George Reeves: a primeira vítima da Maldição do Superman






Em 16 de junho de 1959 o ator George Reeves foi encontrado morto em sua cama com um tiro na cabeça. O ator consagrado nas telas ao interpretar Superman, o Homem de Aço, tinha apenas 45 anos.

George Keefer Brewer nasceu em Iowa, em 05 de janeiro de 1914. Mas ao ser adotado pelo padastro, passou a assinar George Bessolo. Criado na Califórnia, George começou a lutar boxe na escola, esporte que lhe deu um excelente porte físico. Foi também no colégio que começou a atuar em produções amadoras no Playhose Famed, onde foi descoberto por um caça-talentos (junto com seu colega de classe Victor Mature).

George estreou no cinema em um sondie (curtas-metragens musicais, espécie de vídeo clipes da época) chamado Ride, Cowboy, Ride (1939), produzido pela Warner Bros. No curta, George Reeves aparecia cantando, outro talento que desenvolveu na escola.  Após fazer pequenos papéis não creditados em alguns filmes do estúdio, recebeu sua primeira grande chance ao ser escalado para interpretar Brent Tarleton, um dos gêmeos que cortejam Scarlet O’Harra em ...E o Vento Levou (Gone With the Wind, 1939), fazendo papel de irmão gêmeo do ator Fred Crane. Ambos ficaram amigos, e Fred foi padrinho do casamento de Reeves com a atriz Ellanora Needles. Embora creditado com Trent, no filme ele é chamado pelos personagens de Stuart.




Depois de ...E o Vento Levou, continuou fazendo pequenos papéis, alguns deles não creditados. Começou a fazer sucesso após protagonizar A Legião Branca (So Proudly We Hail!, 1943), mas foi convocado para servir o exército americano durante a Segunda Guerra Mundial, tendo que interromper sua carreira. Após dar baixa no exército retornou a Hollywood, mas não conseguiu recuperar o sucesso. Fez alguns papéis em filmes de baixo orçamento, como em Jim da Selvas (Jugle Jim, 1949) e Cavaleiros do Rei Arthur (The Adventures of Sir Galahad, 1949), e partiu para Nova York para tentar a carreira na televisão.

Com Claudette Colbert em A Legião Branca


Com Johnny Weissmuller em Jim Das Selvas


Cavaleiros do Rei Arthur

George Reeves, o Superman


Em 1951 assinou contrato com a a RKO para atuar em Super-Homem (Superman and the Mole-Man, 1951), o primeiro filme baseado no personagem (Kirk Allyn já havia feito Superman nas telas, mas em forma de seriado). O filme agradou, e acabou gerando uma série de televisão que durou de 1952 a 1958. E foi como o herói dos quadrinhos que Reeves enfim encontrou o estrelato.

Ele era muito cuidadoso com a sua imagem, devido o sucesso do personagem com as crianças. Mulherengo, o ator não aparecia em público com suas namoradas e nem fumando. Compareceu em muitos eventos e shows beneficentes como a fantasia, até que um dia um menino tentou atirar nele com um revólver de verdade, para ver as balar ricochetear como na TV. 

Depois disto, só fez eventos como George Reeves. Era comum também em suas apresentações ele apanhar das crianças, que queriam testar sua força. Ele declarou certa vez que “gostaria de ter fãs adultos”. Reeves só voltou a usar o uniforme fora da série para atuar em I Love Lucy (1957), onde interpretou o Super-Homem tentando resgatar Lucille Ball.

George Reeves e Lucille Ball


Apesar de ser o ator mais velho a interpretar o herói, não usava roupas acolchoadas, mostrando seus músculos verdadeiros (e as vezes uma barriga saliente) no uniforme, que era amarelo quando o programa ainda era gravado em preto e branco (cor que dava contraste melhor nas cenas do que o azul e vermelho).








Nos intervalos de filmagem da série atuou em pequenos papéis sem muito destaque, como no filme A Um Passo da Eternidade (From Here to Eternity, 1953). Sua imagem ficará por demais associada ao herói de Krypton, o que lhe deixava constantemente deprimido.

Com Burt Lancaster em A Um Passo da Eternidade

Em 16 de junho de 1959 o ator foi encontrado morto em seu quarto. A polícia concluiu que foi suicídio, alegando que ele ficará deprimido após o cancelamento da série de televisão. Mas o caso gera dúvidas até hoje.


A controvérsia se dá devido a vários fatores: Reeves estava dando uma festa, e estava com a casa cheia, e foi encontrado nu com um tiro na cabeça. E seus convidados só chamaram a polícia 45 minutos após encontrarem o corpo e peritos encontraram outras marcas de bala no chão e sinais de luta no quarto. Além disto, amigos pessoais do ator como Allan Ladd e Gig Young afirmaram duvidar que o colega pudesse cometer suicídio (embora ele já tivesse tentado se matar anteriormente).

Algumas pessoas levantaram a suspeita de assassinato, e acreditam que os envolvidos sejam E. J. Mannix, um poderoso executivo da MGM, e sua esposa a ex-atriz Toni Mannix. George e Toni tiveram um caso durante anos, o que não era segredo para ninguém. Mas havia deixado a amante e estava noivo de uma socialite, muito mais jovem.

Com Toni Mannix

Algumas pessoas acreditam que Mannix, mandara dar fim ao inoportuno amante. Ou mesmo que Toni teria cometido o crime, enciumada com o fim do relacionamento. A atriz Phyllis Coates (que interpretara Lois Lane no primeiro ano da série) era grande amiga de Toni, e recebeu uma ligação dela dizendo que George tinha sido assassinado, horas antes da sua morte ter sido divulgada.

A mãe de Reeves contratou um advogado para investigar o caso, mas não levou adiante. O caso, nunca esclarecido completamente, contínua sendo um dos mistérios de Hollywood.

A morte do ator é considerada a primeira tragédia relacionada aos atores que interpretaram o Superman. Na década de noventa, Christopher Reeves (não são parentes, apesar do mesmo sobrenome), sofreu um acidente de cavalo, ficando paraplégico. Essas e outras infelizes coincidências são conhecidas como “A Maldição do Superman”.



Sua vida e sua morte controversa foi contada no filme Hollywoodland – Bastidores da Fama (Hollywoodland, 2006), tendo o ator Ben Aflleck como protagonista.

Ben Aflleck como George Reeves

No Brasil, a série As Aventuras de Superman foi exibida pela primeira vez em 1966, na Rede Globo. No ano seguinte, passou a ser apresentada na recém inaugurada TV Bandeirantes. O ator e diretor Henrique Martins era o dublador de George Reeves.


1 comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil