O misterioso assassinato de David Bacon, o Mascarado Marvel



As adaptações cinematográficas de histórias em quadrinhos são hoje uma lucrativa fonte de renda nas bilheterias mundiais. Mas se engana quem pensa que estes filmes são um fenômeno recente. As adaptações de quadrinhos para os cinemas são tão antigas quanto o próprio cinema, e nas décadas de trinta e quarenta se popularizarm na forma de filmes seriados, feitos em 12 ou 15 capítulos, exibidos semanalmente nas salas de projeção. Estes filmes eram a diversão da garotada da época.

Em 1943 a Republic Pictures, estúdio especializado em seriados, exibiu nos cinemas 12 episódios das aventuras do Máscarado Marvel, uma adaptação dos quadrinhos criados por Ben Thompson, em 1939. Porém, o personagem não tem relação com a famosa Marvel Comics, de Stan Lee. O personagem fazia parte das publicações da Centaur Publications. A Marvel Comics só surgiria em 1947.


Marvel, em inglês, significa Maravilha, e no Brasil, os filmes receberam o nome de Maravilhoso Mascarado (The Masked Marvel, 1943). Por limitações tecnológicas para os efeitos especiais, a obra pouco lembrada o personagem dos gibis.

Seu protagonista, o ator David Bacon, teve neste seriado sua maior oportunidade no cinema. Mas infelizmente, ele não teve tempo de aproveitar a fama, pois foi assassinado dois meses antes do lançamento do filme, com apenas 29 anos de idade. O crime, envolto de mistérios, permanece até hoje sem solução.

David Bacon

David Gaspar Griswold Bacon nasceu em uma família tradicional e abastada de Massachussets, em 24 de março de 1914. Ele era filho de Gaspar G. Bacon, que foi vice governador do estado, e era um destacado coronel, que chefiou a Força Aérea norte-americana na Inglaterra, durante a Segunda Guerra Mundial.

Educado na alta sociedade, Bacon cursou a Universidade de Harvard, mas largou os estudos para ir para tentar a carreira de ator. Contrariando a família, ele deixou Harvard e se inscreveu na University Players, em West Falmouth. Seu pai cortou seu dinheiro, e ele precisou se virar para se sustentar. Nesta época, tinha como colegas de quarto os futuros astros James Stewart e Henry Fonda, ambos também em começo de carreira.

David Bacon

Sem conseguir emprego como ator, Bacon passou por dificuldades antes de estrear na carreira. Ele mudou-se para Nova York em busca de emprego no teatro, mas também não teve grandes chances. Apesar disto, o ator começou a ser visto usando roupas e jóias caras, que ele atribuía a um rico patrono britânico que era fã de sua arte, cujo nome nunca foi revelado. Os amigos especulavam que ele estava agindo como um gigolô.

Ele mudou-se então para Los Angeles, onde se casou com a cantora e atriz austríaca Greta Keller. Em 1942 ele estreou no cinema em Dez Cavalheiros de West Point (Ten Gentlemen from West Point, 1942), uma produção da Fox dirigida por Henry Hathway, e estrelada por George Montgomery e Maureen O'Hara.

Na Fox ele ainda fez Mergulho no Inferno (Crash Dive, 1942), estrelado por Tyrone PowerDana Andrews e Anne Baxter, mas seu papel era tão pequeno que ele nem foi creditado.

 David Bacon, o segundo a direita (em pé) em Mergulho no Inferno

Porém, na estreia do filme ele conheceu o produtor Howard Hughes, que o ofereceu um generoso contrato de exclusividade na RKO. Hughes queria Bacon como Billy the Kid no filme O Proscrito (The Outlaw, 1943), uma super produção feita para promover a nova estrela de Hughes, Jane Russell.

Porém Bacon foi considerado inadequado para o papel, que ficou com o ator Jack Buetel, também novato. O filme fez um grande sucesso, e causou escândalo ao insinuar  um ato sexual, algo impensável na Hollywood da década de 40. 

 Jack Buetel e Jane Russell em O Proscrito


Pouco tempo antes de morrer, Greta Keller, a viúva de Bacon, afirmou que Hughes estava apaixonado por Bacon, e que eles tiveram um caso. Enciumado com o casamento do ator, Hughes o teria cortado do filme, mas mantido ele sob contrato, para controlar sua carreira. Hughes, entretanto,  é famoso como um dos maiores mulherengos de Hollywood, tendo namorado diversas atrizes. 

Jack Buetel, o astro de O Proscrito, também não pode aproveitar os louros do sucesso do filme, já que Hughes o proibiu de atuar nos próximos sete anos que esteve sob contrato com o produtor. Ele só conseguiria retornar ao cinema em 1950, mas já era tarde demais par sua carreira. Há rumores que ele também teria sido namorado do produtor, que ainda teria tido um caso com astros como Tyrone Power e Cary Grant, em começo de carreira.

Hughes nunca aproveitou David Bacon no cinema, embora pagasse um alto salário ao ator, maior que de muitas estrelas da época. Porém, ele emprestou Bacon para estúdios menores, onde ele atuou em obras baratas, que o ator considerava uma humilhação. Seu primeiro filme neste período foi The Boss of Big Town (1942), que nem chegou a ser exibido no Brasil.

Depois Bacon atuou na Universal, onde fez Vênus & Cia. (Gals, Incorporated, 1943), ao lado de Harriett Hilliard, que aparecia em cena cantando, em inglês, Aquarela do Brasil. Mais tarde Harriett ficaria famosa como Harriett Nelson, ao se casar com Ozzie Nelson. Ela é mãe do cantor Ricky Nelson.
Cartaz de Vênus & Cia.

Seu filme seguinte foi o seriado Maravilhoso Mascarado (The Masked Marvel, 1943), feito na Republic Pictures. O filme chegou a fazer sucesso, mas o ator não chegou a colher os frutos disto.




David Bacon como o Maravilhoso Mascarado

Na Republic ele ainda fez um pequeno papel em Doce Lembrança (Someone to Remember, 1943), um dos primeiros filmes de Robert Siodmak feito na América. O filme também  foi um dos primeiros trabalhos do ator Peter Lawford.

O Assassinato

 Notícia de jornal sobre a morte de David Bacon, na foto com a esposa Greta Keller

Em 13 de setembro de 1943, um domingo, a menina Lorena Smith, de doze anos, observava a praia de Venice Beach, em Los Angeles, usando um binóculo. Ela reparou em um carro andando na costa, em baixa velocidade, com um homem dirigindo o veículo debruçado sob o volante. 

O carro acabou batendo em um poste telefônico. Algumas pessoas correram ao local e abriram a porta, David Bacon então caiu ao chão dizendo "me ajude", e faleceu em seguida.

Ele usava apenas um calção de banho, e estava coberto de sangue. Um ferimento em suas costas havia perfurado seu pulmão. A polícia nunca encontrou a arma do crime, mas acredita que ele tenha sido esfaqueado com um estilete.

No carro, seu roupão de banho com seu monograma, e um suéter pequeno, que não era dele, ambos cobertos de sangue. Haviam também três penas de ave  no banco do passageiro, e alguns fios de cabelo loiro, e a polícia cogitou que fossem penas de um chapéu feminino, mas logo descobrirarm que eram penas de um pássaro aquático da região. Dizem que também havia uma câmera fotográfica no carro, contendo apenas uma foto no rolo de filme. Nela, David estava sorrindo, nu, em um balneário ali perto. Mas muitos acreditam que isto seja apenas um boato lançado na época.

A perícia deduziu que ele havia sido esfaqueado por volta de dez minutos antes de bater o carro. Bacon havia saído de casa para ir a praia com uma amiga, uma importante socialite, mas esta não compareceu ao encontro por ter ficado mais tempo que planejava em uma festa, cercada de outras pessoas que confirmaram sua presença no local. Bacon tinha os cabelos molhados, indicando que ele esteve na praia mesmo assim.

Sua carteira estava no porta-luvas do carro, com dinheiro, e o ator usava jóias caras, o que indicava que ele não fora vítima de um assalto. Mas apenas suas impressões digitais estavam no veículo. Sem qualquer tipo de provas, o caso foi arquivado sem nunca ser esclarecido.

Ao receber a notícia Greta Keller passou mal. Ela estava no oitavo mês de gravidez, e poucas semanas depois deu à luz a um bebê que nasceu morto. Curiosamente, seu maior sucesso musical chamava-se Gloomy Sunday (Domingo Sombrio, na tradução).

Após sair do hospital, Greta Keller foi se recuperar na casa do ator Laird Cregar, que era amigo do casal, onde permaneceu algumas semanas. Bacon e Cregar havia atuados juntos em Dez Cavalheiros de West Point, e ficaram amigos desde então. Haviam rumores que Cregar e Bacon eram namorados.

A morte do ator foi amplamente divulgada na imprensa, e um jornal publicou uma foto de Cregar e Bacon saindo de um teatro, com a legenda "Laird Cregar, o bom amigo de Bacon". O produtor Darryl F. Zanuck logo providenciou um artigo na revista Modern Screen relatando o namoro de Cregar com a atriz Dorothy McGuire, para evitar o escândalo. Cregar, que apesar de não fazer o estereótipo do galã de Hollywood (devido ao seu excesso de peso), era muito popular entre as mulheres. Ele faleceria no ano seguinte, em consequências de uma severa dieta para emagrecer.

Laid Cregar jogando cartas (sentado, ao centro), com Tom Neal, a esquerda, e David Bacon (de pé, a direita), no intervalo das filmagens de Dez Cavalheiros de West Point.

Quando Bacon morreu, Greta Keller também despontava como atriz, tendo atuado em Uma Aventura em Paris (Reunion in France, 1942), uma produção da MGM estrelada por Joan Crawford. Desolada, ela deixou Hollywood e voltou para a Áustria, onde deu continuidade em sua carreira de cantora. Pouco antes de morrer, em 04 de novembro de 1977, ela declarou que ela e Bacon eram bissexuais, e seu casamento, apesar de amar o marido, servia de fachada para que eles pudessem ter suas aventuras homossexuais sem causar escândalos na sociedade. Ela também declarou que suspeitava que Howard Hughes estivesse envolvido na morte do marido.

Greta Keller



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil