A breve Erin Moran, de Daktari e Happy Days, a estrela mirim que virou sem teto


Erin Marie Moran nasceu em Burbank, Califórnia, em 18 de outubro de 1960. Ela era a caçula de seis filhos, e foi incentivada pela mãe a se tornar atriz mirim. Seus irmãos Kelly Moran, John Moran e Tony Moran também se tornaram atores.

Tony Moran foi o mais bem sucedidos dos irmãos de Erin, tendo interpretado o desmascarado  Michael Myers no clássico Halloween: A Noite do Terror (Halloween, 1978).


Tony Moran em Halloween: A Noite do Terror


Erin Moran começou a trabalhar com publicidade aos cinco anos de idade e em 1967 estreou no cinema fazendo um pequeno papel em Quem Está Guardando Esta Erva? (Who's Minding the Mint?, 1967). No ano seguinte, atuou em Lua de Mel Com Papai (How Sweet It Is!, 1968), ao lado de Debbie Reynolds.

Mas ela só passou a ser conhecida quando ingressou na última temporada da série Daktari (Idem, 1968-1969), interpretando a órfã Jenny Jones, que foi adotada pela família Tracy, os guardiões do leão vesgo, astro da trama.





Erin Moran em Daktari

Erin ainda participou dos filmes 80 Passos Para a Felicidade (80 Steps to Jonah, 1969), Tempo Para Amar, Tempo Para Esquecer (The Happy Ending, 1969) e A Noite em que o Sol Brilhou (Watermelon Man, 1970), e de algumas séries como Gunsmoke e Os Waltons, como atriz convidada.


Erin Moran em 80 Passos Para a Felicidade


Erin Moran em A Noite em que o Sol Brilhou


Erin Moran em Os Waltons


Aos 13 anos de idade ela foi escalara para interpretar o seu papel mais conhecido, a mal-humorada Joanie Cunnigham na série Happy Days (Idem, 1974-1984). Ela fazia a irmão de Richie Cunnigham, que era interpretado pelo então ator mirim Ron Howard, que hoje é um premiado cineasta.



Ron Howard e Erin Moran em Happy Days

Erin Moran e o elenco de Happy Days


A série fez um enorme sucesso nos Estados Unidos, e durou uma década. Erin cresceu em frente as câmeras, e posteriormente revelou que o processo foi muito difícil, porque aos 15 anos de idade os produtores queriam fazer dela uma mulher sexy, enquanto ela ainda era uma adolescente.




O sucesso de sua personagem, que fazia par romântico com Scott Baio, rendeu um spin off (série derivada de outra série), chamada Joannie Loves Chachi (1982-1983). E apesar dos protestos da atriz em deixar Happy Days, ela ganhou um prêmio Young Artist por este programa.

Mas a série não fez sucesso, e ela e Scott Baio voltaram para a temporada final de Happy Days, que foi exibida no Brasil no começo da década de 1980, pela TV Globo.





Como muitos ex atores mirins, ela teve dificuldades em conseguir novos papéis após o final da série. 

 Enquanto ainda estava no elenco de Happy Days ela havia atuado no terror futurista Galáxia do Terror (Galaxy of Terror, 1981), mas depois só conseguiu algumas aparições nas séries O Barco do Amor (Love Boat) e Assassinato Por Escrito (Muder She's Wrote).


Erin Moran em Galáxia do Terror


Erin Moran em O Barco do Amor



Sem trabalhar desde 1986, em 1988 ela revelou que sofria de uma forte depressão, e que era incapaz de assumir qualquer papel. Erin só retornou as telas em 1996, interpretando a si mesma, em uma participação especial na comédia Deus nos Acuda! (Dear God, 1996). E em 1998 fez uma participação em um episódio da série Diagnosis Murder.


Erin Moran em Diagnosis Murder


Em 2003 ela novamente interpretou a si mesmo no filme Dickie Roberts, o Pestinha Cresceu (Dickie Roberts: Former Child Star, 2003). Neste filme, David Spade interpreta um ex ator mirim com problemas na vida adulta, e vários antigos astros mirins, como Jay North (O Dennis, o Pimentinha) e Butch Patrick (o Eddie Monstro, da série Os Monstros) fazem uma participação especial.


De baixo para cima, da esquerda para direita: Tony Dow, Erin Moran, Adam Rich, Ron Palillo, Charlene Tilton, Eddie Mekka, Ernest Thomas, Fred Berry, Barry Livingston, Rodney Allen Rippy, Butch Patrick-Lilly, Willie Aames, Jeremy Miller, Jay North, Chris Knight, Haywood Nelson, Barry Williams, Todd Bridges, Paul Petersen, Jeff Conaway e Leif Garrett. As antigas estrelas mirins em Dickie Roberts, o Pestinha Cresceu.


Erin Moran ainda fez os filmes Broken Promise (2008) e Not Another B Movie (2010).


Erin Moran em Not Another B Movie


Em 2008 ela também participou do reality show Celebrity Fit Club, que ajudava celebridades a perder peso.


Em 2010, sem dinheiro, ela foi despejada de sua casa em Hollywood, comprada nos tempos de Happy Days. Ela então foi morar em um trailer, que era de sua sogra, com seu segundo marido, Steven Fleischmann.


A casa onde Erin Moran foi morar em 2010


A imprensa começou a explorar sua situação, que ficou um pouco melhor após a atriz receber uma indenização de 65 mil dólares após processar a CBS por nunca ter recebido direitos autorais com os produtos de merchandising de Happy Days que tinham sua imagem.


Mas sem trabalho, com muitas dívidas e bebendo muito, o dinheiro da atriz logo acabou. Ela foi ajudada por outra estrela mirim da TV, Alana Thompson (a Honey Boo Boo), que era fã das reprises de Happy Days, e morava próximo ao acampamento de trailers onde Erin Moran residia.

Honey Boo Boo havia visto uma matéria falando da situação da atriz em um programa de TV.





Mas em 2012 a sogra expulso Erin Moran de sua casa, e ela passou a morar em hotéis baratos de beira de estrada, e acabou dormindo também nas ruas.

Em 22 de abril de 2017 a polícia foi chamada para recolher um corpo de uma sem teto, sem identificação. Posteriormente, descobriram se tratar da antiga estrela infantil Erin Moran.


Na época, foi divulgado que ela morreu de overdose de heroína, mas a autópsia revelou que ela não tinha nenhum indício de drogas em seu organismo. Erin Moran na verdade morreu de um câncer de garganta em estágio 4, que nunca foi tratado.

Ela tinha apenas 56 anos de idade, e nunca teve filhos.









0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil