Por Onde Anda? A Atriz Lúcia Veríssimo


Atriz, diretora, apresentadora, cantora, escritora e empresária são algumas das profissões da talentosa e versátil Lúcia Veríssimo. A bela artista era uma presença constante na televisão nas décadas de 1980 e 1990, e tornou-se musa de sua geração.



Lúcia Veríssimo Santarelli Jassé de Araújo Silva nasceu no Rio de Janeiro, em 11 de julho de 1958. Ela é filha de Yvonne Veríssimo e do compositor, arranjador, músico e cantor Severino Filho, fundador do conjunto Os Cariocas, grupo musical pioneiro da Bossa Nova. Ela também é sobrinha de Ismael Netto, e prima da cantora lírica Hortensia Jassè.

Na escola, a menina Lúcia Veríssimo foi colega de Christiane Torloni, com quem contracenaria anos mais tarde, e aos seis anos de idade Lúcia começou a estudar teatro, e foi aluna de Maria Clara Machado no Tablado.

Sua estreia nos palcos foi na peça Natal (1964), ainda criança.


A pequena Lúcia Veríssimo


Lúcia Veríssimo e seu pai, Severino Filho


Mas apesar de ter começado na carreira de atriz muito cedo, Lúcia se formou em jornalismo, e trabalhou por um tempo na profissão. Mas a amiga Christiane Torloni acabou convencendo-a a investir na carreira de atriz.

Em 1979 Lúcia Veríssimo começou a atuar, participando do filme Ariella (1979), que fez muito sucesso na época.


Lúcia Veríssimo em Ariella


A repercussão do filme lhe valeu um convite para atuar na novela Marina (1980), na Rede Globo. Depois, migrou para a Bandeirantes, onde foi a filha de Norma Benguell (em sua primeira novela, após uma longa carreira cinematográfica) no grande sucesso Os Imigrantes (1981).

No ano seguinte, 1982, fundou a sua produtora, a Canela Produções, que gerencia os projetos de sua carreira. Com a Canela, Lúcia produziu espetáculos teatrais, cds, shows musicais, e programas de televisão.



Élida L'Astorina, Lauro Corna e Lúcia Veríssimo em Marina



Herson Capri, Norma Benguell e Lúcia Veríssimo em Os Imigrantes


Lúcia também retornou ao cinema, atuando nos filmes Filhos e Amantes (1981), Um Casal de 3 (1982) e Jeitosa, Um Assunto Muito Particular (1984).


Hugo Della Santa e Lúcia Veríssimo em Filhos e Amantes


Lúcia Veríssimo e Otávio Augusto em Um Casal de 3


De volta a Globo, atuou na minissérie Parabéns Pra Você (1983) e na novela Champagne (1983), e também foi apresentadora (ao lado de Paulo Betti) do programa Vídeo Show.


Lúcia Veríssimo e Paulo Betti no Vídeo Show


Cássio Gabus Mendes, Cláudia Magno e Lúcia Veríssimo em Champagne


No ano seguinte, a atriz foi para a TV Manchete, onde atuou na minissérie Santa Marta Fabril S.A. (1984) e também foi apresentadora do Programa de Domingo.

Depois, retornou a Globo, onde fez diversas produções, como Roda de Fogo (1986), Mandala (1987) e o Salvador da Pátria (1989), alguns dos maiores sucessos da emissora na época. Lúcia Veríssimo também atuou em diversos programas da linha de show da emissora.


Rodolfo Bottino e Lúcia Veríssimo em Roda de Fogo


Vera Fischer, Felipe Camargo e Lúcia Veríssimo em Mandala


Considerada uma das mais bonitas atrizes da década de 1980, Lúcia Veríssimo foi duas vezes capa da revista Playboy (1983, 1988). Além de bela, Lúcia sempre se demonstrou uma mulher talentosa, inteligente e engajada politicamente. Ela foi presença constante no movimento Diretas Já, que exigia a volts da democracia ao Brasil, e em 1982 foi uma das fundadoras do Partido Verde (PV). Além disto, sempre defendeu a preservação da natureza e a proteção dos animais (Lúcia Veríssimo é vegana).


Lúcia Veríssimo e Irene Ravache no movimento Diretas Já


A atriz encerrou a década atuando na minissérie O Cometa (1989), na TV Bandeirantes. Nos anos 1990 a atriz desacelerou suas atividades na televisão, atuando nas séries Delegacia de Mulheres (1990), Araponga (1990), O Sorriso do Lagarto (1991) e Agosto (1993).

Ela também fez as novelas Despedida de Solteiro (1992), Cara & Coroa (1995) e Andando nas Nuvens (1999).


Heloísa Mafalda, Mayara Magri, Cininha de Paula, Lúcia Veríssimo e Zilda Cardoso em Delegacia de Mulheres


Lúcia Veríssimo e Paulo Gorgulho em Despedida de Solteiro


Lúcia Veríssimo e Victor Fasano em Cara & Coroa


Ela também retornou ao cinema no filme As Feras (1995), que gerou polêmica por apresentar um beijo gay entre Lúcia e a atriz Monique Lafond. Dirigido por Walter Hugo Khouri, o filme só foi lançado comercialmente em 2001, devido a brigas entre o diretor e o produtor, que disputavam a palavra final na edição da obra. Lúcia Veríssimo também atuou no filme O Homem Nu (1997).

Também gravou um disco em 1994.


Monique Lafond e Lúcia Veríssimo em As Feras


Disco de Lúcia Veríssimo


A atriz nunca teve problema em falar sobre a sua sexualidade, tendo namorado homens e mulheres, embora rejeite rótulos que definam sua orientação sexual.

No final da década de 1990, um pouco afastada da televisão, Lúcia Veríssimo se mudou para Washington, onde fez uma segunda universidade, estudando direção de fotografia e edição cinematográfica. Em 1997 ela dirigiu Terra Brasil (1997), que foi premiado no festival de cinema de Nova York.

Nos anos seguintes, atuou em Uga Uga (2000), Esperança (2002), América (2005), e Amor à Vida (2013), todas na Globo. No SBT atuou em Amor e Revolução (2013).


Lúcia Veríssimo em Amor e Revolução


Paola Oliveira e Lúcia Veríssimo em Amor à Vida


Em 2010 ela estreou a peça Usufruto, cujo texto ela também escreveu. Também produtora do espetáculo, Lúcia Veríssimo foi indicada a prêmios tanto como atriz como roteirista.





Em 2017 ela dirigiu o documentário Eu, Meu Pai e Os Cariocas (2017), sobre a sua relação com seu pai famoso. O filme estreou em abril de 2017 como Abertura Oficial do Festival Internacional É Tudo Verdade. Acumulou os prêmios de Melhor Filme do Juri Oficial no Festival In-Edit (Brasil e Barcelona) e Melhor Filme do Júri Popular e Menção Honrosa do Júri Oficial do Festival MUVi, em Lisboa, Melhor Filme no Festival Agenda Brasil em Milão, Roma e Torino (Itália).




Sempre apaixonada por cavalos e a vida no campo, ela é proprietária de uma fazenda em Minas Gerais, a "Fazenda Independência", onde cria cavalos e outros animais. A criação não tem fins comerciais e é livre de crueldade contra os animais. Ela também é dona de uma linha de negócios, incluindo uma cachada personalizada, que leva ao seu nome.

Lúcia Veríssimo vive uma vida simples no campo, ao lado da sua esposa, a produtora Tay Saad.




Lúcia Veríssimo atualmente, em sua fazenda


Cachaça Lúcia Veríssimo



Após quase uma década longe da televisão, ela acaba de gravar a série Rensga Hits (2022), que deve estrear em breve no GloboPlay.


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil