Mildred Washington, a atriz negra que rompeu barreiras, mas não teve tempo de se tornar uma estrela



Hoje um nome quase desconhecido da história do cinema, Mildred Washington foi uma pioneira em Hollywood. Elegante, bonita e muito vivaz, Mildred, uma atriz negra, deu passos largos na indústria cinematográfica, num tempo em que artistas de sua raça não tinham espaço, ainda mais em um país onde a segregação racial era legalizada.

Atuando nas telas desde os tempos do cinema mudo, ela não teve grandes papéis, mas roubou a cena nos poucos filmes que fez, e chamou a atenção dos fãs, que lhe enviavam correspondências como acontecia com os grandes astros. Mas sua morte repentina apagou o brilho de uma estrela em ascensão.






Mildred Washington nasceu em Houston, Texas, em 16 de março de 1905, mas em 1913 mudou-se com a família para Los Angeles. Excelente aluna, ela foi a oradora de sua turma, e chegou a cursar dois anos na Universidade.

Mildred era uma mulher muito culta, e falava francês e espanhol fluentemente, mas as poucas condições financeiras da família fizeram ela abandonar a universidade.

Em 1923, ela estreou na carreira artística, uma forma que arrumou para ajudar nas despesas domésticas. Ela tornou-se dançarina em diversos musicais, onde também era coreógrafa. Mais tarde, apresentou-se em boates e teatros da Califórnia, antes de ingressar no elenco do famoso Cotton Club, no Harlem.

Em 1927 ela estreou no cinema, fazendo um pequeno papel em A Cabana do Pai Tomás (Uncle Tom's Cabin, 1927). No mesmo ano, ao lado de Stepin Fetchit, teve um papel de destaque em Gratidão de Filha (In Old Kentucky, 1927).



Stepin Fetchit e Mildred Washington em Gratidão de Filha


A atriz ainda atuou em Anjo Pecador (The Shopworn Angel, 1928) e Tenderfeet (1928), onde tinha um dos papéis principais. E em 1929 ela foi uma das estrelas de Hearts in Dixie (1929), o primeiro filme feito em Hollywood com um elenco inteiro de atores negros. O filme era uma produção da Fox.

Ela também foi uma das estrelas de The Thoroughbred (1930).


Stepin Fetchit e Mildred Washington em The Thoroughbred


Mas mesmo na era chamada "Pré-Code" onde Hollywood era mais libertária, não haviam muitos papeis para Mildred Washington, que também teve que interpretar empregadas domésticas. Papel que ela fez em A Vênus Loura (Blonde Venus, 1932), Bed of Roses (1932) e Manhã de Glória (Morning Glory, 1933).

Ela também viveu uma criada em Vozes do Coração (Torch Singer, 1933). Mas Mildred não era apenas uma serviçal com uma bandeja ou abrindo uma porta. Ela era a amiga e confidente de sua patroa, interpretada por Claudette Colbert, sendo basicamente o segundo papel feminino da produção.



Claudette Colbert e Mildred Washington em Vozes do Coração


Mildred Washington em Vozes do Coração


A atriz tinha grandes cenas, e chamou a atenção do público. A Paramount começou a receber diversas cartas destinadas a atriz, o que impressionou o estúdio. Mildred ainda atuou em Nós e o Destino (Only Yestarday, 1933) e A Man of Sentiment (1933).

Mas a atriz não teve tempo de desfrutar da fama que começava a conquistar. Ainda em 1933 ocorreu um terremoto em Los Angeles, e Mildred Washington caiu enquanto corria para tentar se proteger. Ela acabou rompendo o apêndice, e chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu ao ferimento.

Mildred Washington morreu em 07 de setembro de 1933, aos 28 anos de idade, deixando órfã sua filha de 5 anos de idade.








Leia também: O Retorno da Pioneira Leslie Uggams 
Leia também: Butterfly McQueen, muito além da Prissy
Leia também: A luta de Hattie McDaniel para viver em sua própria casa


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil