Por Onde Anda? Glynis Johns, a mãe sufragista de Mary Poppins


Com quase 100 créditos em seu currículo, em uma carreira que durou de 1938 e 1999, Glynis Johns é mais lembrada por interpretar a senhora Winnifred Banks, a mãe sufragista que contrata Mary Poppins para cuidar de seus rebentos.


Mas a atriz já era uma veterana quando atuou no clássico de Walt Disney. Glynis Margaret John nasceu em Pretória, África do Sul, em 05 de outubro de 1923. Seu pai era o ator Mervyn Johns e sua mãe era uma pianista, e Glynis nasceu na África por que seus pais estavam em turnê pelo continente.

Seus pais se separaram quando ela era criança, e seu pai se casou com a atriz Diana Churchill. Johns começou a carreira como bailarina, em 1935 (mais tarde, ela tornou-se professora de balé). O destaque como bailarina a levou para os palcos do teatro londrino, no final da década de 30.

Johns estreou no cinema em Abnegação (South Riding, 1938) e seguiu atuando em pequenos papéis na década de 30, inclusive no clássico inglês O Ladrão de Bagdá (The Thief of Bagdad, 1940), estrelado por Sabú. Em 1944 Johns trabalhou ao lado de seu pai em The Halfway House (1944).

Sem muito destaque no cinema, continuava brilhando nos palcos londrinos. Seu primeiro grande papel nas telas foi como a amiga de Deborah Kerr em Perfect Strangers (1945).

Glynis Johns e Deborah Kerr

Em 1948 a atriz protagonizou seu primeiro filme, a comédia Miranda, a Sereia (Miranda, 1948), onde interpretava uma sereia perdida em Londres. O ator David Tomlinson, que interpretaria seu marido em Mary Poppins, também estava no elenco.

Glynis Johns em Miranda

Em 1942 ela se casou com o ator Anthony Forwood, pai de seu único filho (morto em 2007). Forwood, entretanto, a deixou em 1948, para ir morar junto com o ator Dirk Bogarde, que foi seu companheiro até o final da vida, em 1988.

Dirk Bogarde e Anthony Forwood

Bogarde e Johns haviam trabalhados juntos em Dear Mr. Prohack (1949), que tinha a atriz como protagonista. Foi durante as filmagens que ele conheceu Anthony Forwood.

Ao lado de Douglas Fairbanks Jr. estrelou Segredo de Estado (State Secret, 1950), e no ano seguinte atuou em Na Estrada do Céu (No Highway, 1951). O filme, estrelado por James Stewart e Marlene Dietrich, eram uma produção norte-americana, da Fox, feita na Inglaterra.

Antes de partir, ainda atuou em Gigolô e Gigollete (Encore, 1951), que tinha um grande elenco.
Ainda trabalhando na Inglaterra, foi convidada por Walt Disney para estrelar Entre a Espada e a Rosa (The Sword and the Rose, 1953) e O Grande Rebelde (Rob Roy: The Highland Rouge, 1953), ambos fazendo par romântico com Richard Todd. No mesmo ano, fez um papel coadjuvante em Tormento da Suspeita (Personal Affair, 1953), estrelado por Gene Tierney.


Na década de 50, protagonizou diversos filmes ingleses, e retornou ao papel da sereia Miranda na sequência Mad About Men (1954). Também foi uma das muitas estrelas a fazerem participação no clássico A Volta ao Mundo em 80 Dias (Around the World in 80 Days, 1956), filmado em Hollywood.

Glynis ficou pelos Estados Unidos, onde estreou na Broadway, e também fez o filme Em cada Coração Uma Saudade (All Mine to Give, 1957).

Glynis Johns e Cameron Mitchel em Em Cada Coração Uma Saudade

De volta a Inglaterra, atuou em Peregrino da Esperança (The Sundowners, 1960), estrelado por Deborah Kerr, Robert Mitchum e Peter Ustinov. O filme lhe rendeu sua única indicação ao Oscar, de Melhor Atriz Coadjuvante.


Em 1962 estrelou o terror A Mansão do Dr. Caligari (The Cabinet of Caligari, 1962) e coadjuvou Jackie Gleason em O Estado Interessante de Papai (Papa's Delicate Condition, 1963. E em 1964 voltou a trabalhar com Disney no clássico Mary Poppins (Idem, 1964), como a mãe das crianças que contrata a babá mágica, enquanto luta pelo direito ao voto feminino.

Glynis Johns em Mary Poppins

Apesar do sucesso do filme, Johns começou a fazer cada vez menos cinema. Ela ainda foi a esposa de James Stewart em Minha Querida Brigitte (Dear Brigitte, 1965) e esteve em papéis menores em comédias como Por Um Corpo de Mulher (Don't Just Stand There, 1968). Mas começou a trabalhar mais frequentemente na televisão e no teatro. Em 1973 ela ganhou o prêmio Tony de Melhor Atriz.

James Stewart e Glynis Johns em Minha Querida Brigitte

Na década de 90 esteve em O Árbitro (The Ref, 1994) e na comédia romântica Enquanto Você Dormia (While You Were Sleeping, 1995), onde interpretou uma das parentes de Bill Pullman.

Glynis Johns, de chapéu, a direita, em Enquanto Você Dormia

Após atuar na comédia Superstar: Despenca Uma Estrela (Superstar, 1999), Glynis Johns se aposentou.

Glynis é mãe do ator Gareth Forwood, que faleceu em 2007, aos 62 anos. Atualmente ela é a mais velha artista a interpretar uma vilã na série Batman, da década de 60, ainda viva. Ela interpretou Lady Penelope Peasoup em quatro episódios.

Em 1998 ela tornou-se uma das "Lendas da Disney" título dado em homenagem a artistas que fizeram história no estúdio.

Rudy Valee e Glynis Johns em Batman

Glynis Johns, atualmente

E embora neste vídeo não seja ela cantando, muitos conheceram a versão da canção de Mary Poppins dublada em português, na voz da Telma da Costa, aqui reproduzida




0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil