Chateau Marmont, o hotel dos escândalos de Hollywood



"Se você quiser se meter em problemas, faça no Chateau Marmont". Esta frase foi dita por Harry Cohn, o todo poderoso da Columbia para Glenn Ford e William Holden, dois atores novatos e festeiros recém contratados pelo estúdio. O ano em 1939, auge da crise moral de Hollywood.

Cohn então entregou chaves do hotel isolado nas colinas de Los Angeles, na Sunset Boulevard para seus novos astros, que por três anos deram festas longe dos olhos do público e da imprensa, recebendo colegas boêmios como Humphrey Bogart, Errol Flynn, David Niven e John Drew Barrymore (o pai da atriz Drew Barrymore).

Inaugurado em 1929, o Chateau Marmont é quase tão antigo quanto a história de Hollywood, e por muitos anos (e até hoje) serviu de refugio para os astros manterem a sua descrição. Ao longo dos anos, o hotel teve altos e baixos, sendo um local luxuoso ou por vezes decadente, servindo de morada para jovens sem dinheiro que chegavam a Los Angeles em busca de fama em Hollywood.

A reputação do hotel de lidar discretamente com as celebridades, atraiu muitas estrelas de Hollywood que queriam ficar longe dos radares de Beverlly Hills. O estacionamento subterrâneo tinha elevadores que levavam diretamente aos andares, mantendo os hóspedes longe dos holofotes. Além disto, o Marmont oferecia um serviço de manobrista, que mandava um carro para buscar o artista (geralmente embriagado) em algum lugar, enquanto outro motorista levava o carro de seu hospede para outro local.

Além disto, o prédio ficava estrategicamente em frente ao Jardim de Alá, a mansão da atriz Alla Nazimova, que na década de 1920 recebia as maiores e mais hedonistas festas de Hollywood. Mais tarde, a residência também se tornou um hotel.



A gerente do hotel era Ann Little, uma antiga estrela do cinema mudo que abandonou a carreira no auge, em 1925, sem nunca revelar o motivo pelo qual se afastou das telas e recusou todos os convites posteriores.

Haviam especulações na época que a própria Ann poderia ter algo a esconder, e encontrou no Chateau Marmont um refugio. Até o final de sua vida, aos 93 anos de idade, Ann Little recusava-se a falar sobre sua carreira de atriz.


Ann Little

Entre a lista de moradores do hotel estão Howard Hughes, Hedy Lamarr, Boris Karloff, Paul Newman e Joanne Woodward, e muitos outros. Greta Garbo nunca morou lá, mas se hospedava frequentemente, usando o nome de Harriet Brown, e Katharine Hepburn, recém chegada em Los Angeles, se hospedou no hotel, onde só usava roupas masculinas e um tapa olho no lado esquerdo do rosto.

Uma das primeiras estrelas a morar no Hotel foi a atriz Jean Harlow. Em 1932 seu marido, o produtor Paul Bern, cometeu suicídio. Mas haviam especulações que ele teria sido assassinado. Principalmente pelo fato de Lois B. Mayer, o todo poderoso da MGM ter sido a primeira pessoa a ser chamada na casa da atriz, antes da chegada da polícia ou perícia.

Pouco tempo depois, a atriz se casou com o diretor Harold Rosson, também da MGM. O casamento teria sido armado por Mayer, que obrigou que o casal se muda-se para o discreto hotel, o mesmo que Harlow havia passado sua lua de mel com Bern.


Jean Harlow com Harold Rosson, além da mãe e o padrasto da atriz, no Chateau Marmount

Rosson saia cedo para ir trabalhar no estúdio, e voltava tarde da noite, enquanto Harlow mantinha encontros amorosos com Clark Gable, que era levado a sua suíte por Ann Little, previamente avisada, que levava o ator até os aposentos, longe dos olhos de outros funcionários.

Billy Wilder, recém chegado em Hollywood, foi outro que morou no hotel, em 1934. Com pouco dinheiro ele ficou em um quarto modesto, sem janelas. O diretor moraria no hotel por três ocasiões. Em uma delas, após voltar da Europa, onde tinha ido visitar sua mãe, encontrou o hotel lotado, e foi autorizado a dormir em um pequeno armário de serviço.

Já com um orçamento maior, dividiu quarto com o amigo Peter Lorre, recém chegado da Europa, fugindo do nazismo. Lorre usava a descrição do hotel para alimentar seu vício em heroína. As colinas discretas onde ficava o hotel serviram de inspiração para Wilder, anos mais tarde, escrever o magistral roteiro de Crepúsculo dos Deuses (Sunset Boulevard, 1950). 

O hotel também ficava próximo da farmácia Schawbs, que também vendia bebidas em Los Angeles, e nunca fechava. A farmácia também aparece no filme Crepúsculo dos Deuses.

Outro morador ilustre foi o escritor F. Scott Fitzgerald, que teve um ataque cardíaco no jardim do hotel, após sua carreira de escritor decair devido ao uso excessivo de álcool. E Vivien Leigh, quando chegou em Hollywood também morou por lá. Refinada, ela decorou seu quarto com quadros de Picasso e Renoir, que faziam parte de sua coleção particular.

Humphrey Bogart nunca morou lá, mas colocou sua mãe, Maud, para viver no hotel. Com mais de 70 anos de idade, ela costumava ficar andando pela Sunset Boulevard abordando estranhos para contar que era mãe do famoso ator, que frequentava o bangalô particular da mãe para fazer a jardinagem.


Humphrey Bogart fazendo jardinagem no hotel onde sua mãe vivia


Em 1948, após ser fotografado por uma revista de fofocas usando maconha, Robert Mitchum mudou-se para o hotel, alugando um quarto com cozinha, e ficou por lá até a poeira do escândalo ter baixado.


Robert Mitchum no Chateau Marmount

Em 1952 o diretor Nicholas Ray mudou-se para o Hotel, após se divorciar da atriz Gloria Grahame. Ray havia descoberto que a esposa estava tendo um caso com seu filho (de outro casamento), que na época tinha apenas 13 anos de idade.

O diretor morou muitos anos no hotel, e foi lá que deu os primeiros passos para a produção do filme Juventude Transviada (Rebeld Without Cause, 1955), e os ensaios eram feitos em seu bangalô particular.

Querendo o papel principal, o jovem ator James Dean pulou o muro do hotel para se apresentar ao diretor, implorando uma chance para fazer teste para o elenco, e sua atitude ousada e imprudente deu certo, fazendo de Dean um grande (e breve) astro.


Nicholas Ray, Hames Dean, Natalie Wood e elenco fazendo leitura dos roteiros de Juventude Transviada no Chateau Marmont

Era no hotel também onde morava a jovem Natalie Wood, na época com 16 anos de idade. Ela e o diretor iniciaram um romance clandestino, que foi encerrado após Nicholas Ray agredir Dennis Hooper, também do elenco de Juventude Transviada, após descobrir que ele e Nick Adams haviam convidado Natalie para uma orgia no quarto de Hooper, que fornecia muitas drogas para seus convidados.

Errol Flynn também costumava levar suas conquistas para lá, inclusive as garotas menores de idade que posteriormente o denunciaram.

Em 1957, após sofrer um grave acidente de carro que desfigurou seu rosto, o ator Montgomery Clift refugiou-se no hotel durante a sua recuperação. Ele só recebia a amiga Elizabeth Taylor em seu quarto, e além de companhia, fazia o papel de enfermeira para Clift.

Nesta época, Desi Arnaz também costumava se hospedar no hotel, após brigar com a esposa Lucille Ball. Em uma dessas brigas, Lucille foi até o hotel, e por algum motivo, o casal começou a brigar no quarto, e uma maleta cheia de dinheiro voou pela janela, fazendo chover notas de dólar na piscina do hotel.

O Chateau Marmount foi o primeiro hotel a empregar funcionários negros, e também não tinha preconceitos contra homossexuais. Sua piscina inclusive era um local onde os astros gays podiam se sentir livres, e Tab Hunter era um freguês costumaz do local. Foi lá inclusive que ele conheceu o ator Anthony Perkins.

Roddy McDowall e o escritor Gore Vidal eram outros que usufruíam da liberdade da piscina do local. Para acessar a piscina não era necessário ser hóspede, sendo possível pagar uma taxa para usar o local por um dia.

O próprio Nicholas Ray teria sido visto muitas vezes na piscina, em companhia de alguns rapazes.


Tab Hunter na piscina do Chateau Marmont

Já o produtor Howard Hughes, sempre pedia a mesma suíte, com a melhor vista para a piscina. De lá, ele usava um binóculo para observar as belas moças que se refrescavam do calor californiano. Com preços razoáveis, o hotel recebia muitas aspirantes a atrizes. Marilyn Monroe morou no hotel no começo de carreira.

Dizem que Hughes descobriu Mitzi Gaynor na piscina do hotel, que tinha que fazer um esquema estratégico com seus funcionários, já que o produtor exigia que durante sua estada nunca encontrasse um funcionário negro pelas dependências do prédio.


Marilyn Monroe no Chateau Marmont


Bette Davis botou fogo no seu quarto por duas vezes. Em 1958 ela adormeceu enquanto fumava, e as chamas se espalharam. O ator Lou Jacobi viu a fumaça e arrombou o quarto, tirando Bette do local. Anos mais tarde, ela voltou ao hotel, e novamente o alarme de incêndio disparou. Depois disto ela foi banida do Mamont. 

Warren Beatty também foi banido do hotel, onde costumava levar a sua última conquista. O ator foi banido por que não pagava a conta, mas voltou a ser aceito após a atriz Joan Collins pagar sua dívida.

Outro banido para sempre foi o ator e cantor Richard Harris, que na década de 1960, após uma bebedeira, saiu batendo nas portas dos quartos gritando e acordando os hóspedes dizendo que uma bomba nuclear havia explodido.

Rip Torn e a esposa Geraldine Page também moraram no hotel, e recebiam amigos para jantares. Shelley Winters, quando se casou com Anthony Franciosa, também passou a residir no Marmont. Assim como Zsa Zsa Gabor, Jayne Mansfield, Marlene Dietrich e a própria Joan Collins.


Os recém casados Sharon Tate e Roman Polanski também moravam por lá. Quando a atriz engravidou em 1969, o jovem casal decidiram que não era adequado criar uma criança em um hotel, e alugaram a casa em Cielo Drive, onde a atriz foi assassinada por Charles Mason e seu bando.


Sharon Tate e Roman Polanski no Chateau Marmont


Mas nem só a velha guarda de Hollywood protagonizou histórias pitorescas no famoso hotel. Em 1968 a banda Led Zeppelin fez uma festa barulhenta pelos corredores. Eles roubaram o carrinho de comida de serviço, onde transportavam garotas nuas de um quarto para o outro, enquanto o bateirista John Bonham andava com sua Harley Daivdson pelo saguão do hotel.


A Banda Led Zeppelin no Chateau Marmont


Em 1970 Jim Morrison também se hospedou por lá. Ele ficou famoso por se balançar nas janelas e varanda, até que caiu do segundo andar, e ficou gravemente ferido. Anos antes, a cantora e atriz Pearl Bailey também caiu da varanda, e acabou adormecendo sobre o toldo que amorteceu sua queda.

James Taylor jogou heróina em Carly Simon no saguão do hotel, e quando Marvin Gaye foi assassinado pelo pai, ele devia 15 mil dólares ao Marmont.

Em 1982 o famoso hotel não conseguiu abafar os escândalos quando o ator John Belhushi morreu de overdose em um de seus bangalôs. A polícia foi chamada ao local para retirar seu corpo, e detalhes de suas festas foram amplamente divulgados pela mídia.

O veterano Tony Randall morava no bangalô do lado na época da morte do ator.


John Belusho no Chateau Marmont



Na mesma noite da morte de Belushi, entretanto, o hotel conseguiu abafar as reclamações de outros hóspedes que relatavam que o cantor Billy Idol ficava se exibindo nu pelos corredores, após destruir seu quarto.

Após a morte de John Belushi, o quanto onde ele morreu tornou-se uma local de peregrinação d, e foi disputado por nomes como Rick James, John Cusack, Robert Downey Jr. e Jean-Michel Basquiat.

O famoso fotógrafo Helmut Newton também morreu no hotel, após bater seu carro na garagem em 23 de janeiro de 2004.


Helmut Newton no Chateau Marmont



Johnny Depp morou com a modelo Kate Moss no hotel, e em 2004 um boato nunca confirmado alegou que Benício del Toro e Scarlett Johansson teria ficado no elevador do hotel após a festa da entrega do Oscar.

Dois anos depois, Heath Ledger foi filmado usando cocaína em seu quarto de hotel. Ele morreria de overdose em 2008.


Heath Ledger no Chateau Marmont


Em 2007 Britney Spears tornou-se outra pessoa banida do hotel, após esfregar comida no próprio corpo no meio do restaurante. E em 2012 Lindsay Lohan foi expulsa de lá após não pagar a conta de 46 mil dólares.

A golpista Anna Delvey (ou Anna Sorokin, seu nome real), foi outra a dar um calote no hotel, como foi mostrado na série Inventando Anna (2022), da Netflix.



Carta do hotel convidado Lindsay a se retirar


E quantas mais histórias as paredes deste hotel deve esconder? O Chateau Marmont também foi reverenciado na cultura popular, e já foi cantando em músicas de Miley Cyrus, Lana del Rey, Lily Allen e Gram Parsons. Há rumores de que a música Hotel California, do Eagles, foi inspirada no hotel.

Também retratado na literatura, o hotel serviu de cenário para muitos filmes também. O primeiro deles foi Amei e Errei (The Strip, 1951), estrelado por Mickey Rooney.

Também usaram o Marmont como locação filmes como Quando Descem as Sombras (The Night Walker, 1964), Homem e Mulher Até Certo Ponto (Myra Brecknridge, 1970), Amantes em Veneza (Blume in Love, 1973), The Doors (1991), Olhos de Serpente (Dangerous Game, 1993), Grande Hotel (Four Rooms, 1995), Laurel Canyon: A Rua das Tentações (Laurel Canyon, 2002), Mapas Para as Estrelas (Maps to the Stars, 2014), La La Land (2016) e Nasce Uma Estrela (A Star is Born, 2018).

Em Um Lugar Qualquer (Somewhere, 2010), de Sophia Copolla, o personagem principal mora neste hotel.


Farrah Fawcett e Rachel Welch em Homem e Mulher Até Certo Ponto

Cartaz do filme Um Lugar Qualquer








0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil