Sarita Montiel, a eterna Violetera


A atriz e cantora Sara Montiel, também chamada de Sarita ou Saritíssima Montiel foi uma das maiores estrelas espanholas, conquistando o mundo com carisma e talento.


María Antonia Alejandra Vicenta Elpidia Isidora Abad Fernández nasceu Campo de Criptana, em 10 de março de 1928. Seus pais eram pobres e viviam da agricultura, e desde criança demonstrava dons artísticos. Don Vicente Casanova, um rico fazendeiro a ouvir cantar em uma procissão, e investiu em sua carreira, fazendo com que a menina tivesse aulas de canto e declamação.

Aos 16 anos ela estreou no cinema, atuando em um papel menor em Te Quiero Para Mí (1944). Mas já era protagonista em seu filme seguinte, Empezó en Boda (1944).
Isabel de Pomes e Sara Montiel em Te Quiero Para Mí


Sarita continuou atuando no cinema espanhol, e fez muito sucesso com Delírio de Amor (Locura de Amor, 1948). O filme projetou o nome da atriz internacionalmente, e chamou a atenção do cinema mexicano, que era muito forte na época.  Ao lado de Fernando Fernán Gómez ela estrelou La Mies es Mucha (1949), que embora filmado na Espanha, era uma produção mexicana.

E em 1951 ela foi para o México, onde estrelou Encarceradas (Cárcel de Mujeres, 1951), ao lado das estrelas Katy Jurado e Miroslava. Sarita Montiel fez diversos filmes no México, atuando ao lado de astros como Augustín Lara, Arturo de Córdova e Pedro Infante.



Em 1954 ela foi convidada para atuar em Hollywood, que queria fazer dela uma nova Rita Hayworth. Sua primeira produção norte-americana foi Vera Cruz (Idem, 1954), estrelada por Gary Cooper.

Sara Montiel e Gary Cooper em Vera Cruz

Em Hollywood Sarita também estrelou Serenata (Serenade, 1956), ao lado do tenor Mario Lanza. Durante as filmagens ela e o diretor Anthony Mann se apaixonaram, e se casaram em 1957, e ficaram juntos até 1961.

Com Rod Steiger e Charles Bronson ela ainda atuou em Renegando o Meu Sangue (Run of the Arrow, 1957).

Sarita Montiel e Mario Lanza

Em Hollywood também, ela teve amizade com o ator James Dean (dizem até que eles tiveram um pequeno affair). Sua fotografia, feita ao lado do astro, foi usada para estampar os jornais do mundo todo quando Dean faleceu, aos 24 anos de idade.

Sarita Montiel e James Dean

Em 1955 ela veio ao Brasil para rodar O Forasteiro (The Americano, 1955), que teria cenas filmadas nos Estúdios da Vera Cruz. A produção Hollywoodiana, estrelada por Glenn Ford, sofreu inúmeros problemas, e Sarita abandonou o projeto. O filme acabou tento todo o material feito no Brasil descartado, e foi refeito em estúdios norte-americanos.

Sarita Montiel e Glenn Ford

E embora tivesse sido escalada para fazer um filme com Paul Newman, sua carreira em Hollywood não emplacou.

Ela retornou à Espanha, onde rodou La Violetera (Idem, 1958), um de seus maiores sucessos cinematográficos.


Seus filmes seguintes Carmen de Ronda (Carmen la de Ronda, 1959), Meu Último Tango (Mi Ultimo Tango, 1960) e A Rainha do Chantecler (La Reina del Chantecler, 1962), também fizeram muito sucesso.

Em 1963 Sarita veio ao Brasil filmar Samba, que se passava no Rio de Janeiro. No elenco, nomes como Grande Otelo, Zeni Pereira, Antônio Pitanga e Carlos Alberto. Durante sua estada por aqui, também foi contratada para se apresentar na TV Record, que na época trazia diversas celebridades internacionais para os shows da emissora.

Sarita Montiel, na TV Record

Samba, porém, só foi lançado em 1965. No filme, ela aparece cantando A Noite do Meu Bem, de Dolores Duran.




 No final da década de 60 sua carreira cinematográfica começou a diminuir, e ela passou a dedicar-se mais aos trabalhos como cantora, consagrando clássicos como Contigo Aprendí ou Besame Mucho. Mas provavelmente, Fumando Espero foi seu maior sucesso musical.


 
Após o fracasso do filme Cinco Almohadas para Una Noche (1974), uma espécie de chanchada espanhola dos dias do General Franco, ela passou a trabalhar mais ativamente no teatro, onde ainda mantinha o sucesso de outrora.


Em 1990 chegou a apresentar um programa de televisão, Sara Y Punto.


 Após muitos anos afastada das telas, Sarita Montiel retornou ao cinema atuando em Abrázame (2011). Foi seu último trabalho como atriz.


Sara Montiel faleceu de problemas cardíacos, em 08 de abril de 2013, aos 85 anos de idade.

Além de Anthony Mann, ela foi casada com o industrial Vicente Ramírez Olalla, como o jornalista Pepe Tous (com quem adotou dois filhos), e com o cubano Tony Hernandéz.

Além disto, teve relacionamentos com os atores Maurice Ronet e Giancarlo del Duca, com os quais estrelou alguns filmes.

Sara Montiel e Maurice Ronet

Sara Montiel e Giancarlo del Duca



0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil