Steve Reeves, o mais famoso fortão do cinema


Houve um tempo em que os filmes europeus com personagens épicos, como Sansão, Hércules e Maciste, faziam muito sucesso junto ao público, e neste gênero, Steve Reeves era o maior dos astros.



Stephen Lester Reeves nasceu em Glasgow, Montana (Estados Unidos), em 21 de janeiro de 1926. Seu pai morreu em um acidente quando ele tinha apenas seis meses de idade, e ele se mudou para a Califórnia com a mãe ainda bem jovem.

Steve começou a malhar aos 16 anos de idade, e seu físico esculpido anos mais tarde faria dele um astro. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele serviu nas Filipinas, e também lutou por um tempo no Japão, sob ordens do general Douglas MacArthur.


Steve Reeves no exército

Após dar baixa do Exército, ele começou a competir nos principais concursos de fisiculturismo dos Estados Unidos, e venceu O Mr. Pacific Coast (1947), o Mr. América (1947) e o Mr. Universo (1950). Também posou como modelo para diversas revistas dedicadas a musculação.




Reeves já era um nome famoso nos Estados Unidos, graças as competições que participou. E logo o belo e musculoso rapaz chamou a atenção dos produtores de Hollywood.

Sua estreia foi em Kimbar of the Jungle (1949), uma espécie de Tarzan sem pagar direitos autorais. Era um projeto de uma série de televisão, que não foi pra frente, ficando apenas no piloto. O programa não foi exibido na época, e levou muitos anos para chegar até o público.


Steve Reeves em Kimbar of the Jungle

Após Burt Lancaster recusar o papel principal em Sansão e Dalila (Samson and Delilah, 1949), o diretor Cecil B. DeMille indicou Reeves para o papel de Sansão, mas os produtores da Paramount não queriam um ator desconhecido em uma produção tão cara, e acabaram optando por Victor Mature.

Reeves então fez figuração no clássico Os Homens Preferem as Louras (Gentlemen Prefer Blondes, 1952), como um dos fortões do time Olímpico (Ed Fury também estava no grupo), em uma cena com Jane Russell.


Steve Reeves e Jane Russell

Depois, ele trabalhou com Ed Wood, considerado o pior cineasta de todos os tempos, atuando no filme A Face do Crime (Jail Bait, 1954). Reeves não gostou muito de trabalhar com o diretor, e no mesmo ano teve uma chance melhor ao atuar em Tentações de Adão (Athena, 1954), na MGM.

Reeves interpretava o irmão de Debbie Reynolds, e namorado de Jane Powell, e seu personagem competia em concursos de fisiculturismo.


Dollores Fuller e Steve Reeves em A Face do Crime


Steve Reeves com Jane Powell e Debbie Reynolds em foto publicitária de Tentações de Adão


Em 1955 ele se casou com a atriz Sandra Smith, mas se separaram no ano seguinte. Enquanto isto, sua carreira em Hollywood não ia muito bem. O ator não recebia muitos convites para o cinema, e só era chamado para ser a atração de algum programa de variedades, como convidado.

Sua sorte mudou quando o diretor italiano Pietro Francisci o convidou para ir para à Itália, filmar Hércules (La Fatiche di Ercole, 1958). Reeves tornou-se o primeiro ator norte-americano a migrar para a Europa após a decadência do sistema de contratos dos grandes estúdios de Hollywood. Posteriormente, muitos astros um tanto desprestigiados ou atores menos famosos iram para o continente em busca de trabalho.




A crítica condenou o filme, dizendo que ele cometia absurdos em relação a mitologia, mas o público adorou, fazendo da produção um sucesso mundial. Reeves não falava italiano, e foi dublado (ele foi dublado em todas as suas produções europeias).

Logo ele estrelou Hércules e a Rainha da Lídia (Ercole e la Regina di Lidia, 1959). Os produtores queriam que ele fizesse o personagem novamente, mas o ator recusou, dizendo que queria papéis diferentes. Curiosamente, ele ficou eternizado como o Hércules mais famoso do cinema, e dizia melancolicamente no final da vida "as pessoas pensam que eu fiz dez filmes como Hércules, quando na verdade só fiz dois."

Mas Steve Reeves fez diversos filmes de aventura, com personagens destemidos, e as vezes de origem mitológica. Este tipo de filme foi batizado de "sandálias e espadas" (ou peplum). O sucesso deste gênero levou outros "artistas bombados" para à Itália, para atuarem em produções para as quais Steve Reeves não estive disponível.


Ele atuou em O Diabo Branco (Agi Murad il Diavolo Bianco, 1959) e Golias Contra os Bárbaros (Il Terrore dei Barbari, 1959), mas durante as filmagens de Os Últimos Dias de Pompéia (Gli Ultimi Giorni di Pompei, 1959), a biga que ele diria bateu contra uma árvore, e o ator deslocou o ombro. Isto o impediu de continuar sua rotina de treinos mais intensas, e a lesão causaria problemas maiores anos mais tarde.


Steve Reeves em Os Últimos Dias de Pompéia 


Reeves ganhou uma fortuna com os filmes europeus. Ele ainda atuou em O Gigante de Maratona (La Battaglia di Maratona, 1959), O Rei dos Piratas (Morgan Il Pirata, 1960), As Aventuras do Ladrão de Bagdá (Il Ladro di Bagdad, 1961) e A Guerra de Tróia (La Guerra di Troia, 1961).





Em 1961 os produtores queriam que ele fizesse os papéis dos gêmeos fundadores de Roma, no filme de Rômulo & Remo (Romulo e Remo, 1961). Mas Steve os convenceu que devido ao baixo orçamento, as cenas de lutas seriam mais verosímeis se fossem feitas por dois atores diferentes, e sugeriu seu amigo, também fortão, Gordon Scott, que havia interpretado Tarzan em Hollywood.



Steve Reeves e Gordon Scott em Romulo & Remo


Em 1962 Steve Reeves cometeu o maior erro de sua carreira, ao recusar o papel de James Bond em O Satânico Dr. No (Doctor No, 1962), que acabou indo para Sean Conney, outro ex-fisiculturista. Ele também recusaria o papel do cowboy silencioso em Por Um Punhado de Dólares (Per Un Pugno di Dollari, 1964), que fez a fama de Clint Eastwood.


Reeves preferiu atuar nas produções O Filho de Spartacus (Il Figlio di Spartacus, 1962), A Lenda de Éneas (La Leggenda di Enea, 1962), Sandokan, O Grande (Sandokan, la tigre di Mompracem, 1963) e I Pirati della Malesia (1964).



Steve Reeves em O Filho de Spartacus


Seu último trabalho no cinema foi no western Vivo Pela Tua Morte (Vivo per la tua Morte, 1968).




Em 1963 ele havia se casado com Aline Czartjarwicz, com quem teve uma união longa e feliz, mas o casal não teve filhos. 

Aline faleceu em 24 de julho de 1989, vítima de um câncer, o que deixou Steve Reeves inconsolável. Após ficar viúvo, ele passou a viver em seu rancho na Califórnia, onde criava cavalos e dava palestras sobre fisiculturismo, onde criticava o uso de esteroides.


Steve Reeves e a esposa




Ele também frequentava feiras e convenções de fãs sobre os épicos italianos. Em 2000, após muitos anos afastado das telas, surgiram rumores de que ele faria uma participação no filme Gladiador (Gladiator, 2000), de Ridley Scoot.


Mas logo Steve Reeves foi diagnosticado com linfoma, e ele morreu no dia 01 de maio de 2000, a mesma data da estreia de Gladiador. O ator tinha 74 anos de idade.














Leia também: O Tarzan Gordon Scott

Um comentário:

  1. Muito boa biografia.Belo e meticulisa pesquisa desse ator Reeves..

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil