Morre a cantora Dorinha Freitas, aos 81 anos de idade


Morreu no dia 11 de agosto a cantora paulista Dorinha Freitas, o "Rouxinol Paulista".

Dorinha Freitas era o nome artístico de Maria Auxiliadora Freitas Galvão, cantora nascida na cidade de Lorena, em 17 de agosto de 1937.


Dorinha começou a cantar no rádio aos oito anos de idade, participando do Programa do Guri, na Rádio Cultura de Lorena. Mas seu nome só ganharia projeção anos depois.

Contrariando a família, que não a queria artista, viajou para o Rio de Janeiro aos dezenove anos de idade, em busca de consolidar sua carreira. Ela começou a cantar em casas noturnas cariocas, em em 1957 venceu o programa Calouros em Desfile, de Aérton Perlingeiro, na Rádio Tupi.

A cantora de voz potente que havia tirado nota máxima no concurso foi então contratada pela RGE, onde gravou seu primeiro disco, no ano de 1958. Nesta época também foi contratada para ingressar no casting do Programa César de Alencar, na Rádio Nacional.

Também pertenceu ao elenco da Rádio Tupi.


Dorinha Freitas gravou Fracasso, de Fernando César e Nazareno Brito, canção que fez muito sucesso. A gravação valeu a artista o prêmio Chico Viola de Melhor Cantora, no programa Astros do Disco. Logo a imprensa tentou criar uma rivalidade publicitária entre ela e artistas como Leny Eversong e Dalva de Oliveira. Nos bastidores do rádio, Dorinha Freitas foi apelidada de Boaysa, uma brincadeira que a comparava com a também cantora Maysa, que tinha um temperamento difícil.


Fora dos padrões estéticos, a cantora era constantemente criticada pelo seu excesso de peso, o que limitava suas aparições na televisão, por não "aparecer bem no vídeo". Dorinha dizia que seu sonho era ser chamada para atuar no cinema nacional, como ocorria com diversos cantores do rádio na época, mas nunca recebeu convites cinematográficos.

Apesar disto, chegou a ser contratada como cantora na TV Tupi e Record.


Mas mesmo tendo feito pouca televisão,  ela fez sucesso no Programa do Chacrinha, onde recebeu o prêmio Carnaval de Ouro. Trabalhando pouco na TV, Dorinha brilhou no rádio em boates paulistas como Chicote e La Vie en Rose, além de se apresentar em dancings como o Avenida e Clube Paris.

Dorinha Freitas e Abelardo Barbosa, o Chacrinha

Em 1962 Dorinha Freitas assinou contrato com a Continental, mas pouco depois desapareceu da vida artística. Em entrevistas mais recentes, ela afirmou que deixou de cantar por problemas de saúde, mas também por estar cansada da rivalidade que enfrentou nos bastidores. Dorinha Freitas estava exausta.

No começo da década de 70, a convite de Moacyr Franco e Agnaldo Rayol, esboçou um retorno que durou pouco. Sua mãe teve problemas de saúde, e ela retornou à Lorena para cuidar de sua genitora, deixando definitivamente a carreira artística.

Disco de Dorinha Freitas, da década de 70, gravado em parceria com Pedro de Lara

Dorinha Freitas e Agostinho dos Santos

Dorinha Freitas e Aracy de Almeida

Dorinha Freitas, em foto recente

Nos últimos anos, morando em Lorena, Dorinha Freitas lutava contra as consequências de um AVC. Ela faleceu seis dias antes de completar 82 anos de idade. Sua morte foi divulgada pelo pesquisador musical Luciano Hortêncio. Reproduzimos abaixo a canção Fracasso, postada no canal de Luciano.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

3 comentários:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil