Relembrando Jack Lord, de Havaí 5.0


O ator Jack Lord é mais lembrado por interpretar o Detetive Steve McGarrett na série de televisão Havaí 5.0 (Hawaii Five-O, 1968-1980), e também por viver o primeiro agente Felix Leiter em O Satânico Dr. No (Dr. No, 1962), o primeiro filme de James Bond oficial feito para os cinemas.


John Joseph Patrick Ryan nasceu em Nova York em 30 de dezembro de 1920. Após servir na Segunda Guerra Mundial, começou a fazer filmes de treinamento para os novos marinheiros (ele também servia na marinha), e tomou gosto pela atuação.

Após dar baixa no exército, ingressou na tradicional escola Actor's Studio, onde foi colega de Marlon Brando, Marilyn Monroe e Paul Newman.

Jack Lord e Marilyn Monroe, em frente ao Actor's Studio

Lord conseguiu seus primeiros trabalhos como ator profissional na Broadway, onde conheceu sua segunda esposa, Marie de Narde, com quem se casou em 1948. Marie também era atriz, mas abandonou a carreira para apoiar os planos do marido de atuar. O casal permaneceu junto até 1998, quando Lord faleceu.

Ele havia sido casado anteriormente, entre 1944 e 1947. Deste relacionamento nasceu seu único filho, que morreu quando tinha apenas 12 anos de idade.

Em 1949 o ator estreou no cinema atuando em Projet X (1949), uma produção de baixo orçamento. Em seguida fez Cry Murder (1950) e Marca Fatal (The Tattoed Stranger, 1950). Todos estes filmes pouco fizeram pela sua carreira, e o ator recorreu a televisão, onde encontraria mais trabalhos ao longo de toda sua carreira.

Seu primeiro papel mais expressivo em um filme foi em Seu Último Comando (The Court-Martial of Billy Mitchell, 1955), estrelado por Gary Cooper.

Gary Cooper e Jack Lord

Nos anos seguintes, apareceu em diversas séries de televisão, como Bonanza, em papéis de apenas um episódio, e fez poucos filmes, como O Rei Vagabundo (The Vagabond King, 1956), Contrabando no Cairo (Tip on a Dead Jockey, 1957), O Pequeno Rincão de Deus (God's Little Acre, 1958) e O Homem do Oeste (Man of the West, 1958).

Jack Lord em Bonanza

Em 1962 o ator foi escalado para viver o agente Feliz Leiter em O Satânico Dr. No (Dr. No, 1962). Originalmente ele repetiria o papel nos próximos filmes de James Bond, mas os produtores acharam que isso tiraria os holofotes de Sean Connery, e outros atores interpretaram o personagem ao longo dos anos. Apesar disto, O Satânico Dr. No talvez seja o filme mais importante na carreira de Jack Lord, que ainda atuaria em O Bandido Negro (The Ride to Hagman's Tree, 1967) e O Salário do Crime (The Counterfeit Killer, 1968).

Sean Connery e Jack Lord em O Satânico Dr. No

Jack Lord chegou a ser cotado para ser o Capitão Kirk na série Jornada nas Estrelas (Star Trek), mas exigiu ser co-produtor da série, e ficar com uma porcentagem de posse sobre o seriado, e sua proposta foi rejeitada pelos produtores, que acabaram escolhendo William Shatner.

Em 1968 vários atores recusaram o papel em Havaí 5.0 (Hawaii Five-O, 1968-1980), incluindo Gregory Peck, e Jack Lord acabou sendo chamado para a série, conquistando finalmente a fama mundial. O programa durou muitos anos, e Lord acabou assumindo também a produção quando morreu Leonard Freeman, o criador da série.


Com o fim da série atuou somente em um filme, feito para a televisão, Posto M: Havaí (M Station: Hawaii, 1980), depois abandonou a carreira, e passou a dedicar-se a pintura. Seus quadros chegaram a ser expostos no Metropolitan Museum of Art de Nova York.


Em 21 de janeiro de 1998, Jack Lord faleceu em sua casa em Honolulu, Havaí. Ele teve uma insuficiência cardíaca, e também lutava contra o Mal de Alzheimer há alguns anos. O artista, que havia sido um filantropo por toda a vida, destinou 40 milhões de dólares de seu patrimônio, em testamento, para ser doado a instituições de caridade no Havaí, local que escolheu para morar desde que começou a fazer a série em 1968.




0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil