Relembrando a talentosa atriz Leina Krespi


Com seus grandes olhos azuis e um grande carisma, aliados com um grande senso de humor, Leina Krespi fez história no teatro, cinema e televisão do Brasil.




Leina Perelman nasceu no Rio de Janeiro em 18 de dezembro de 1938. Leina estreou no teatro no final da década de 1950 e em 1960 se casou com o diretor Raul da Matta, com quem teve duas filhas: Georgia e Patrícia.

Ela e Raul se separaram em 1963.


Leina Krespi, Tonia Carrero, Paulo Autran, Margarida Rey, Monah Delacy em Esses Maridos (1957)


Leina Krespi e as filhas

Leina logo conquistou seu espaço nos palcos brasileiros, até ser consagrada como uma das comissárias de bordo da montagem Boeing Boeing (1963), estrelada por Eva Wilma.


Maria Pompeu, Eva Wilma e Leina Krespi em Boeing Boeing

Em 1964 ela atuou no espetáculo As Inocentes do Leblon (1964), iniciando uma carreira também como vedete de teatro de revista. Leina chegou a aparecer completamente nua no palco em Não Ande Nua Por Aí (1965). E em 1972 recebeu o título de "Rainha das Vedetes".



Leina Krespi como vedete

Mas apesar da carreira nas revistas, ela continuou sendo escalada para grandes produções teatrais, como Oh, Que Delícia de Guerra (1967), um musical estilo Broadway que fez grande sucesso na época. Ela também esteve no elenco de O Apartamento (1968), que teve problemas com a censura após a implantação da ditadura militar no país.


Leina Krespi, Helena Ignez e Eva Wilma em Oh, Que Delícia de Guerra


Leina Krespi, Walmor Chagas, Cacilda Becker, Odete Lara e Paulo Autran protestando contra a censura, em 1968


Em 1966 ela estrelou, ao lado de Leonardo Villar, o filme Amor e Desamor (1966), que marcou sua estreia no cinema. No ano seguinte, atuou também no longa Mar Corrente (1967).


Leina Krespi e Leonardo Villar em Amor e Desamor


Em 1966 ela fez sua primeira telenovela, Eu Compro Esta Mulher (1966), na Rede Globo. Na Emissora também fez A Rainha Louca (1967).

Depois foi contratada pela recém inaugurada TV Bandeirantes. Leina foi uma das primeiras atrizes contratadas da emissora, e estava presente na festa de inauguração da mesma. na Bandeirantes atuou e Os Miseráveis (1967), uma novela estrelada por Esmeralda Barros, uma atriz brasileira que fez muito sucesso no cinema italiano.

De volta a Globo, fez O Homem Proibido (1967) e Rosa Rebelde (1969), e depois teve uma breve passagem pela TV Tupi, onde atuou no Grande Teatro Infantil.

Na década de 1970 ela dedicou-se ao teatro, inclusive dirigindo alguns espetáculos de Maria Bethânia. Leina Krespi também dedicou-se ao cinema, atuando em muitos filmes neste período. São eles: As Duas Faces da Moeda (1969), A Casa Assassinada (1971), Joanna Francesa (1973), A Casa das Tentações (1975), A Queda (1976), O Ibrahim do Subúrbio (1976).

Em 1975 Leina começou a gravar a primeira versão de Roque Santeiro, que foi proibida de ser exibida pela ditadura. Com a novela engavetada, ela acabou escalada para a novela escrita as pressas para substituir a produção censurada.

Ela então viveu a Elisete no grande sucesso Pecado Capital (1975). Entre 1976 e 1982 ela também fez diversos papéis no humorístico Planeta dos Homens, e também participou de O Sítio do Pica Pau Amarelo.



Rosamarinha Murtinho, Leina Krespi e Lady Francisco em Roque Santeiro (1975)


Leina Krespi e André Valli em Pecado Capital


Leina Krespi e Jô Soares em O Planeta dos Homens


Leina Krespi e Zilka Sallabery em O Sítio do Pica Pau Amarelo, episódio O Minotauro (1978)


Na Globo, atuou em diversas novelas, fazendo parte do elenco de Baila Comigo (1981), Jogo da Vida (1981), Guerra dos Sexos (1983), Vereda Tropical (1984), Roque Santeiro (1985), Cambalacho (1986), Bambolê (1987), Sassaricando (1988), Bebê a Bordo (1988), O Sexo dos Anjos (1989) e Lua Cheia de Amor (1990). Na Manchete, também atuou em Corpo Santo (1987), única novela que fez fora da Globo em muitos anos.


Leina Krespi e José Mayer em Guerra dos Sexos


Regina Dourado e Leina Krespi em Roque Santeiro (1985)


Márcia Real, Leina Krespi e Ary Fontoura em Bebê a Bordo


Em 1990, após muitos anos afastada das telas do cinema, atuou no grande sucesso Lua de Cristal (1990), estrelado pela apresentadora Xuxa Meneghel


Xuxa e Leina Krespi nas filmagens de Lua de Cristal


Ela ainda atuou em Perigosas Peruas (1992), Deus nos Acuda (1992), O Mapa da Mina (1993), A Viagem (1994) e em vários episódios do programa Você Decide. Sua última novela foi uma participação especial na novela Zazá (1997).





Ela ainda faria mais dois filmes, O Viajante (1999) e uma participação especial em A Guerra dos Rocha (2008).


Duse Nacaratti, Leina Krespi, Hilda Rebello, Berta Loran, Lupe Gigliotti e Teresinha Elisa e A Guerra dos Rocha


Pouco tempo depois Leina Krespi faleceu, em 27 de maio de 2009, vítima de um câncer no esôfago, aos 70 anos de idade.



Elke Maravilha, Vera Manhães, Neila Krespi, Roberto Veloso (irmão de Caetano Veloso e Maria Bethânia) e Odete Lara



Leina Krespi, Paulo Gracindo e Alcione Mazzeo




0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil