Escândalos de Hollywood: Paul Kelly, o ator que Hollywood perdoou


Os fãs de cinema com certeza já viram o rosto de Paul Kelly atuando como coadjuvante em diversos filmes das décadas de 40 e 50. Mas talvez seu nome não seja muito conhecido, nem sua história de vida, que parece a trama de algum dos filmes policiais dos quais ele participou.

Astro do cinema nos tempos dos filmes mudos, Paul Kelly foi condenado a dez anos de prisão por assassinato em 1927, mas surpreendentemente conseguiu dar a volta por cima, e trabalhar em quase 200 produções ao longo de sua vida, muitas delas, após deixar a prisão.


Paul Michael Kelly nasceu no bairro do Brooklyn, em Nova York, em 09 de agosto de 1899. Kelly era o nono de dez filhos, e perdeu o pai ainda muito criança. Em dificuldades financeiras, todos os membros da família precisaram trabalhar (alguns muito jovens) para poderem sobreviver.

Sua família morava muito perto do estúdio cinematográfico da Vitagraph, em Nova York (Hollywood ainda não havia virado o polo do cinema norte-americano), e sua mãe constantemente emprestava móveis e utensílios domésticos para alguma filmagem. Como pagamento, pediu um emprego para o filho nos estúdios. Aos 12 anos de idade, Kelly atou em seu primeiro filme, Jimmie's Job (1911), um curta metragem do qual foi protagonista.



O menino não era inexperiente no ramo da atuação, tendo estreado na Broadway aos oito anos de idade. Na Vitagraph, ele se tornou um dos astros mirins do estúdio, e a partir de 1915, sua popularidade aumentou quando passou a interpretar o adolescente Willie Jarr em uma série de filmes da "Família Jarr", estrelados por Harry Davenport, que vivia o patriarca.

Paul Kelly, de boné, no cartaz de The Feudists (1913)

Paul conseguiu fazer a transição para a fase adulta com tranquilidade, fazendo sucesso no cinema e nos palcos da Broadway, atuando em peças como Little Women (1916), Seventeen (1918) e no grande sucesso Penrod (1918), estrelado por Helen Hayes.

Aos 20 anos de idade Paul Kelly fez par romântico com a estrela Mary Miles Minter no filme Anne of Green Gables (1919), que fez muito sucesso, projetando ainda mais seu nome perante o público.

Mary Miles Minter e Paul Kelly em Anne of Green Gables

E embora não fosse protagonista, seus papéis em filmes como Num Édem à Beira-Mar (The New Klondike, 1926), O Convencido (Slide, Kelly, Slide, 1927) e Encomenda Postal (Special Delivery, 1927), ajudaram a popularizar o ator, que estava se tornando um astro.



Porém, a carreira de Paul Kelly seria interrompida em abril de 1927. Ainda em Nova York ele conheceu o dançarino e cantor do Ziegfeld Follies Ray Raymond, e sua esposa, a atriz teatral Dorothy Mackaye. Tanto Raymond quanto Dorothy tinham feito alguns filmes, também mudos, mas eram mais conhecidos por seus trabalhos nos palcos.

Eles se tornaram amigos, e a amizade aumentou ainda mais quando o trio resolveu mudar para Los Angeles, para tentar a vida em Hollywood, para onde os estúdios cinematográficos estavam migrando.

Raynond era alcoólatra, e batia constantemente em Dorotohy, num casamento abusivo. Kelly era o confidente da atriz, e os amigos acabaram se apaixonando. Um dia, após ser espancada, ela telefonou para o amante. Paul Kelly foi até o apartamento dos dois, e discutiu com Ray Raymond, que teria dito saber do caso entre eles.

Kelly e Raymond começaram a brigar, e durante a luta Ray Raymond caiu e bateu a cabeça, sofrendo traumatismo craniano. Poucos dias depois, em 19 de abril de 1927, ele faleceu no hospital. Porém, antes de morrer, aos 40 anos de idade, ele declarou a polícia que havia sido agredido por Paul Kelly.

Dorothy Mackaye havia dito aos policiais que o socorreram que ele havia caído devido a uma bebedeira. Paul Kelly foi condenado há dez anos de prisão, e Dorothy foi condenada há dois anos, por ter mentido em seu testemunho.

Kelly havia acabado de filmar O Araraquera (The Poor Nut, 1927), mas o estúdio cortou seu nome dos créditos do filme, embora ele ocupasse um dos papéis principais.

A imprensa se deliciou com o caso, cobrindo-o a exaustão. Mas logo também o esqueceu, devido ao assassinato do ator Tom Kerrick. (leia sobre isto aqui).



Dorothy pagou uma fortuna de fiança, e saiu da prisão após dez meses. Mas em agosto de 1929, a perícia concluiu que a morte de Raymond também foi influenciada pela sua condição de saúde precária, devido as bebedeiras.

Por ter bom comportamento, Paul Kelly foi solto após cumprir vinte e cinco meses de prisão. Curiosamente, a indústria cinematográfica não virou as costas para Kelly, que recebia cartas de apoio de alguns artistas quando estava na cadeia, e teve ajuda financeira de vários de seus antigos colegas para pagar a fiança e despesas jurídicas.

O ator saiu em liberdade condicional em 1929, e em 1931 seu agente de condicional autorizou que ele se casasse com Dorothy Mackaey.

Dorothy Mackaye, Paul Kelly juntos de Betty Grable e seu marido Jackie Coogan, em 1939

Em 1930 Kelly retornou à Broadway, atuando em Bad Girl (1930), ao lado de Sylvia Sidney. Nos anos seguintes, atuou em outras peças. Nenhuma fez sucesso, mas sua carreira estava se restabelecendo.

Em 1932 ele protagonizou a comédia The Girl From Calgary (1932), ao lado de Fifi Dorsay. O filme era uma produção de um estúdio menor, mas marcava seu retorno as telas cinematográficas, cinco anos após ser condenado por homicídio culposo.

Fifi Dorsay e Paul Kelly

Mas sua carreira nunca foi a mesma, embora tenha tido papéis de destaque em filmes como Luzes da Broadway (Broadway Thru a Keyhole, 1933), Pânico na Casa Branca (The Presidente Vanishes, 1934) e Sangue Irlandês (The Flying Irishman, 1939). Kelly ficou relegado a um ator de apoio, geralmente em produções "B". Mas nunca ficou desempregado, atuando em diversas produções entre as décadas de 30 a 50.

Dorothy Mackaye teve menos sorte em Hollywood. A atriz, que havia sido estrela dos palcos, só havia atuando em um único filme, Jack and the Beasnstalk (1917), na Fox, e depois do escândalo nunca mais teve convites para atuar.

O meio artístico e a sociedade da época estavam dispostos a perdoar um assassinato, mas não conseguiam perdoar uma mulher adultera.

Dorothy Mackaye

Ela nunca mais atuou, mas ainda teve alguma participação, mesmo que indireta, no cinema. Após deixar a cadeia, ela escreveu uma peça sobre mulheres presidiárias. A obra foi adaptada para o cinema pela a Warner, em um filme chamado Mulheres do Mundo (Ladies They Talk About, 1933), que foi estrelado por Barbara Stanwick.

Em 1942, tendo Faye Emerson como protagonista, o mesmo estúdio fez um remake, Mulher Gangster (Lady Gangster, 1942), também baseado na obra de Dorothy.

Dorothy Mackaye nos cenários de Mulheres do Mundo

Mas Dorothy não chegou a assistir a estréia da refilmagem de sua peça. Em 05 de janeiro de 1940 ela derrapou de carro, caindo em um penhasco. A atriz não sobreviveu ao acidente, falecendo no local, aos 40 anos de idade.


Paul Kelly passou a criar sozinho Valerie, a filha da atriz com Raymond, que ele adotou legalmente. Anos mais tarde, Valerie Raymond, usando o nome artístico de Mimi Kelly, também tornou-se atriz.

Mimi Kelly

Em dezembro de 1940 Paul Kelly atou no filme Asas nas Trevas (Flight Command, 1940), na MGM. Durante as filmagens, o recém viúvo conheceu a atriz Claire Owen, com quem se casou em 1941. Posteriormente, ela abandonaria a carreira para dedicar-se ao casamento.

Nas décadas de 40 e 50 Paul Kelly trabalharia em diversos filmes, geralmente interpretando policiais durões ou personagens frios e enigmáticos. Ele também foi um ator recorrente em diversas séries de televisão na década de 50.

Paul Kelly (o primeiro a direita) e Johnny Weissmuller
em Tarzan Contra o Mundo (Tarzan's New York Adventure, 1942)

Na Broadway o ator teve mais sucesso, fazendo inúmeras peças bem sucedidas (mas nunca foi chamado para fazer o seu respectivo papel nas adaptações cinematográficas. Em 1948 ele foi agraciado com um Tony de Melhor Ator por seu desempenho em Command Decision. O prêmio foi dividido com os atores Henry Fonda e Basil Rathbone. Por este papel, ele também foi eleito o melhor ator teatral do ano, pela revista Variety.

Porém, quando a peça foi transformada no filme Trágica Decisão (Command Decision, 1948), o ator Clark Gable foi chamado para ser o protagonista.

Paul Kelly faleceu em 06 de novembro de 1956. O ator sofreu um ataque cardíaco fatal, enquanto votava nas eleições presidenciais daquele ano.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil