O Triste Fim de Scotty Beckett, o Batutinha Perdido




Com seu boné sempre virado para o lado, Scotty Beckett foi um dos mais famosos astros de Os Batutinhas (Our Gang), mas acabou perdendo espaço para Carl "Alfalfa Swizter. Porém, foi um promissor astro juvenil da MGM, atuando em grandes clássicos.

Mas Beckett se perdeu na vida adulta, se metendo em muitas confusões que o levaram a prisão por diversas vezes. Assim como Alfalfa (e seu irmão Harold, que também foi um Batutinha), o ex menino prodígio tornou-se um encrenqueiro, que encontrou um triste final.




Scott Hastings Beckett nasceu em Oakland, Califórnia, em 04 de outubro de 1929. Seus pais se mudaram para Los Angeles quando ele tinha 3 anos de idade, e pouco tempo depois seu pai foi internado no hospital, onde faleceria quando o menino tinha 4 anos.

Scotty costumava visitar o pai, e cantava para ele enquanto ele estava internado. Durante uma dessas visitas, um diretor de elenco de Hollywood viu o menino, e convenceu seus pais que ele tinha talento para atuar no cinema.

Ele estreou no cinema em Galhardia de Mulher (Gallant Lady, 1933), fazendo o mesmo papel que Dickie Moore. Moore interpretava o personagem aos 6 anos de idade, e Scotty Beckett fazia o personagem aos 3 anos. Eles voltariam a atuar algumas vezes ao longo dos anos.


Scotty Beckett em Galhardia de Mulher


O menino também atuou nos filmes Eu Sou Suzanne! (I Am Suzanne!, 1933), Quando os Deuses Desfazem (Whom the Gods Destroy, 1934), Sonho Cor de Rosa (Romance in the Rain, 1934), Alegria de Viver (Stand Up and Cheer!, 1934) e Escândalos de Broadway (George White's Scandals, 1934), antes de ser visto pelo produtor Hal Roach, que fazia os filmes de Os Batutinhas (Our Gang) desde 1922.

Dickie Moore estava deixando o elenco de Os Batutinhas, e Roach contratou Beckett para assumir o seu lugar, estreando em Hi'-Neighbor! (1934). O produtor achou o menino parecido com Jackie Coogan (o astro de O Garoto, de Chaplin), e o vestiu com um traje parecido com o que ele usava no filme.


Jackie Coogan (em O Garoto) e Scotty Beckett (em Os Batutinhas)


Scotty Beckett e Os Batutinhas



Scotty formou dupla com Spanky McFarland, onde faziam os meninos ingênuos do grupo. Ele atuou em 15 filme dos Batutinhas até 1936, quando deixou o grupo, após a chegada de Alfalfa.


Spanky McFarland e Scotty Beckett em Os Batutinhas


Muitos meninos, ao deixarem o elenco de Os Batutinhas, não conseguiram repetir o sucesso na carreira, mas este não foi o caso de Scotty Beckett, que emergiu como uma das principais estrelas infantis da época. Ele atuou em diversos filmes, contracenando com os maiores astros das décadas de 1930 e 1940.

Entre seus principais trabalhos estão A Nave de Satã (Dante's Inferno, 1935), com Spencer Tracy; Adversidade (Anthony Adverse, 1936), com Fredric March; A Carga da Cavalaria Ligeira (The Charge of the Light Brigade, 1936), com Errol Flyn e Olivia de Havilland; O Romance de Madame Walewska (Conquest, 1937), com Greta Garbo; Maria Antonieta (Marie Antoinette, 1938), com Norma Shearer; Minha Esposa Favorita (My Favorite Wife, 1940), com Cary Grant e Em Cada Coração um Pecado (Kings Row, 1942), com Claude Rains.



Scotty Becket e Errol Flynn em A Carga da Cavalaria Ligeira


Greta Garbo e Scotty Beckett em O Romance de Madame Walewska



Em 1940 ele também contracenou com Shirley Temple, a maior estrela mirim da época, no clássico O Pássaro Azul (The Blue Bird, 1940), e novamente dividiu um papel com Dickie Moore em O Diabo Disse Não (Heaven Can Wait, 1943).

Ainda em 1943 ele estrelou o filme O Menino de Stalingrado (The Boy From Stalngrad, 1943), onde vivia um garoto russo.


Scotty Beckett em O Menino de Stalingrado


Agora cursando o ensino médio, Scotty era um bom e popular aluno. Ele também estreou na Broadway, recebendo boas críticas por seu desempenho, e começou a fazer sucesso também em um programa radiofônico. A adolescência não desacelerou sua carreira, e ele teve bons papéis em filmes como Minha Reputação (My Reputation, 1946), com Barbara Stanwyck e viveu o jovem Al Jolson em Sonhos Dourados (The Al Jolson Story, 1946), porém foi dublado por Rudy Wissler nas cenas de canto.

Ele também atuou em Idade Perigosa (Dangerous Years, 1947), onde finalmente contracenou com Dickie Moore. Este é o primeiro filme da futura estrela Marilyn Monroe.


Scotty Beckett em Sonhos Dourados



Marilyn Monroe, de garçonete, e Scotty Beckett a sua direita, em Idade Perigosa



Scotty resolveu abandonar a carreira, e matriculou-se na universidade, para cursar medicina, mas a MGM fez uma oferta tentadora, e ele largou o curso.

Com a jovem Elizabeth Taylor ele fez As Delícias da Vida (Cynthia, 1947) e com Taylor e  Jane Powell (que anos mais tarde se casaria com Dickie Moore) fez O Príncipe Encantado (A Date With Judy, 1948). Também atuou em O Preço da Glória (Battleground, 1950) com Van Johnson; e novamente com Jane Powell fez Romance Carioca (Nancy Goes to Rio, 1950), além de atuar em Era Sempre Primavera (The Happy Days, 1950), com Dean Stockweel, outro astro mirim da MGM que começava a crescer.


Robert Stack, Jane Powell, Elizabeth Taylor e Scotty Beckett em O Príncipe Encantado



Dean Stockwell e Scotty Beckett em Era Sempre Primavera



Aos 19 anos ele era um astro juvenil, mas parecia estar mais interessado em festas e na sua vida noturna do que com sua carreira. Seu comportamento começou a tornar-se cada vez mais imprudente e irresponsável, e ele começou a aparecer mais nas manchetes por escândalos do que por seus trabalhos.

Em 1948 ele foi preso pela primeira vez após bater embriagado em outro carro. Ele fugiu da delegacia, e foi preso novamente. No ano seguinte, se casou com a tenista profissional Beverly Baker. Scotty fugiu para se casar com ela, contrariando a orientação do estúdio.

Mas Beckett era ciumento e controlador. Ele exigiu que que a esposa parasse de jogar, e ainda na lua de mel, bateu em um homem que olhava para sua esposa ela na piscina do hotel. Ele proibia que Beverly conversasse com outros homens, e não queria mais que ela visitasse sua família.

Cinco meses depois de casada, Beverly pediu o divórcio. E um ano após se separar de Beckett, Beverly Baker alcançou a terceira posição mundial no tênis feminino.


Seu casamento foi bastante noticiado nos tabloides, e a repercussão negativa lhe custou o contrato com a MGM, que o demitiu. Agora trabalhando na Columbia, ele estrelou Gasoline Alley (1951), que era baseado em uma história em quadrinhos. Na sequência, fez Corky of Gasoline Alley (1951), mas logo foi demitido do estúdio, pelas suas constantes bebedeiras.







Jimmy Lydon, que trabalhava com ele na série de filmes, lembrou (anos mais tarde), que Beckett também criou muitos inimigos na indústria do cinema. Ele havia feito uma fortuna atuando, mas gastava tudo em apostas, e devia dinheiro para muitas pessoas a quem pedia emprestado para pagar as dívidas de jogo, e nunca quitava os empréstimos.


As coisas pioraram ainda mais quando ele se casou com a atriz Sunny Vickers, que também bebia demais. O casal teve um filho, e se separou em 1957.



Scotty Beckett, Sunny Vickers e o filho do casal



Mal visto pelos estúdios, ele recorreu a televisão, onde fez algumas aparições em séries de TV. Em 1953 ele conseguiu um novo papel no cinema, mas era um personagem secundário em Malandros da Marmelada (Hot News, 1953), no pequeno estúdio Monogram.



Scotty Beckett em Malandros da Marmelada



Scotty tentou voltar para a faculdade duas vezes, mas sempre abandonou o curso devido seu alcoolismo. E em 1954 atuou como figurante em Um Fio da Esperança (The High and the Mighty, 1954).


Sua carreira parecia ter chegado ao fim, mas ele teve uma grande chance quando foi chamado para estrelar a série Rocky Jones, Space Ranger (1954), mas foi demitido após gravar alguns episódios. Jimmy Lydon, seu colega de Gassoline Alley assumiu seu papel.

Agora, além das bebedeiras, o ator estava viciado em remédios controlados.



Scotty Beckett em Rocky Jones, Space Ranger



Dois anos depois, ele conseguiu voltar ao cinema em Matei Meu Amor (Three for Jamie Dawn, 1956), também em um estúdio pequeno. Esta foi a última vez que ele recebeu um crédito em sua carreira.

Em 1957 Scotty foi preso novamente, ao tentar cruzar a fronteira do México com remédios controlados. Ele alegou que eram para sua esposa, que estava doente, mas Vicky estava há meses internada em uma clínica de desintoxicação.


Pouco tempo depois, Vicky pediu o divórcio, e ficou com a guarda da criança. Scotty então tentou o suicídio, tomando um frasco de remédios para dormir.



Scotty Becket sendo preso


Antes de ser preso, ele havia sido figurante nos filmes O Grande Vigarista (Public Pugeon No. 1, 1957), Quando as Pistolas Decidem (The Oklahoman, 1957) e Voltei a Ser Homem (Monkey on My Back, 1957), que foi seu último trabalho no cinema.



Scotty Beckett em Voltei a Ser Homem



Agora falido, Scotty Beckett trabalhou como vendedor de imóveis, e depois vendeu carros. Scotty voltou a ser preso em 1959, por dirigir embriagado, meses depois, no mesmo ano, foi preso novamente por porte de drogas, mas o promotor não quis registrar a queixa.

Quatro dias depois desta última prisão, ele bateu seu carro contra uma árvore, e ficou gravemente ferido, precisando usar uma cadeira de rodas. 

Em setembro de 1963 ele foi preso após tentar esfaquear seu vizinho em uma discussão. Sua terceira esposa, Margaret, foi quem impediu que ele fizesse algo pior. Três dias depois desta prisão, Scotty tentou se matar pela terceira vez (ele também havia tentado em 1962), agora cortando os pulsos.

Quando saiu da cadeia, ele encontrou Margaret deixando a sua casa. Ela tinha uma filha de outro casamento, e Scotty agrediu a menina para tentar impedir a mudança, e foi preso novamente.

Depois Scotty Beckett sumiu da mídia, e arrumou um emprego como motorista de ambulância, para ficar mais perto do seu antigo sonho de ser médico.

Mas em 08 de maio de 1968 ele se internou em um asilo dedicado para antigos profissionais de Hollywood. Ele estava gravemente ferido, após ter sido espancado, mas não quis dar maiores informações.


Dois dias depois, ele foi encontrado morto em seu quarto, em 02 de maio de 1968. Scotty Beckett havia cometido suicídio tomando uma grande dose de barbitúricos, com apenas 38 anos de idade. Seis meses depois, Sunny Vickers, sua segunda esposa, também morreu em consequências das bebedeiras.




0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil