A Carreira Cinematográfica de Ramón Valdés


O ator Ramón Valdés é conhecido, e querido, por milhões de brasileiros por seu papel de Seu Madruga (Don Ramón no original) na série mexicana Chaves, exibida no país há muitos anos pelos SBT.



Mas, na verdade, ele já era um veterano quando ingressou na série, em 1972. Ramón Goméz Valdés y Castillo nasceu em 02 de setembro de 1923, na cidade do México. Todos os seus irmãos também eram atores, mas um deles, Germán Valdés, apelidado de "Tin Tan", foi um grande astro da era de ouro do cinema mexicano.
O jovem Rampon Valdés
Ramon também era irmão de Manuel "El Loco" Valdés e Antonio "El Raton" Valdés. Assim como os irmãos, que tinham apelidos, Ramón era "el Monchito".
German Valdés, com Balú, que ele dublou na versão mexicana de Mogli
Ramon, German, Manuel e Antonio Valdés
Tin Tan foi sem dúvida  o mais famoso dos irmãos no cinema. Era um galã cantor, meio cômico, que fez muito sucesso e estava no cinema desde 1941.
Ramón Valdés estreou em um filme estrelado pelo irmão, Eu Sou do Amor (Calabacitas Tiernas, 1949), que tinha no elenco a cantora e atriz brasileira Rosina Pagã (Pagan, no México). Ele fazia um pequeno papel secundário, algo que ele repetiu em sua carreira por muitos anos. Paralelamente à profissão de ator, exerceu inúmeras atividades para sobreviver, como a de zelador e vendedor ambulante (como Seu Madruga também faria).

Ramon Valdés dançando em seu primeiro filme
Ramón Valdés atuaria em mais de 100 filmes, a maioria estrelados pelo irmão. Mas também atuou ao lado de grandes nomes do cinema mexicano, como Cantinflas e Pedro Infante.

Com Cantinflas atuou em O Professor (El Profe, 1971), ao lado da atriz Angelines Fernandéz (A Bruxa do 71) e do astro Arthuro de Córdoba. Com Pedro Infante atuou em A Vida Não Vale Nada (La vida no vale nada, 1955) e Escola de Vagabundos (Escuela de vagabundos, 1955), que ainda tinha a estrela Miroslava no elenco.

Angelines Fernandez, Cantinflas e Ramón Valdés

Durante as filmagens de Vagabundo y Millonario (1959), outro filme estrelado por seu irmão, conheceu um jovem que mudaria os rumos de sua carreira. Era Roberto Goméz Bolanõs, que viria a ser o criador de Chaves e Chapolin, em começo de carreira. Ele era o assistente de diálogos do filme, e despontaria anos mais tarde, principalmente na televisão, e nunca se esqueceria do talento do ator Ramón Valdés.

Bolaños criou o humorístico Los Supergenios de La Mesa Cuadrada (1970), que não foi muito bem, mas reuniu pela primeira vez os atores Ramón Valdes, Maria Antonieta de Las Nieves e Rubéns Aguirre, além de um quase figurante Carlos Villagrán.

Rubén Aguirre, María Antonieta de las Nieves, Roberto Gómez Bolaños, e Ramón Valdés
em Los supergenios de la mesa cuadrada (1970)

Chaves surgiria algum tempo depois, em 1972 e Chapolin em 1973.


Ramón Valdés sugeriu a inclusão no elenco de sua amiga Angelines Fernandéz, e assim foi feito. Apesar de ter uma extensa carreira cinematográfica, foi somente nestas séries que o ator atingiu o estrelato com o "Seu Madruga", superando inclusive a fama do irmão com o passar dos anos.


Mesmo com o sucesso da série, ele ainda fez mais algumas aparições no cinema. Com Bolaños ainda atuou em El Chanfle (1979), longa metragem protagonizado pelo personagem Chesperito. Também atuou em alguns filmes da série Chanoc, adaptações de um herói dos quadrinhos mexicanos, Ramon Valdés interpretava o personagem Tsekub Baloyán, nesta série de filmes iniciada em 1970.

Roberto Goméz Bolaños e Ramón Valdés em El Chanfle (1979).
Chanoc en el foso de las serpientes (1975)
Ramon Valdés deixou o elenco de Chaves em 1978, após desentendimentos com a atriz Florinda Meza (a Dona Florinda). Seu último filme seria o infantil El Mas Valiente del Mundo (1986), ao lado de María Antonieta de Las Nieves (Chiquinha) e Edgar Vivar (Seu Barriga), seus antigos colegas de seriado.
Ramón Valdés faleceu em 09 de agosto de 1988.


Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil