Por onde Anda? Annick Malvil, a francesinha que encantou o Brasil


"Tem francesinha no salão,
Tem francesinha no cordão
ela é um sonho de mulher
vem do folies bergères"

Com estes versos os compositores Carlos CruzHaroldo Barbosa eternizaram Annick Malvil na marchinha carnavalesca Can Can no Carnaval, grava por Emilinha Borba, em 1965. Na década de sessenta, Anick Malvil era um símbolo da juventude, beleza e da boêmia do Rio de Janeiro.

Annick Deligant nasceu em 11 de maio de 1936, em Bruxelas, mas foi criada na França. Ainda adolescente, mudou-se com a família para o Brasil, se estabelecendo em São Paulo. Chegaram na cidade em 1954, em meio aos festejos do Quarto Centenário.

Ficha de imigração de Annick

Com Milton Ribeiro
A bela jovem começou a desfilar como modelo, e participou de alguns desfiles na TV Record, e assim começou a sua carreira artística. Em 1960 estreou no cinema no filme Férias no Arraial (1960), com Milton Ribeiro, o astro de O Cangaceiro (1953). 

Em seguida atuou em Conceição (1960), filme dirigido por Hélio Souto. Em 1962 fazia parte da companhia de Cacilda Becker, e com ela viajou ao Rio de Janeiro para apresentar a peça A Visita da Velha Senhora

O empresário teatral Abelardo Figueiredo a convidou para dançar em seu espetáculo. Annick ficou em dúvida e foi Cacilda que a aconselhou a aceitar. O convite foi o responsável em fazer a atriz a fixar residência na capital carioca.

Annick participou da produção francesa O Homem do Rio (L'homme de Rio, 1964), estrelada por Jean Paul Belmondo e Françoise Dorleac (irmã de Catherine Deneuve).


Também atuou em outro filme estrangeiro rodado no país, Pão de Açúcar (Instant Love, 1965). Rodado em Jacarézinho, Paraná, o filme era estrelado por Rhonda Fleming e Rossano Brazzi.
Annick, Carlos Alberto e Rossano Brazzi

Em 1965 estrelou a novela Os Homens Que Eu Tive, na TV Tupi. Também apresentou um jornal de entrevistas e participou do programa Times Square na TV Excelsior. Também gravou discos como cantora, tendo participado dos primeiros programas Jovem Guarda, na TV Record.

Com Hélio Soutto em Olhos que Amei (1965)

Mas era o cinema a casa de Annick. Ela fez muitos filmes, como 007 1/2 no Carnaval (1966)Essa Gatinha é Minha (1967), Viagem ao Fim do Mundo (1968), O Cangaceiro Sem Deus (1969), O Ritual dos Sádicos (1970), Os Homens que eu Tive (1973) e muitos outros. Muitos deles produzidos por Herbert Richers.


Com Jerry Adriani em Essa Gatinha é Minha

Com Milton Rodrigues em Vida e Glória de Um Canalha (1970)

Annick deixou a carreira, e morou alguns anos fora, mas a saudade a fez retornar ao Rio de Janeiro, onde mora atualmente. Fluente em vários idiomas, passou a trabalhar com turismo, e dedica boa porta do seu tempo viajando.

Annick em Lisboa



Annick na Itália


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil