Morre a atriz e cantora Nelly Martins, vítima da Covid-19


A cantora, pianista e atriz Nelly Martins morreu na noite de 28 de janeiro, devido a complicações da Covid-19. Viúva do Maestro Radamés Gnatalli, Nelly morreu quatro dias depois da morte de seu primeiro filho, o engenheiro e cantor Luiz Antônio Pereira dos Santos (1958-2021), que morreu vítima da mesma doença.

Nelly e o pequeno Luiz Antônio


Nelly Biato nasceu em no Rio de Janeiro, em 10 de outubro de 1936. Ela se formou em música, e dava aulas de piano, ao mesmo tempo que cursava a faculdade de direito. Mas em 1952 participou, como pianista, do concurso de Calouros de Ary Barroso, e venceu, e começou a fazer apresentações no rádio e televisão.

Em 1956, contratada pela Rádio Tupi, foi eleita a artista revelação do rádio. Na época, ela já havia iniciado a carreira de cantora.

Nelly Martins na Rádio Tupi

Nelly também atuava em teleteatros na TV Tupi do Rio de Janeiro, e ainda em 1956 concorreu no famoso concurso de Rainha do Rádio. A vencedora foi Dóris Monteiro, mas muito votada, Nelly foi agraciada uma das princesas do pleito.

Mas em 1959 foi eleita Rainha dos Músicos.


Contratada pela Continetal, gravou discos entre 1956 e 1960.


Como era comum na época, muitos artistas do rádio atuavam no cinema brasileiro. Mas Nelly Martins não fez apenas números musicais, ela atuou em diversos filmes, normalmente fazendo mocinhas ingênuas.

Nelly atuou em Pé na Táboa (1957), Metido a Bacana (1957), Os Três Cangaceiros (1959), Garota Enxuta (1959), Tudo Legal (1960), Esse Rio que Eu Amo (1960), Bom Mesmo é Carnaval (1962), O Beijo (1965) e A Doce Mulher Amada (1968).

Nelly Martins (segurando as grades), Paulette Silva, Ronald Golias, Ankito e Grande Otelo em Os Três Cangaceiros

Nelly Martins, Agnaldo Rayol e Ankito em Garota Enxuta

Reginaldo Farias e Nelly Martins em O Beijo

Na televisão, ainda apresentou o programa Noites Cariocas, na TV Rio, e atuou na novela O Céu é de Todos (1965), na TV Excelsior.


Em 1966 ela foi morar com o Maestro Radamés Gnatalli, com quem chegou a gravar alguns discos, e depois abandonou a carreira artística. Ela retomou os estudos, e formou-se em fisioterapia, e posteriormente em medicina. Nelly Martins e Radamés Gnatalli se casaram oficialmente em 1978.


A artista ficou viúva em 1988, e passou grande parte da vida preservando e divulgado a obra de Radamés Gnatalli. Ela faleceu na semana que o maestro completaria 115 anos de nascimento.

Sua morte foi divulgada por Roberto Gnatalli, em suas redes sociais.

Nelly Martins Gnatalli (segurando o buquê de flores)



3 comentários:

  1. Que tristeza... que país maldito é o Brasil, que votou nesse assassino Boçal...

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,desculpe m7bha ignorância, mas o o presidente fez neste caso dos cachorros, Não consegui abrir a materia para saber detalhes
    Não e gozação, quero saber para poder me posicionar.
    Grato

    ResponderExcluir
  3. Mas essa Lulu Pavone só pode ser alienada mesmo. O Brasil votou no assassino Boçal chamado Lula, mas sua quadrilha já foi expulsa de lá há muito tempo. Agora, se você está se referindo aos assassinos prefeitos e governadores que mataram o povo em 2020 e continuam matando em 2021, aí faz sentido. Tristeza foi esse seu comentário.

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil