40 anos sem o durão Steve McQueen


Steve McQueen era um dos atores mais populares das décadas de 1960 e 1970, e chegou a ser o ator mais bem pago de Hollywood. Amante de corridas (de carros e motocicletas) e com um estilo próprio, ele era considerado um dos homens mais legais e descolados da indústria do cinema.


Terence Stepenhen McQueen nasceu em Beech Grove, Indiana, em 24 de março de 1930. Seu pai William McQueen era piloto de acrobacias em um circo, e abandonou sua mãe Julia Ann, grávida, seis meses após conhecê-la.

Desempregada devido a Grande Depressão de 1929, e alcoólatra, Julia não tinha condições de criar ao filho, e entregou o menino para os avós maternos quando ele tinha dois anos de idade. McQueen cresceu como uma criança feliz, e tinha no tio Claude a figura paterna que não conheceu. Foi Claude quem lhe deu um triciclo vermelho em seu quarto aniversário, e o ator dizia que foi ali que nasceu o seu interesse por corridas.

Aos oito anos ele voltou a morar com sua mãe. Disléxico e parcialmente surdo, devido a uma infecção de ouvido na infância, o menino não se adaptou a nova vida. Constantemente espancado pelo novo padrasto, fugiu de casa aos nove anos de idade, indo viver nas ruas, onde começou a andar com gangues e cometer pequenos delitos.

Claude então buscou o menino para viver novamente com ele, mas quando Steve tinha doze anos, sua mãe pediu para ele morar com ela de novo, agora com um novo marido. Novamente o companheiro de Julia batia no garoto, que pediu para voltar para a fazenda do tio em poucos meses.

Aos 14 anos de idade Steve McQueen fugiu de casa com um circo, e acabou voltando para a casa da mãe, em Los Angeles. Na cidade grande, foi preso roubando calotas de carros, e seu padrasto o espancou de forma violenta, terminando a luta jogando o rapaz de uma escada. Sua mãe então o enviou para um reformatório, onde permaneceu até os 16 anos de idade.

Ao deixar o reformatório, teve diversos empregos. Foi lenhador, trabalhador do campo, segurança de um bordel e lutador. Depois, aos 17 ingressou na Marinha, onde serviu por 3 anos.

Steve McQueen na Marinha

Usando um subsídio do governo, que ajudava financeiramente ex-militares, ele mudou-se para Nova York, onde começou a ter aulas de atuação com Uta Hagen. McQueen estreou no teatro em 1952, dizendo apenas uma frase na peça. Pelo trabalho ganhou 15 dólares, muito mais do que ganhava com os trabalhos pesados que já havia tido. Ele resolveu que seria ator, e matriculou-se na escola de Stella Adler, onde teve aulas ao lado da atriz Gia Scala.

Ainda em 1952 estreou em uma produção da televisão americana, onde atuou com bastante frequência no começo de sua carreira. Paralelamente, ganhava dinheiro competindo em corridas de motos aos finais de semana. Com o dinheiro das corridas comprou sua primeira Harley-Davidson.

Em 1955 ele se mudou para a Califórnia, tentando uma carreira em Hollywood. Lá ele conheceu a atriz Nellie Adams, com quem se casou em 1956. Eles atuaram juntos algumas vezes, na TV.

Steve McQueen e Nellie Adams

Em 1958 o ator estreou no cinema em um pequeno papel no filme Marcado Pela Sarjeta (Somebody Up There Like Me, 1956), estrelado por Paul Newman.

Steve McQueen e Paul Newman em Marcados Pela Sarjeta

Seu agente achou que o ator teria melhores oportunidades se aceitasse estrelar filmes de baixo orçamento, que eram populares entre os jovens, e poderia marcar seu nome entre os fãs. Assim McQueen atuou em Império de Gangster (Never Love a Stranger, 1958) e no trash e hoje cult A Bolha Assassina (The Blob, 1958).


A Bolha Assassina fez um enorme sucesso de bilheteria, e projetou o nome do jovem ator. O sucesso foi tanto, que após Sammy Davis Jr. ser demitido de Quando Explodem as Paixões (Never So Few, 1959), Frank Sinatra sugeriu que Steve McQueen deveria ficar com o papel, e ainda destacou que deveriam dar muitos closes no ator durante as filmagens.


O papel secundário de McQueen garantiu a ele o convite para ser uma das estrelas de Sete Homens e um Destino (The Magnifcent Seven, 1960), ao lado de Yul Brynner, Eli Wallach, Robert Vaughn, Charles Bronson, Horts Buchholz e James Coburn. Yul Brynner e McQueen não se deram bem nas filmagens, o astro de O Rei e Eu o acusava de querer roubar as cenas, como relatou Eli Wallach, em sua biografia.

Sete Homens e um Destino

O filme fez um enorme sucesso, e fez Steve McQueen deixar a série de televisão Wanted: Dead or Alive em 1961. Ele estava no elenco desde 1958. O ator estrelou a comédia romântica A Máquina do Amor (The Honeymoon Machine, 1961) e o drama de guerra O Amante da Morte (The War Lover, 1962).


John Sturges, o mesmo diretor de Sete Homens e Um Destino o convidou para atuar em Fugindo do Inferno (The Great Great Escapade, 1963), que era baseado em um historia real, que mostrava a fuga em massa de prisioneiros de um campo de concentração militar, durante a Segunda Guerra Mundial. No filme McQueen fazia uma espetacular fuga em uma motocicleta, que ficou marcada na história do cinema.

Porém, não foi ele quem fez a cena, e sum o dublê Bud Ekins, que era amigo do ator. No programa de Johnny Carson, quando o apresentador o parabenizou pela cena, McQueen revelou "não fui eu, era o Bud Ekins". 


O sucesso financeiro do filme transformou McQueen em um superstar. Em seguida estrelou diversos filmes, Quanto Vale um Homem (Soldier in the Rain, 1963), O Preço de Um Prazer (Love With the Proper Stranger, 1963), O Gênio do Mal (Baby the Rain Must Fall, 1965), A Mesa do Diabo (The Cincinatti Kid, 1965) e Nevada Smith (1966).

Em 1966 ele também estrelou O Canhoneiro do Yang-Tsé (The Sand Pebbles, 1966), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator. Isto garantiu o ator o direito de escolher a dedo seus papéis, fazendo com que ele atuasse com menor frequência.

O Canhoneiro do Yang-Tsé

McQueen só retornou ao cinema em 1968, quando estrelou Bullitt (1968), um de seus filmes mais famosos. O filme apresentava uma perseguição de carros sem precedentes na história do cinema, que exigiu muito tempo de filmagens. Após estourar muito o orçamento, a Warner Brothers precisou cancelar a produção de sete outro filmes, para poder financiar o projeto. Mas o filme fez um enorme sucesso financeiro.

Steve McQueen em Bullitt

A Warner convidou o ator para estrelar um novo filme no estúdio, mas os desentendimentos durante Bullitt fizeram ele recusar a oferta. McQueen preferiu estrelar Crow, O Magnífico (The Thomas Crown Affair, 1968), ao lado de Faye Dunaway, na United Artists e atuou na sequência em Os Rebeldes (The Reivers, 1969), feito em um pequeno estúdio.

Faye Dunaway e Steve McQueen em  Crow, O Magnífico

O ator só voltaria ao cinema no mal recebido As 24 Horas de Le Mans (Le Mans, 1971), onde interpretava novamente um corredor de carros. Seu filme seguinte Dez Segundos de Perigo (Junior Bonner, 1972) também não fez sucesso, mas Os Implacáveis (The Getaway, 1972) devolveu ao ator o posto de campeão de bilheterias. Steve McQueen se tornou o ator mais bem pago de Hollywood, e durante as filmagens conheceu a atriz Ali McGraw, de Love Story, e com ela se casou, em 1973.

Steve McQueen e Ali McGraw

Em 1973 ele ganhou elogios da crítica no papel de um prisioneiro na Ilha do Diabo em Papillon (1973), onde contracenou com o ator Dustin Hoffman.

Dustin Hoffman e Steve McQueen em Papillon

Em 1974 o ator interpretou o chefe dos bombeiros no mega sucesso Inferno na Torre (The Towering Inferno, 1974), onde reencontrou Faye Dunaway. Depois, praticamente desapareceu das telas, passando a viajar pelo mundo para correr em competições de motocicletas.

Steve McQueen, Faye Dunaway e Paul Newman em Inferno na Torre

O ator também ganhou peso, e viveu uma vida desregrada, abusando de álcool e drogas. O casamento com McGraw não resistiu, e foi desfeito em 1978. Em 1972 ele chegou a ser preso ao dirigir embriagado.



Steve McQueen recusou diversos papéis ao longo de sua carreira, e muitos dos filmes se tornaram grandes sucessos do cinema.

Em 1961 recusou o papel de Bonequinha de Luxo (Breakfeast at Tiffany, 1961), também recusou fazer Butch Cassidy (Butch Cassidy and the Sundance Kid, 1969), por não gostar de trabalhar com Paul Newman. recusou também atuar em Perseguidor Implacável (Dirty Harry, 1971), Operação França (French Connection, 1971), Contatos Imediatos do Terceiro Grau (Close Encounters of the Third Kind, 1971) e Apocalypse Now (1979), entre outros.

Em 1976 também foi oferecido ao ator um projeto para estrelar o papel título de O Guarda-Costas (The Bodyguard), ao lado da cantora Diana Ross. Mcqueen rejeitou o projeto, que foi feito em 1992, com Kevin Costner e Whitney Huston. Em 1972 ele tentou interpretar Rambo nos cinemas, mas os produtores acharam que ele era velho demais para o papel.

Steve McQueen ainda fez mais quatro filmes: Dixie Dynamite (1976), O Inimigo do Povo (An Enemy of the People, 1978), Tom Horn, O Cowboy (Tom Horn, 1980) e Caçador Implacável (The Hunter, 1980). Pouco antes de morrer, ele se casou com a modelo Barbara Minty.


Barbara Minty e Steve McQueen (esta é a última foto do ator)


Em 07 de novembro de 1980 o ator faleceu, com apenas 50 anos de idade. O ator sofria de um câncer raro, causado pela exposição ao amianto (durante os seus anos na marinha, sua função era remover o amianto dos tubos a bordo dos navios onde servia), e estava viajando para o México para remover um tumor abdominal, quando sofreu um ataque cardíaco fulminante.


Com Nellie Adams ele teve dois filhos, incluindo o ator Chad McQueen. Seu neto, Steven R. McQueen, também é ator.


Steven R. McQueen

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil