Myriam Pérsia completa 85 anos


Com uma longa trajetória artística, Myriam Pérsia brilhou nos palcos, cinema e televisão, e por anos também foi musa da escola de samba Império Serrano.


Myriam Nogueira Pérsia nasceu na cidade de Petrópolis, em 10 de julho de 1935. Desde criança nutriu amor pela cultura e artes, e aos 12 anos de idade já era professora em um curso de alfabetização infantil. Na faculdade, formou-se em filosofia.

O teatro entrou em sua vida aos 14 anos, atuando em peças infantis. E foi Fábio Sabag que a levou para a televisão, ainda adolescente, para trabalhar no Teatrinho Troll, na TV Tupi.

Em 1954, Myriam foi uma das finalistas do famoso concurso Miss Cinelândia.


Após destacar-se no teatro, onde trabalhou com nomes como Tonia Carrero, Cacilda Becker, Adolfo Celi e Henriette Morineau, ingressou na TV Rio, no ano de 1957, onde fez diversos programas.

Myriam Pérsia, no teatro

Em 1959 ela se casou com o ator Jardel Filho, com quem teve uma filha, a também atriz Tânia Boscolli. Myriam abandonou a carreira por dois anos após o casamento.

Pouco antes de se afastar da profissão, fez sua primeira novela, Mulherzinhas (1959), adaptação do romance de Louisa May Alcott, levada ao ar pela TV Tupi.

Seu retorno profissional ocorreu já como contratada da TV Excelsior, em 1963. No ano seguinte, ela se divorciou de Jardel.


Jardel Filho, Tânia Boscolli e Myriam Pérsia

Myriam Pérsia e a pequena Tânia Boscolli, nascida em 1963

Na Excelsior brilhou em programas como Times Square, A Cidade se Diverte, Chico Anysio Show, Show do Riso e muitos outros programas de variedades, que lhe deram projeção nacional, e lhe ajudou a ser eleita uma das Certinhas do Lalau, em 1962.

João Paulo Adour e Myriam Pérsia dançando Hully Gully

No cinema, ela havia estrado em 1957, no filme Casei-me Com Um Xavante (1957). Em seguida, fez muitos filmes, como Uma Certa Lucrécia (1957), Pista de Grama (1958), O Cantor e o Milionário (1958) e o clássico O Grande Momento (1958).

Myriam Pérsia e Gianfrancesco Guarnieri em O Grande Momento

Myriam Pérsia e Paulo Goulart em O Cantor e o Milionário

Em 1966 fez sua segunda novela, também na Tupi, Um Amor Tem Cara de Mulher (1966). Mas em seguida foi contratada pela recém inaugurada TV Globo, convidada para substituir Leila Diniz na novela Sangue e Areia (1967-1968).

Hamilton Fernandes e Myriam Pérsia em Sangue e Areia

Na Vênus Platinada, fez diversas novelas nos anos seguintes, como Rosa Rebelde (1969), Verão Vermelho (1970), Véu de Noiva (1970), A Grande Mentira (1970), Irmãos Coragem (1970), O Espigão (1974), Escalada (1975) e Sétimo Sentido (1982).

Myriam Pérsia e Geraldo Del Rey em Véu de Noiva

Adriano Reis e Myriam Pérsia em Sétimo Sentido

Em 1985 ela foi para a Manchete, atuar no remake da novela Antônio Maria (1985). Eventualmente, trabalharia novamente na Globo participando de O Sexo dos Anjos (1989), A Viagem (1994) e em produções mais recentes, como Lado a Lado (2012).

Também trabalhou na Record, onde fez Caminhos do Coração e sua sequência, Os Mutantes (ambas de 2008).

Myriam Pérsia em Caminhos do Coração

No cinema, atuou em diversas outras produções. São elas: Sonhando com Milhões (1961), O Beijo (1964), Rifa-se Uma Mulher (1967), Viver de Morrer (1969), Um Edifício Chamado 200 (1973), Banana Mecânica (1974), O Esquadrão da Morte (1975), Confissões de Uma Viúva Moça (1976), A Mulata Que Queria Pecar (1977), O Sequestro (1981), O Viajante (1999) e A Distração de Ivan (2009).


 Dercy Gonçalves e Myriam Pérsia em Sonhando Com Milhões

Myriam Pérsia e Sandra Barsotti em Confissões de Uma Viúva Moça

Astros do cinema brasileiro: Myriam Pérsia, Jece Valadão, Norma Benguell, Irma Alvarez e Daniel Filho



Theresa Amayo e Myriam Pérsia atualmente



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil