Morre o ator Dean Stockwell, aos 85 anos de idade


O ator Dean Stockwell, uma lenda na história de Hollywood, morreu na noite do dia 07 de novembro, aos 85 anos de idade. De acordo com um funcionário do ator, Stockell morreu pacificamente enquanto morria, de causas naturais.

Astro mirim da MGM na década de 1940, Stockwell construiu uma sólida carreira de mais de 70 anos, que lhe valeu inclusive uma indicação ao Oscar.


Gene Kelly, Dean Stockwell e Frank Sinatra

Robert Dean Stockwell nasceu em Los Angeles, em 05 de março de 1936. Vindo de uma família de artistas, ele era filho do ator Harry Stockwell e da atriz Betty Stockwell, e enteado da cantora e dançarina de burlesco Nina Olivette. Seu irmão mais novo, Guy Stockwell, também era ator.


Guy Stockwell

O pai de Stockwell estava fazendo a primeira montagem de Oklahoma! na Broadway, quando soube que uma pela procurava atores mirins para o elenco. Harry pediu para a mãe levar os dois filhos para fazer o teste de elenco, e ambos acabaram contratados. O espetáculo não foi bem sucedido, e teve curta duração, mas o pequeno Dean chamou a atenção dos produtores da MGM, que o contrataram imediatamente.

No estúdio, o menino foi testado em um pequeno papel no drama O Vale da Decisão (The Valley of Decision, 1945). O desempenho de Stockwell agradou tanto que o produtor Joe Pasternak escalou o ator mirim para atuar em uma grande produção do estúdio, o musical Marujos do Amor (Anchors Aweigh, 1945), estrelado por Gene Kelly e Frank Sinatra

Dean Stockwell interpretava o sobrinho de Kathryn Grayson.


Frank Sinatra e Dean Stockwell em Marujos do Amor


O menino imediatamente se tornou um astro, tanto que fez uma participação como ele mesmo em Bud Abbott & Lou Costello em Hollywood (Bud Abott and Lou Costello in Hollywood, 1945). No ano seguinte, foi um dos astros do filme Anos de Ternura (The Green years, 1946), onde interpretava um menino órfão. O filme fez um enorme sucesso.

A MGM o emprestou para a Fox, onde ele apareceu em Lar, Doce Tortura (1946), e de volta ao seu estúdio estrelou O Poderoso McGurk (The Mighty McGurk, 1947), um dramalhão sobre um lutador de boxe decadente e a relação com seu filho. Wallace Beery interpretava o pai de Stockwell, neste remake do sucesso de O Campeão (The Champ, 1931), que também tinha Beery no papel principal. O filme ganhou um novo remake em 1979, tendo como astro o ator Jon Voight.




Com 11 anos de idade, ele era um dos atores mais requisitados do estúdio, e apareceu em filmes como O Caso Arnelo (The Arnelo Affair, 1947), Reconciliação (The Romance of Rose Ridge, 1947), A Canção dos Acusados (Song of the Thin Man, 1947), A Canção dos Acusados (Song of the Thin Man, 1948).


William Powell, Myrna Loy, Asta (o cão astro da MGM) e Dean Stockwell em A Canção dos Acusados


Dean Stockwell foi novamente emprestado para a Fox, onde interpretou o filho de Gregory Peck em A Luz é Para Todos (Gentleman's Agreement, 1947), vencedor do Oscar de Melhor Filme de 1948. Por este papel, o pequeno ator ganhou um Globo de Ouro Especial.


Dean Stockwell e Gregory Peck em A Luz é Para Todos


Na RKO Stockwell estrelou O Menino de Cabelos Verdes (The Boy with Green Hair, 1948), o primeiro filme onde ele era o protagonista. A caprichada produção infantil entretanto, foi um fracasso de bilheterias, apesar de ter encantando uma legião de fãs ao longo dos anos.


Dean Stocwell em O Menino do Cabelo Verde


Ainda na Fox ele fez Capitães do Mar (Down to the Sean in Ships, 1949), e ao lado de Margaret O'Brien, outra grande estrela mirim da MGM, protagonizou a super produção O Jardim Encantado (The Secret Garden, 1949), que foi outro fracasso de bilheteria.


Brian Roper, Dean Stockwell e Margaret O'Brien em O Jardim Secreto


Na MGM o menino ainda fez o western O Testamento de Deus (Stars in My Crown, 1950) e a comédia Era Sempre Primavera (The Happy Years, 1950). Ainda em 1950 ele desempenhou o papel título em Kim (Idem, 1950), ao lado de Errol Flynn, que foi um enorme sucesso comercial.


Errol Flynn e Dean Stockwell em Kim


Ele ainda atuou em Estouro da Manada (Cattle Drive, 1951), e aos 15 anos de idade, resolveu deixar o cinema e viver a vida de um adolescente normal. Dean Stockwell estava cansado de viver papéis de meninos sofridos, e não aguentava mais filmar cenas chorando.

Ele havia estudado na escola de atores mirins da MGM, e queria ir para a escola normal, e conviver com jovens normais, e não mais com outros astros mirins.

Ele terminou o ensino médio, e chegou a cursar um ano na Universidade de Los Angeles, mas não conseguiu se adaptar na faculdade, devido ao assédio e gozações com o antigo astro infantil das telas de cinema. Nesta época ele também dedicou-se a música, e escreveu diversas canções.

Preso a estigma de astro de Hollywood, ele retomou a sua carreira em 1956, aos 20 anos de idade. Ele retornou ao cinema em Arma Para Um Covarde (Gun for a Coward, 1956) e no ano seguinte atuou em Se A Mocidade Soubesse (The Careless Years, 1957), mas seu retorno não foi fácil.

Ele já não tinha mais tantos contatos, e nem era mais considerado um astro do primeiro time. Com a escassez de papéis, o ator recorreu a trabalhos na televisão, aparecendo como convidado em diversas séries de TV.

Mas em 1959 ele foi aclamado pela crítica por seu trabalho no filme Estranha Obsessão (Compulsion, 1959), que lhe valeu um prêmio de melhor ator no Festival de Cannes, dividido com seus colegas de elenco Bradford Dillman e Orson Welles.

Stocwell havia interpretado o mesmo papel na Broadway, em 1957.


Bradford Dillman e Dean Stockwell em Estranha Obsessão


Em 1960 ele se casou com a atriz Millie Perkins, a estrela de O Diário de Anne Frank (The Diary of Anne Frank, 1959). Eles chegaram a contracenar em um episódio da série Caravana (Wagon Train). No mesmo ano, recebeu sua segunda indicação ao Globo de Ouro pelo seu trabalho no filme inglês Filhos e Amantes (Sons and Lovers, 1960).



Millie Perkins e Dean Stockwell


Dean Stockwell praticamente só atuou na televisão neste período, mas esteve brilhante em Longa Jornada Noite Adentro (Long Day's Journey Into Night, 1962), dirigido por Sidney Lumet. Este papel rendeu ao ator outro prêmio no Festival de Cannes.


Dean Stockwell e Katharine Hepburn em Longa Jornada Noite Adentro


Trabalhando basicamente na televisão, ele ainda atuou no drama Nasce Uma Mulher (Rapture, 1965), e conseguiu um papel fixo na série Dr. Kildare (Idem), em 1965.


Dean Stockwell em Dr. Kildare


Mas em 1965 ele abandonou novamente a carreira, indo viver em uma comunidade hippie, ao lado dos amigos George Herms, Wallace Berman, do antigo astro mirim Russ Tamblyn e do músico Neil Young. Aliás, o álbum After the Gold Rush, de Young foi inspirado em Stockwell.


Neil Young e Dean Stockwell


Em 1968 ele voltou a atuar no filme Busca Alucinada (Psych-Out, 1968), uma produção independente que retratava a contra cultura hippie da época. Stockwell contracenava com Susan Strasberg e o jovem Jack Nicholson.


Jack Nicholson e Dean Stockwell em Busca Alucinada


Na década de 1970 ele continuou atuando mais frequentemente na TV, embora tenha atuado em alguns filmes, como o terror O Altar do Diabo (The Dunwich Horror, 1970), ao lado de Sandra Dee.


Dean Stockwell e Sandra Dee em O Altar do Diabo


O ator também esteve no elenco de O Último Filme (The Last Movie, 1971), O Lobisomen de Washington (The Werewolf of  Washington, 1973) e em Won Ton Ton, o Cachorro que Salvou Hollywood (Won Ton Ton: The Dog Whos Saved Hollywood, 1976), uma comédia que reunia astros veteranos da Era de Ouro de Hollywood.

Separado de Millie Perkins desde 1962, ele se casou novamente em 1981, com Joy Marchenko. No ano seguinte, atuou em O Homem Com a Lente Mortal (Wrong is Right the Offer, 1982) e ao lado de Neil Young dirigiu e estrelou a comédia Human Higway (1982), que ainda tinha no elenco seus amigos Russ Tamblyn e Dennis Hooper.

Na Nicarágua, estrelou o filme Alsino e o Condor (Alsino y El Cóndor, 1982), que foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Nesta época, o ator estava em profunda depressão devido aos rumos de sua carreira. Em dificuldades financeiras, ele se viu obrigado a vender os imóveis que havia comprado nos tempos de ator mirim da MGM. Dean Stockwell precisava pagar as contas e sustentar seu filho, nascido em 1983.

Veterano do cinema, ele viu sua carreira ganhar um novo folego ao ser chamado pelo diretor Wim Wenders para atuar no cultuado Paris, Texas (Idem, 1984), e no mesmo ano apareceu na versão cinematográfica de Duna (Dune, 1984), de David Lynch


Dean Stockwell em Paris, Texas


Após ser dirigido por dois dos mais aclamados diretores do cinema, o ator viu sua carreira ressurgir, e atuou em diversos filmes seguidos, normalmente em personagens coadjuvantes. Stockwell atuou em Matar Um Estranho (To Kill a Stranger, 1984), A Lenda de Billie Jean (The Legend of Billie Jean, 1985), Viver e Morrer em Los Angeles (To Live and Die in L.A., 1985), Procura-se Um Rapaz Virgem (Once Bitten, 1985) e Papa Was a Preaher (1985). 

Em 1986 ele voltou a trabalhar com David Lynch, atuando no clássico Veludo Azul (Blue Velvet, 1986). Foi Dean Stockwell também quem apresentou Russ Tamblyn ao diretor, que o convidou para atuar na série Twin Peaks (1990).


Dean Stockwell em Veludo Azul


Sob direção de Francis Ford Coppola atuou em Jardins de Pedra (Gardens of Stone, 1987), e ainda participou de Um Tira da Pesada II (Beverly Hills Cop II, 1987), O Guardião do Tempo (The Time Guardian, 1987), Tucker: Um Homem e Seu Sonho (Tucker: The Man and His Dream, 1988), Encontro com a Máfia (Palais Royale, 1988).


Dean Stockwell e Eddie Murphy em Um Tira da Pesada II


Após quase 50 anos de carreira, ele foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel na comédia De Caso Com a Máfia (Married to the Mob, 1988).


Michelle Pffeifer e Dean Stockwell em De Caso Com a Máfia


Em 1989 o ator veio ao Brasil filme Jorge, Um Brasileiro (1989), do diretor Paulo Thiago. Na obra ele contracenou com astros nacionais como Carlos Alberto Riccelli e Glória Pires.


Dean Stockwell em Jorge, um Brasileiro


Em 1989 o ator tornou-se astro (ao lado de Scott Bakula) da série Contra Tempos (Quantum Leap, 1989-1993), que durou cinco temporadas. No papel do Almirante Al Calavacci, Dean Stockwell ganhou um Globo de Ouro e recebeu outras três indicações, além quatro indicações ao prêmio Emmy (mas não levou nenhum).

Ao mesmo tempo que atuava na série, dublou o personagem Duke Nukem na animação Capitão Planeta (Captain Planet and the Planeteers, 1990-1992).



Dean Stockwell e Scott Bakula em Contra Tempo


Duke Nukem


No cinema, atuou ainda em filmes como Atraída Pelo Perigo (Catchfire, 1990), O Jogador (The Player, 1992), Uma Loira em Apuros (Chasers, 1994) e viveu o pai da cantora Madonna no telefilme Madonna - A Inocência Perdida (Madonna: Innocence Lost, 1994).


Dean Stockwell e Terumi Matthews em Madonna - A Inocência Perdida


Atuou também em Almas Nuas (Naked Souls, 1996), Vivendo em Perigo (Living in Peril, 1997) e teve um papel regular na série Street Gear (1995). Seus papéis no cinema foram diminuindo, e o ator passou a trabalhar em filmes pouco relevantes para a sua carreira, e novamente foi a televisão que lhe deu mais trabalhos, como no The Tony Danza Show (1997-1998).

Eventualmente o ator voltaria a atuar em filmes importantes, como O Homem que Fazia Chover (The Rainmaker, 1997), de Francis Ford Coppola e Sob o Domínio do Mal (The Manchurian Candidate, 2004), de Jonathan Demme.


Dean Stockwell e Meryl Streep em Sob o Domínio do Mal




Ao lado do antigo colega Scott Bakula, apareceu em um episódio da série Stargate SG-1, em 2002, e teve um papel regular na série Jag: Ases Invencíveis (Jag), entre 2002 e 2004. Também atuou em Battlestar Galactica, entre 2006 e 2009.



Dean Stockwell em Battlestar Galactica



Em 2013 atuou no filme Max Rose (Idem, 2013), estrelado por Jerry Lewis. Seus últimos trabalhos foram nos filmes Terror na Escuridão (Deep in the Darkness, 2014), Perseguido (Persecuted, 2014), e NCIS: Nova Orleans (NCIS: New Orleans), em 2014. Em 2015, após atuar em Entertainment (2015), o ator sofreu um derrame, e se aposentou.

Dean Stockwell teve dois filhos, e também era artista plástico.


Dean Stockwell e Scott Bakula em NCIS: Nova Orleans 


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil