Dublador Dário de Castro morre aos 72 anos de idade, vítima da Covid 19


O dublador e ator Dário de Castro, de 72 anos, morreu na noite de quinta-feira (15), em decorrência de complicações da Covid-19. A informação foi confirmada por amigos dubladores nas redes sociais. 

O ator Guilherme Briggs lamentou a morte do colega de profissão em seu perfil no Facebook. "Hoje é um dia muito triste pra mim e toda a dublagem brasileira: "É com extremo pesar que informo que uma das nossas vozes mais lindas e clássicas, o querido Dario de Castro, faleceu esta quinta-feira, 15 de Abril de 2021, vítima do Covid. (...)  Descanse em paz, Dario. Muito obrigado por tudo que você fez pela gente. Que Deus o guarde em seu profundo amor", escreveu.



Dário Campos Penha Castro nasceu no Rio de Janeiro, em 28 de novembro de 1948. Ele É mais conhecido por dublar principalmente os atores Russell Crowe, Liam Neeson, William Hurt e Dolph Lundgren na maior parte de seus filmes. Ele também trabalha como diretor de dublagem nos estúdios da Cinevideo. Trabalha na área de dublagem desde os Anos 70.

Para a Disney, emprestou sua voz para o Capitão John Smith nos diálogos do filme Pocahontas, Clayton em Tarzan e A Lenda de Tarzan e Febo em O Corcunda de Notre Dame.

Começou na dublagem em 1978, na Herbert Richers. Desde o final da década de 1970, não parou mais e passou por todas as principais empresas do Rio de Janeiro, além da Herbert Richers passou pela Televox, Tecnisom, e Peri Filmes.

Nos anos de 1980, além da Herbert Richers, trabalha em outras empresas como Croma, Telecine, e VTI. Na década de 1990, também esteve presente em casas como Delart, Sincrovideo, e Double Sound. Na década de 2000, também atuou em empresas como Wan Macher, Cinevideo, e Audiocorp. Nos anos de 2010, dublou também em estúdios como Áudio News, Som de Vera Cruz, e Visom Digital.





Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

Um comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil