A verdadeira história de Pocahontas


Em 1995 a Disney popularizou Pocahontas em uma animação, hoje considerada clássica. Mas o desenho (como as outras versões cinematográficas) não conta sua verdadeira história. Pocahontas não viveu feliz para sempre. Aliás, ela viveu bem pouco, morrendo com apenas 22 anos.

Seu nome nem mesmo era Pocahontas, mas Matoaka. O apelido Pocahontas, na língua de sua tribo natal, significa "a metida". Mas mesmo retratada de forma fantasiosa, sua vida tornou-se um símbolo de resistência e liberdade.


Pocahontas é um personagem real, nascida em 1595. Ela era uma princesa indígena, filha de um chefe que comandava quase todas as tribos do litoral do estado da Virgínia (ou Tenekomakah, em sua língua nativa).

Seu verdadeiro nome era Matoaka, e Pocahontas era um apelido, que significava "a metida" ou "a mimada". Ela e John Smith na verdade nunca formaram um casal, e ele era muitos anos mais velho que ela. Ele também nem era loiro, embora já fosse retratado assim no imaginário da época.

John Smith era um líder dos colonos locais, e em 1607 ele foi capturado pela tribo de Pocahontas, e seria executado. Mas "a metida" Matoaka, então com 10 ou 11 anos de idade, impediu que ele fosse executado. Ela clamou pela vida de Smith, e convenceu o pai que a morte dele iria despertar a ira dos colonos, o que geraria uma guerra entre os povos.


Pocahontas também salvou a vida de outros colonos, e graças a seus atos, os colonos e os nativos da tribo Powhatans fizeram um acordo de paz. Mas ao contrário da lenda, Smith e Pocahontas nunca namoraram. Eles ficaram amigos, e ele a ensinou a falar inglês, além de lhe ensinar costumes dos homens brancos.

Dois anos após ela ter salvo Smith, ele foi ferido em um acidente com uma arma de pólvora, e foi mandando para receber tratamento na Inglaterra. Mas os colonos disseram aos indígenas que ele havia morrido.

Aos 17 anos de idade Pocahontas foi presa enquanto visitava uma família de colonos, e ficou mais de um ano na prisão, sem nenhuma acusação. Ela seria executada, mas inglês rico chamado John Rolfe, nobre comerciante de tabaco, comprou a sua libertação, em troca da moça se casar com ele.

Pocahontas tornou-se membro da corte inglesa, mas era uma prisioneira obrigada a renegar sua cultura.


Ela foi batizada e recebeu um nome cristão, Rebecca Rolfe. Os filhos dela eram chamados de os Red Rolfes (os Rolfes vermelhos). Em 1616 ela foi levada para a Inglaterra, onde ela descobriu que John Smith estava vivo. Eles não conseguiram se encontrar, mas Smith enviou uma carta a rainha pedindo para que ela fosse tratada como membro da nobreza. Ela era exibida nas festas da corte como uma atração exótica.

Somente um ano após estar na Inglaterra que Pocahontas e Smith se reencontraram. Em suas memórias ela disse que no primeiro encontro ela não falou uma palavra. E que quando puderam ficar a sós, ela disse que estava decepcionada com ele, por ele não ter ajudado a manter a paz entre os colonos e sua tribo, que estava sendo dizimada. Pouco tempo depois ela e o marido retornaram aos Estados Unidos, mas ela contraiu uma doença no navio (provavelmente turbeculose ou varíola), e faleceu em 21 de março de 1617, com apenas 22 anos de idade.

Após sua morte, diversos romances sobre sua história foram escritos, de forma romanceada. Não existem fotografias de Pocahontas, mas acredita-se que o retrato feito por Simon Van de Passe, em 1616, seja o retrato mais fiel dela. Nele é possível ver um rosto abatido, triste e envelhecido, em uma jovem de 20 anos.

Pocahontas, por Simon Van de Passe

Em 1808 sua história foi contada pela primeira vez, no Teatro. Em 1907 ela virou tema de um musical, na Broadway.



Pocahontas no cinema

Todos os filmes sobre a personagem histórica foram feitos de forma romanceada, mostrando Pocahontas e John Smith como um casal.


  • Rescue of Capt. John Smith By Pocahontas (1895)


Primeiro filme sobre a personagem, produzido por Thomas Edison. Não existem registros do elenco, nem imagem do filme.

  • Pocahontas: A Child of the Forest (1908)


Segundo filme de Pocahontas, também produzido por Edison. Infelizmente, registros também não sobreviveram ao tempo.


  • Pocahontas (1910)


Produzido pela Thanhouser Company, era estrelado por Anne Rosamond. O filme foi perdido com o tempo.



  • Pocahontas and John Smith (1924)


Lola Todd interpretava Pocahontas. Filme também perdido. (Não encontrei nenhuma imagem da obra).

A atriz Lola Todd


  • Flechas Flamejantes (Captain John Smith and Pocahontas, 1953)


Primeiro filme sonoro e colorido sobre Pocahontas. Estrelado por Jody Lawrence e Anthony Dexter.



  • Pocahontas (1994)


Animação japonesa, lançada pouco antes do sucesso da Disney.




  • Pocahontas: The Legend (1995)


Filme canadense, estrelado por Sandrine Holt.



  • Pocahontas (Idem, 1995)


Filme de animação dos estúdios Disney, talvez a versão mais famosa da personagem. Diversos desenhos animados imitando o sucesso foram lançados neste ano.




  • Pocahontas II: Uma Jornada Para o Novo Mundo (Pocahontas II: Journey to a New World, 1998).


Continuação do filme da Disney, feito para o mercado em vídeo.



  • O Novo Mundo (The New World, 2005)


Dirigido por Terrence Malick, o filme é estrelado por Colin Farrell e Q'orianka Kilcher.


Em 2019 a Disney divulgou o trailer do live action baseado em sua animação de 1995. O filme deveria ser lançado em 2020, mas devido a pandemia do Corona Vírus, sua produção e estréia foi adiada.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil