Por Onde Anda? O Ator Michael York


No final da década de 1960 o ator Michael York despontou como uma das novas promessas do cinema mundial. Sob direção de Franco Zeffirelli, ele esteve no grande sucesso Romeu e Julieta (Romeo and Juliet, 1968), onde interpretou o antagonista Tebaldo e fez o ousado Brian Roberts em Cabaret (Idem, 1972).


Michael Hugh Johnson nasceu em Fulmer, Buckinghamshire, Inglaterra, em 27 de março de 1942. Muito jovem o ator começou a atuar em um teatro comunitário local, em em 1959 estreou nos palcos do West End londrino, atuando em Hamlet.

Ele ingressou na companhia do lendário Laurence Olivier em em 1965, e lá foi dirigido por Franco Zefirelli em uma montagem de Muito Barulho Por Nada. E foi Zeffirelli quem o levou para o cinema, contracenando com Elizabeth Taylor e Richard Burton em A Megera Domada (The Taming of the Shrew, 1967).

Michael York em A Megera Domada

Antes do filme ser lançado, Micharl York foi fazer uma sessão de fotos com a fotógrafa Patricia McCallum. O que seria apenas um trabalho, acabou virando um romance. Eles se casariam em março de 1968, e permanecem juntos até hoje. 

Michael York nunca teve filhos, mas é padrasto do hoje produtor Rick McCallum.

Michael York e Patricia McCallum

Ainda em 1967 o ator fez muitos trabalhos, incluindo um filme alemão, e muitos trabalhos na televisão. No cinema ainda atuou em Estranho Acidente (Accident, 1967) e As Psicodélicas (Smashing Time, 1967).

Em 1968 ele voltou a trabalhar com Zeffirelli, atuando no clássico Romeu e Julieta (Romeo and Juliet, 1968), interpretando Tebaldo, o homem que atrapalha o romance entre os amantes vividos por Olivia Hussey e Leonard Whiting. No filme, o ator aparecia com cabelos escuros e encaracolados.



O sucesso de Romeu e Julieta transformou Michael York em um astro, e ele recebeu muitos convites para atuar nos anos seguintes. Ele atuou em Vítimas da Corrupção (The Strange Affair, 1968), Alfredo, o Grande (Alfred the Great, 1969), Justine (Idem, 1969) e estrelou A Magia do Guru (The Guru, 1969).

Michael York em O Guru

Michael York tornou-se um ícone da nova juventude europeia, fazendo papéis de rapazes alternativos e sedutores, uma espécie de galã da contra-cultura da década de 1960. Nesta linha, foi escalado para filmes com Diabólicos Sedutores (Something for Everyone, 1970), onde interpretava um personagem bissexual, e Aventura na Estrada ao Sol (La Poudre d'escampette, 1971).

Ele também recebeu muitos elogios pelo papel do soldado da Primeira Guerra Mundial no drama histórico Zeppelin (Idem, 1971).

Em 1972 York interpretou outro papel polêmico, o do bissexual Brian Roberts em Cabaret (Idem, 1972), uma grande sucesso cinematográfico, dirigido por Bob Fosse.


No ano seguinte foi um dos muitos astros do elenco de Horizonte Perdido (Lost Horizon, 1973), onde reencontrou sua antiga colega Oliva Hussey, a eterna Julieta.

Em 1973 o ator interpretou Dartangan pela primeira vez em Os Três Mosqueteiros (The Three Musketeers, 1973). Ele repetiria o papel diversas vezes, como na sequência A Vingança de Milady (The Four Musketeers, 1974).


Ao lado de grandes astros da tela esteve no clássico Assassinato no Expresso Oriente (Murder on the Orient Express, 1974) e sob direção de Michael Anderson estrelou A Honra do Regimento (Conduct Unbercoming, 1975) e Fuga no Século 23 (Logan's Run, 1976).

Franco Zeffirelli, seu descobridor cinematográfico, então o convidou para viver São João Batista na minissérie Jesus de Nazaré (Jesus of Nazareth, 1977).

Michael York em Jesus de Nazaré

Nos Estados Unidos, estrelou a comédia A Mais Louca das Aventuras de Beau Geste (The Last Remake of Beau Geste, 1977), que não fez sucesso, e contracenou com o veterano Burt Lancaster em A Ilha do Dr. Moreau (The Island of Dr. Moreau, 1977), onde interpretou uma das vítimas das experiências de Moreau.

Michael York em A Ilha do Dr. Moreau

Estes filmes não foram bem sucedidos nas bilheterias, e após emendar diversos trabalhos, Michael York começou a aparecer menos no cinema. Após atuar em O Enigma das Areias (The Riddle of the Sands, 1979), ele voltou para o teatro, e trabalhou muito na televisão inglesa e francesa.

Michael York em O Pequeno Príncipe e o Aviador (1982), peça de teatro

O ator fez poucos filmes na década de 1980, aparecendo em O Sucesso É a Melhor Vingança (Success Is The Best Revenge, 1984) e no italiano A Face (Un Delitto Poco Comune, 1988). Ele também esteve na comédia de Mel Brook S.O.S.: Tem Um Louco Solto no Espaço (Spaceballs, 1987), mas pouca gente o reconheceu por trás da máscara de macaco.

Michael York em S.O.S.: Tem Um Louco Solto no Espaço

Em 1989 o ator reencontrou alguns colegas de elenco em A Volta dos Mosqueteiros (The Return of the Musketeers, 1989), onde novamente viveu Dartagnan.

A Volta dos Mosqueteiros

Desde então tem feito poucos filmes. Alan Parker o convidou para atuar em Bem-Vindos ao Paraíso (Come See the Paradise, 1990) e atuou em Um Forasteiro na Corte do Rei Arthur (A Young Connecticut Yankee in King Arthur's Court, 1995). Também apareceu em séries como Lei & Ordem (Law & Order), Babylon 5 e How I Meet Your Mother, e dublou algumas animações.

Normalmente interpretando sofisticados senhores ingleses, esteve impagável como o agente Basil Exposition em Austin Powers: 000, Um Agente Nada Discreto (Austin Powers: International Man of Mystery, 1997). York repetiria o papel em Austin Powers: O Agente 'Bond' Cama (Austin Powers: The Spy Who Shagged Me, 1999), e Austin Powers e o Homem do Membro de Ouro (Austin Powers in Goldmember, 2002).

Michael York e Mike Myers em Austin Powers

Ele também fez uma participação especial em Studio 54 (54, 1998), filme sobre a história de uma badalada casa noturna de Nova York, que o ator costumava frequentar. E na televisão francesa, voltou a viver Dartagnam, envelhecido, em uma minissérie de 2004.

Michael York em How I Meet Your Mother (2010)

Em 2011 o ator fez seu último filme, o polonês O Moinho e A Cruz (Mlyn i Krzyz, 2011). No ano seguinte, ao participar de uma reunião do elenco de Cabaret, ele chocou os fãs com sua aparência. Careca, e com o rosto muito inchado, Michael York revelou estar lutando contra uma doença rara chamada amiloidose. Inicialmente ele havia recebido um diagnóstico errado de câncer nos ossos.

Michael York, Liza Minnelli, Joel Grey e Marisa Berenson em 2012


Desde então, o ator só fez trabalhos de dublagens, tendo inclusive dublado seis episódios de Os Simpsons, fazendo papéis diferentes. Os Simpsons foram os últimos trabalhos de sua carreira até então.

O veterinário Lionel Budgie, dublado por Michael York

Em 2012 Michael York fez um transplante de células tronco, que aliviou os sintomas de sua doença.

Michael York e a esposa, atualmente

Veja também:  Tributo a Oliva Hussey, a eterna Julieta

Veja também: A História do Ator Joel Grey, de Cabaret


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil