Relembrando o breve e trágico Jack Wild, de Oliver e A Flauta Mágica


Com apenas 16 anos de idade, Jack Wild tornou-se um dos atores mais jovens a ser indicado ao Oscar (de Melhor Ator Coadjuvante), pelo papel de Artful Dodger em Oliver (Idem, 1968). Ele também foi o astro da série infantil A Flauta Mágica (H.R. Pufnstuf, 1969-1970), exibida no Brasil originalmente pela TV Tupi (no programa Sessão Patota, com o nome Pluft-Pluft - A Flauta Mágica).

Mas Jack Wild, como muitos atores mirins, teve uma vida adulta complicada, e um final triste.




Nascido na Inglaterra, em 30 de novembro de 1952. Vindo de uma família muito pobre, Jack Wild começou a trabalhar muito cedo, como ajudante de leiteiro, ganhando 5 centavos por dia de trabalho. Um dia, quando jogava futebol com seu irmão Arthur (que também foi ator) em um parque, foi descoberto pela produtora teatral June Collins (mãe do cantor Phil Collins).

Os irmãos viram no teatro uma chance de ajudar nas despesas domésticas, e em 1964 eles atuaram na montagem teatral de Oliver. No ano seguinte, Jack estreou na televisão, e apareceu pela primeira vez no cinema em um pequeno papel em A Lagrima Secreta (Poor Cow, 1967). No mesmo ano, conseguiu um papel fixo na série Danny the Dragon (1967).

Mas sua consagração como ator foi como o garoto batedor de carteiras no musical Oliver (Idem, 1968), que lhe valeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. Ele também foi indicado ao Bafta e ao Globo de Ouro de Ator Revelação do Ano.

Com 16 anos de idade, ele foi a quarta pessoa mais jovem já indicada a um Oscar na história.


Jack Wild em Oliver


Na estreia de Oliver, os irmãos Sid e Marty Krofft viram Jack no cinema, e o convidaram para estrelar uma nova série que eles estavam produzindo, o programa infantil A Flauta Mágica (H.R. Pufnstuf, 1969-1970), que chegou a fazer parte do programa Banana Split.


Jack Wild em A Flauta Mágica


Jack Wild e Billie Hayes (a feiticeira Witchiepoo)


Ele também estrelou a versão cinematográfica, A Flauta Encantada (Pufnstuf, 1970), produzida assim que a série foi cancelada. Wild já tinha 18 anos de idade, mas tinha um rosto jovial que fazia com que o público acreditasse que ele era bem mais novo.

Na década de 1970, no auge do sucesso, ele chegou a gravar discos, e era considerado um astro teen, como David Cassidy e Barry Williams.





Após deixar o elenco de A Flauta Mágica, ele reencontrou Mark Lester (seu colega de elenco em Oliver) no filme Quando Brota o Amor (Melody, 1971). Ambos ainda possuíam "caras de meninos".

Ele também atuou em As Trapaças do Falcão (Flight of the Doves, 1971) e A Lenda da Flauta Mágica (The Pied Piper, 1971), que nada tinha a ver com sua antiga série de TV, e sim com a lenda do Flautista de Hamlin.


Jack Wild e Mark Lester em Quando Brota o Amor 


Jack Wild em A Lenda da Flauta Mágica



Jack teve dificuldades de conseguir novos papéis na fase adulta. Em uma entrevista ele declarou "eu não me importava em interpretar uma criança quando era adolescente, mas me incomodava quando me ofereciam os mesmos papéis aos 21 anos".

Ele teve conseguiu alguns papéis na televisão, que pouco fizeram para mantê-lo em evidência. E após atuar no polonês Alicja (1980), uma adaptação psicodélica de Alice no País das Maravilhas, ele desapareceu das telas.

Em 1985 seu nome voltou a aparecer na mídia, quando a atriz Gaynor Jones, sua esposa (com quem ele havia se casado em 1976) pediu o divórcio, alegando que não conseguia conviver com o alcoolismo do ator, que bebia três garrafas de bebida por dia.

O ator bebia tanto que era incapaz de assumir qualquer trabalho, e havia torrado toda a fortuna que ganhou quando era um ator mirim. Sua saúde também estava bastante debilitada devido ao consumo excessivo de álcool, cujo vicio havia começado quando ele tinha apenas 12 anos de idade.


Jack Wild em 1987

Jack Wild sofreu três ataques cardíacos, na faixa dos 30 anos de idade, e era constantemente internado em hospitais. Mas em 1989, frequentando o alcóolicos anônimos, conseguiu parar de beber.

Ele também conseguiu retornar ao cinema, atuando na grande produção Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões (Robin Hood: Prince of Thieves, 1991), estrelado por Kevin Costner. Poucos perceberam que o arqueiro Munch era interpretado pelo antigo astro mirim da década de 1970.


Jack Wild em Robin Hood, o Príncipe dos Ladrões 


Ele ainda conseguiu outros poucos papéis ao longo dos anos, aparecendo em algumas séries de televisão, e nos filmes Basil - Amor e Ódio (Basil, 1998) e Moussaka & Chips (2005), seu último trabalho como ator.


Ainda em 2005, ele foi diagnosticado com um câncer na boca, provavelmente oriundo do seu vício em álcool e cigarro. Jack precisou retirar as cordas vocais e parte da língua e ficou impossibilitado de falar. Ele faleceu em 01 de março de 2006,  com apenas 53 anos de idade.



Jack Wild em 2002


Jack Wild em 2005






0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil