Por Onde Anda? Mr. T, o durão boa gente


Na década de 80 Mr. T, com seu penteado diferente e suas correntes de ouro, tornou-se um ícone da cultura Pop, principalmente por sua participação no filme Rocky III: O Desafio Supremo (Rocky III, 1982) e na série Esquadrão Classe A (The A Team).


Mr. T é o nome artístico de Laurence Tureaud, ator, dublador e lutador norte-americano, nascido em Chicago, em 21 de maio de 1952. Ele é o mais velho dos doze filhos de um ministro religioso.

Tureaud praticou futebol, luta livre e artes marciais, e após ser expulso do colégio, ingressou nas Forças Armadas norte-americanas, antes de iniciar a carreira de jogador de futebol americano, onde jogou pelo Green Bay Packers.


Mr. T também trabalhou com segurança de um restaurente, e pouco depois tornou-se guarda-costas de celebridades, como Muhammad Ali, Michael Jackson e Steve McQueen.

Mr. T e Michael Jackson

Após aparecer em uma matéria na revista National Geographic, já ostentando seu penteado (inspirado nos guerreiros mandinga) e uma vasta coleção de jóias de ouro, ele despertou interesse geral do público. Sua estréia no cinema ocorreu em uma pequena aparição em Os Irmãos Cara de Pau (The Blues Brothers, 1980). E em 1982 teve um papel importante no filme Penitentiary II (1982).



Mas foi como o lutador Clubber Lang, de Rocky III: O Desafio Supremo (Rocky III, 1982), que ele se consagrou. Mr. T começou a aparecer, como ele mesmo, em diversas séries de televisão, e ganhou seu próprio desenho animado. Apesar do físico avantajado, e o jeito de durão, ele caiu nas graças das crianças, e começou a usar sua popularidade para passar mensagens construtivas para os pequenos.



Gary Coleman e Mr. T em Arnold (Different Strokes)
Em 1983 ele passou a interpretar o soldado B.A. Baracus na série Esquadrão Classe A (The A Team, 1983 - 1987). A série fez um enorme sucesso, inclusive no Brasil, e B.A. era um dos personagens mais queridos, chegando a virar um cobiçado boneco de ação pelas crianças.

Esquadrão Classe A
Enquanto gravava a séria, estrelou o filme O Homem Mais Durão do Mundo (The Toughest Man in the World, 1984) e dublou a animação Alice no País do Espelho (Alice Through the Looking Glass, 1987). E também participou de diversos torneios de luta, muitos deles ao lado do também ator Hulk Hogan. Entre 1988 e 1900, teve a sua própria série de televisão, T and T, que foi cancelada devido a saúde do ator, que sofre de problemas nos linfócitos.
Em 1984 ele também gravou um disco como cantor, onde novamente, procurava orientar as crianças para momentos difíceis e passar uma mensagem educacional.



Em 1993 interpretou a mulher barbada da comédia Freaklândia: O Parque dos Horrores (Freaked, 1993). Também esteve no infantil As Aventuras de Goldy (The Magic of the Golden Bear: Goldy III, 1994) e na comédia Duro de Espiar (Spy Hard, 1996).

Mr. T em Freaklândia: O Parque dos Horrores

Na década de 90 também fez diversas participações em séries de televisão, geralmente interpretando a si mesmo. E estrelou diversas campanhas publicitárias. Cristão convertido, também apareceu como pregador em diversos programas religiosos, e chegou a brincar com isto em sua participação no desenho Os Simpsons. Ele também estrelou o filme religioso Julgamento (Judgment, 2001).



Ao mesmo tempo, emprestou sua imagem para uma campanha, dedicada às crianças, que pretendia combater a homofobia.



Mr. T em Os Simpsons

No cinema, ainda apareceu em Não É Mais Um Besteirol Americano (Not Another Teen Movie, 2001) e dublou um personagem na animação Tá Chovendo Hambúrguer (Cloudy with a Chance of Meatballs, 2009).


Em 2017, foi um dos competidores do reality show Dancing With Stars, sendo eliminado na sexta-semana.

Mr. T no Dancing With Stars

Ultimamente, Mr. T tem se dedicado a produção de vídeos independentes e participações especiais e comerciais, além de ter seu próprio canal no Youtube.







Curta nossa página no Facebook 
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil