Fred Gwynne, além do Herman Mostro


Com 1,96 de altura, Fred Gwynne talvez seja mais lembrado por interpretar Herman Monstro, o patriarca da série de televisão Os Monstros (The Munsters, 1963-1966). Mas sua carreira consta com mais de 60 crédito ao longo de quarenta anos.


Frederick Walker Gwynne nasceu em Nova York, em 10 de julho de 1926. Seu pai era um proeminente corretor imobiliário, e Fred cresceu em meio a sociedade Nova Iorquina.

Durante a Segunda Guerra Mundial ele serviu na Marinha dos Estados Unidos, como radialista em um submarino. Após deixar o exército, foi para a Universidade, e trabalhou por um tempo como cartunista. Durante toda sua carreira de ator, ele fez autógrafos acompanhados de ilustrações suas.

Ele também ilustrou diversos livros infantis.



Em 1951 ele começou a estudar teatro, e mudou-se para Nova York, em busca de emprego. Ele estreou na Broadway no ano seguinte, atuando com Helen Hayes. No mesmo ano, fez seu primeiro trabalho na televisão.

Sua estréia no cinema foi no filme Sindicato de Ladrões (On the Waterfront, 1954), estrelado por Marlon Brando.

Fred Gwynne em Sindicato de Ladrões

O comediante Phil Silvers o viu no filme, e o convidou para trabalhar em seu programa de televisão, o The Phil Silvers Show. Nos anos seguintes, o ator trabalharia em diversos programas na TV, como convidado.

Foi somente em 1961 que ele passou a estrelar a série Car 54, Where Are You? (1961-1963). Al Lewis, o futuro Vovô Monstro, era seu colega de elenco.

Al Lewis e Fred Gwynne em Car 54, Where Are You?

A série só durou duas temporadas, e ele passou a atuar em telefilmes, até ser chamado para interpretar o desengonçado Frankenstein na série Os Monstros (The Munsters, 1963-1966). Apesar de ser muito alto, ele usava sapatos de plataforma e uma maquiagem pesada, para parecer ainda maior.


Ao lado do elenco original, ele também estrelou o filme Monstros, Não Amolem! (Munster, Go Home!, 1966), baseado na série de TV. O filme era colorido, ao contrário da série original, que era em preto e branco. Em Monstros, Não Amolem! Herman aparecia com uma maquiagem verde, diferente da violeta usada para fazer a série de televisão, que tinha um melhor efeito na câmera.

Monstros, Não Amolem!

Fred Gwynne sendo maquiado para o programa de TV

Nos anos seguinte após o cancelamento da série, ele trabalhou basicamente na televisão. Gwynne só retornaria ao cinema no filme La Luna (1979), de Bernardo Bertolucci. No ano seguinte atuou e O Grande Sonho de Simon (Simon, 1980).

Fred Gwynne e Matthew Barry em La Luna

Em 1981 ele reencontrou seus colegas de elenco no filme A Vingança dos Monstros (The Munsters' Revenge, 1981). Butch Patrick e Pat Priest não participaram da produção, pois estavam muitos velhos para o papel. Em 1984 ele fez teste para fazer o Arthur na série Punky, a Levada da Breca, mas saiu do teste frustrado, após ser chamado de Herman Monstro pelo diretor de elenco.

Na década de 80 Gwynne atuou em diversos filmes, como Cotton Club (Idem, 1984), O Garoto que Podia Voar (The Boy Who Could Fly, 1986), O Segredo do Meu Sucesso (The Secret of My Success, 1987), Atração Fatal (Fatal Attraction, 1987) e Ironweed (1987). Mas nesta época seja mais lembrado como o vizinho de Cemitério Maldito (Pet Sematary, 1989), um clássico dos filmes de terror.

Fred Gwynne em Cemitério Maldito

Em 1991 ele atuou em Neblina e Sombras (Shadows and Fog, 1991), dirigido por Woody Allen. E no ano seguinte faria seu último papel no cinema, como o juiz da comédia Meu Primo Vinny (My Cousin Vinny, 1992).

Marisa Tomei, Fred Gwynne e Joe Pesci em Meu Primo Vinny

Fred Gwynne foi casado duas vezes, e teve cinco filhos, mas o caçula morreu afogado, com pouco mais de um ano de idade. O ator morreu em 02 de julho de 1993, vítima de um câncer de pâncreas.





Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil