Adalgisa Colombo, a atriz que virou Miss


Houve um tempo onde os concursos de misseses criavam grandes estrelas. Quem não se lembra de Martha Rocha, a Miss Brasil que perdeu o Miss Universo por duas polegadas a mais?

Muitas delas acabavam se tornando atrizes ou apresentadoras. Barbara Eden foi Miss, Lynda Carter, a Mulher Maravilha, também. Dorothy Dell foi Miss Universo com apenas 19 anos, e depois virou estrela de cinema. E mais recentemente, temos a atual Mulher Maravilha Gail Godot.

No Brasil, Rejane Goulart, Sônia Lima e Vera Fischer são alguns exemplos de misses que migraram para a atuação. Martha Rocha, apesar de ter feito testes em Hollywood, nunca atuou, mas virou cantora contratada da Rádio Nacional.

Martha Rocha, cantando

Porém, uma das misses mais famosas do Brasil, Adalgisa Colombo, fez o caminho inverso, deixando de atuar depois de sagrar-se campeã do tradicional concurso de beleza.

Eleita Miss Brasil em 1958, ela recebeu a coroa de sua antecessora, Terezinha Morango, que também tornou-se atriz após ser coroada.


Representando o Rio de Janeiro, então Distrito Federal, Adalgisa havia sido Miss Botafogo antes de ser eleita a mulher mais bonita do Brasil, no ano de 1958. Ela logo estamparia as capas de revista de todo o país, além de ser cantada no samba Adalgisa, na voz de José Garcia (em um LP da Sinter).


No mesmo ano ela ficou em segundo lugar no Miss Universo, ocorrido em Long Beach, nos Estados Unidos, perdendo o título principal para Luz Marina Zuluaga, da Colômbia. No desfile de trajes típicos, a brasileira um traje de baiana, no estilo Carmen Miranda.

Por pouco Adalgisa não competiu no Miss Universo com Anita Bryant, que ficou em segundo lugar no concurso de Miss América. Anita foi atriz e cantora (e chegou a se apresentar no Brasil), mas ficou mais famosa como uma ativista homofóbica nas décadas de 60 e 70.

Adalgisa Colombo e Beatriz Bolvarte (Miss Peru)

Anita Bryant nos tempos de Miss América e levando uma torta na cara em um protesto, em 1971


Apesar de ser uma das brasileiras mais comentadas de 1958, Adalgisa não era uma desconhecida por aqui. Nascida no Rio de Janeiro, em 11 de janeiro de 1940, ela sempre sonhou em ser uma estrela de cinema.

Aos quatro anos de idade, seu rosto foi visto pela primeira vez nas telas dos cinemas, atuando em um comercial de natal de uma loja de departamentos, exibido antes das sessões cinematográficas.

Adalgisa Colombo, aos quatro anos de idade

Aos doze anos, fez uma pequena ponta em Carnaval da Atlântida (1952), nem sendo creditada por este trabalho. Em 1955 atuou em Granadeiros, um espetáculo de revista encenado na piscina do Hotel Glória, um espetáculo aquático estilo Esther Williams.

Ainda em 1955 concorreu ao título de Miss Cinelândia, mas ficou em segundo lugar. Aluna do Teatro Escola Duse, de Paschoal Carlos Magno, Adalgisa estreou no rádio em 1955, trabalhando como rádio atriz no Teatro Duse, na Rádio Ministério da Educação (Rádio MEC).

No ano seguinte, se inscreveu no Concurso Miss TV, promovido pela TV Tupi do Rio de Janeiro. O concurso tinha várias etapas, que incluíam atuações em teleteatros e desfiles em trajes de gala e banho.

Adalgisa Colombo contracenando com Paulo Porto no Miss TV, na Tupi

O prêmio era um contrato com a emissora, bem como uma viagem para Europa, patrocinado pela KLM. Adalgisa foi a vencedora do concurso, e recebeu a coroa das mãos da atriz Heloísa Helena.



Porém, após o concurso, o juizado de menores descobriu que ela havia mentido a idade para entrar na disputa. Adalgisa, que dizia ter 18 anos, na verdade tinha apenas 15, e não poderia participar de concursos onde desfilasse de maiô.

Seu título foi anulado, e ela perdeu o contrato com a emissora, recebendo porém, a viagem do patrocinador, como compensação.

A fato foi muito anunciado, e promoveu ainda mais o nome da bela jovem aspirante a atriz. Adalgisa Colombo foi então convidada para ser modelo na famosa Casa Canadá (ao lado de Ilka Soares), apresentou-se ao lado de Edith Piáf em uma boate carioca, e foi convidada pelo produtor Herbert Richers para atuar no filme Com Água na Boca (1956), estrelado pelo palhaço Carequinha.

Adalgisa Colombo e Edith Piáf


Renato Restier e Adalgisa Colombo em Com Água na Boca

E durante sua viagem à Itália, que recebeu da Tupi, atuou no filme italiano Solo Dio mi Fermerà (1957). De volta ao Brasil, foi levada para a Rádio Globo pelo crítico de cinema Luiz Serrano.

Lá, apresentou os programas femininos Música Para Madame e O Mundo é Da Mulher, ambos programas matinais. Adalgisa era a única apresentadora mulher da emissora carioca, e em 1958 foi eleita Miss Rádio Globo, concorrendo com rádio atrizes e cantoras contratadas da emissora.

1958 também foi o ano que ela venceu o Miss Distrito Federal (Rio de Janeiro). E apesar de ter sido vaiada pelo público, que preferia Ivone Richter, acabou eleita Miss Brasil no Mesmo ano.

Terezinha Morango e Adalgisa Colombo

Como representante do Brasil, ficou em segundo lugar no Miss Universo, retornando ao país ainda mais popular. O Brasil havia ganhou a Copa do Mundo de Futebol no mesmo ano, e Adalgisa era tão famosa como os jogadores da seleção.

Chegou a ser anunciando que ela atuaria no filme O Sonho do Garoto, uma co-produção entre o Brasil e a Argentina, retratando a vida do jovem Pelé. Porém, apesar das filmagens inciadas, o filme nunca foi concluído.

Dondinho (pai de Pelé) e Adalgisa Colombo

E embora o filme nunca tenha sido realizado, ela finalmente pode atuar na TV Tupi, participando de alguns teleteatros. Também apresentou brevemente alguns programas na emissora,  mas logo abandonou a vida artística.

Mário Brasini e Adalgisa Colombo, na TV Tupi

Em 1959, enquanto ainda perdurava seu reinado, ela renunciou ao título, para poder se casar com um brasileiro, que morava nos Estados Unidos, e mudou-se para Nova York. Antes de se casar, ele teve romances breves com os atores Cyl Farney, Wilson Vianna e Eugênio Carlos.

Morando nos Estados Unidos, ela frequentemente passava férias no Brasil, sendo ainda uma celebridade por aqui nas próximas décadas.

Em 1966 ela retornou ao país. Cassiano Gabus Mendes tentou contratar a antiga Miss para ingressar no elenco da novela O Amor Tem Cara de Mulher (1966), na TV Tupi. A novela era estrelada por Eva Wilma e Vida Alves.

Porém, Adalgisa preferiu ser apresentadora, assinando com a TV Rio, onde apresentou o programa musical Rio Hit Parade, ao lado de Murilo Néri.


Adalgisa ficou no programa pouco mais de um ano, e apesar de ter convites para apresentar um programa na TV Excelsior, acabou voltando para os Estados Unidos. A vedete e atriz Lillian Fernandes assumiu seu posto.

Mesmo sendo uma celebridade da sociedade carioca nas décadas seguintes, nunca mais teve uma carreira artística. Em 2004 ela foi homenageada no Miss Brasil, recebendo o título de Miss Brasil Inesquecível.


 Martha Rocha e Adalgisa Colombo

Vera Fischer e Adalgisa Colombo


Adalgisa Colombo faleceu em 18 de janeiro de 2013, poucos dias depois de completar 73 anos de idade. Seu corpo foi enterrado no Cemitério Israelita de Vilar dos Teles, no Rio de Janeiro.


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil