve Arden, Dorothy Lamour e Anne Russell.

Danny ficou anos no elenco, e por causa disto, teve de recusar um papel no filme A Primeira Noite de Um Homem (The Graduate, 1967). Nesta época, Danny se casou com Kathy Hass, uma corista do espetáculo. Eles tiveram um filho, Jeremy Daniel Lockin, que nasceu em 1969, o mesmo ano em que o casal se divorciou.


Danny Lockin em Hello, Dolly!, no teatro

Gene Kelly, o lendário dançarino de Hollywood, havia comprado os direitos da pela para adapta-la para o cinema e havia escolhido Barbra Streisand para ser a estrela do filme. Ele chamou Danny Lockin para repetir o papel de  Barnaby Tucker, mas não sem antes passar por treze testes de dança.


Danny Lockin em Alô, Dolly!

Após o sucesso do filme, ele retomou o papel de Barnaby Tucker, agora na Broadway, contracenando com Carol Channing, Ethel Merman e Phyllis Diller.


Danny Lockin na Broadway, com Ethel Merman como Dolly

Depois a sua carreira entrou em declínio, e ele passou a lecionar dança na escola de sua mãe, Jean Lockin. Em 1977 ele participou do programa The Gong Show, um popular programa de calouros da TV americana. 

Danny Lockin no The Gong Show


O programa foi gravado no dia 21 de agosto de 1977. Danny e Billie Jo Conway (que também era professora na escola de sua mãe), empataram no primeiro lugar, e resolveram ir a um bar gay para comemorar.

Lá, Danny Lockin conheceu Charles Leslie Hopkins, e foi com ele até o seu apartamento. Algumas horas depois, Hpkins ligou para a polícia dizendo que um homem havia "invadido o seu apartamento". Ao chegar no local, a polícia encontrou o corpo de Danny Lockin mutilado em meio de uma enorme poça de sangue.

Danny Lockin levou mais de 100 facadas no corpo. Charles Leslie Hopkins foi preso na hora, e no apartamento dele foi encontrado um diário com fotos de torturas e descrição detalhadas de como torturar e matar gays.

Danny Lockin tinha apenas 34 anos de idade.



Hopkins, que já tinha ficha criminal, foi levado a julgamento, mas o juiz considerou que a polícia havia apreendido o diário ilegalmente, porque não havia um mandato policial, e não aceitou que fosse usado como prova, alegando que a promotoria "queria apenas chocar o júri".

Também foi concluído que ele não tinha intenção de matar o ator, e Charles Leslie Hopkins foi condenado há apenas quatro anos de prisão. Ele foi solto dois anos depois, por "bom comportamento".

Muitos consideram que o juiz não deu importância ao caso devido a vítima ser gay, e com certeza não houve justiça para Danny Lockin.





0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil